Social Icons

twitterfacebookgoogle pluslinkedinemail

sábado, 25 de maio de 2002

Grande expectativa para a Sudoexpo 2002

Publicado na edição nº652, no Caderno 1, página 8 do jornal Folha do Sudoeste

Apostando na grande variedade de setores que exporão na feira, além de uma grandiosa programação artística, a Acirv – Associação Comercial e Industrial de Rio Verde realiza, com apoio irrestrito do Sebrae, nos próximos dias 29 de abril a 5 de maio, a Sudoexpo 2002. Grande será o número de empresas que estarão presentes nesta vitrine para o Sudoeste Goiano. A expectativa destes expositores é bastante otimista, tendo em vista o grande interesse despertado no empresariado da região, isso se vê pela informação dada pelos organizadores de que os estandes já teriam sido todos comercializados dois meses antes da realização do evento. Interessante será o contraste provocado pela presença de potências nacionais e microempresas familiares expondo juntas na mesma feira de negócios.

Um dos grandes responsáveis por este choque de realidades que provoca uma aproximação bastante proveitosa a todos é a Prefeitura de Rio Verde que reservou uma ala inteira da área coberta do evento, cerca de 30 estandes, para que as suas secretarias distribuíssem a maior parte deste espaço entre os micro e pequenos empresários, apoiados pelos programas de incentivo do governo municipal além de organizações não governamentais da cidade.

Os organizadores da feira declaram que só tendo como base os visitantes de Rio Verde, espera-se a presença de 60 mil pessoas durante os seis dias do evento. Sendo este número somado ao número de visitantes de outras cidades que virão prestigiar o evento, este número será bem maior. Com a preocupação de oferecer mais conforto e contando com este grande público esperado nesta edição, o espaço interno da Central de Abastecimento Municipal, a “Feira Coberta” onde será realizada a exposição, foi remodelado para proporcionar mais espaço livre entre os estandes facilitando o fluxo dos visitantes. Toda a área interna foi acarpetada e ainda foi construído um auditório com capacidade para 350 pessoas, este destinado à realização de palestras e da Rodada de Negócios.

Realizada de dois em dois anos, desde 1988, a Sudoexpo hoje tornou-se referência no Estado por se tratar de evento que reúne indústria, comércio e prestadores de serviços, em uma única feira, o que a transforma num espaço fértil para realização de grandes contatos comerciais, exemplo disso será a Rodada de Negócios, evento que desde a edição passada da feira é organizado pelo Sebrae e que acontece paralelamente à Sudoexpo. Esta é uma espécie de bolsa de negócios onde fornecedores e compradores irão disponibilizar suas necessidades, seja de compra ou venda, com possibilidade de efetuação imediata do negócio.

segunda-feira, 20 de maio de 2002

Encontro reúne 15 cidades

Publicado na edição nº656, de 2002, no Jornal Folha do Sudoeste

O encontro do ultimo dia 17, Sexta-feira, em Rio Verde, teve como tema o Programa de Ações Ambientais Integradas (PAAI). Dos 81 municípios convidados, apenas 15 compareceram com suas delegações e secretários de meio ambiente. Mesmo assim, o resultado foi considerado positivo por parte dos técnicos a Agência Ambiental de Goiás, promotora do evento.

Estiveram presentes o presidente da Agência Ambiental Paulo Souza Neto, o prefeito de Rio Verde Paulo Roberto Cunha e o Diretor do PAAI Emiliano Lobo de Godoi. Pela manhã, foi realizado, no auditório do Sindicato Rural de Rio Verde, seminário para discussão do novo programa que consiste na descentralização das ações ambientais, uma forma de fortalecer as secretarias municipais de meio ambiente em todo Estado.

No período da tarde, foi realizado fórum reunindo os secretários do meio ambiente das cidades que compareceram. “Os municípios estão se encontrando e procurando soluções conjuntas, trocando experiências e estabelecendo melhor a parceria que hoje existe entre as prefeituras e a Agência Ambiental”, explicou Odete Ganan, técnica da Agência Ambiental. Rio Verde foi sede do quarto encontro realizado no estado, os demais ocorreram em Luziânia, Mara Rosa e Morrinhos, sendo que no dia 21 de maio, ocorre o quinto e último encontro em Mozarlândia e englobará 40 municípios da bacia do Rio Araguaia.

Neste fórum, foram apresentados, pelos representantes dos municípios, os principais problemas ambientais que ocorrem em suas cidades, assim como, através de discussão, as soluções viáveis para resolve-los. “Nós tivemos 15 municípios presentes e foi extremamente proveitoso. Mesmo aparentemente parecendo um numero pequeno, a carga de experiência de cada um foi muito valiosa para o nosso trabalho”, complementa Odete Ganan. Todos os municípios presentes ou não ao encontro irão receber relatório do que foi discutido na ocasião, para que estes complementem a discussão e continuem a desenvolver o trabalho em suas localidades.

Apartir de agora, os trabalhos da Agência Ambiental irão continuar nos municípios conveniados no estado e com os que já possuem secretarias municipais de meio ambiente, procurando desenvolver a ação municipal. Serão realizados também, apartir de junho, os encontros estaduais em Goiânia, reunindo toso os municípios. Além dos encontros, a Agência Ambiental dispõe de cursos de capacitação ao servidores municipais, tanto na área de licenciamento como na área de fiscalização. “Ainda vamos estar procurando fazer um trabalho de educação ambiental, inclusive com material para poder estar facilitando aos municípios o trabalho de orientar o cidadão de como preservar o meio ambiente”, disse Odete Ganan.

O PAAI, que iniciou sua atividades em 99, possui convênios com 140 municípios e contribuiu decisivamente na implantação de 100 secretarias municipais de meio ambiente. Os convênios possibilitam, aos municípios, o desenvolvimento de alguns trabalhos da Agência Ambiental como montagem de processos e emissão de guias, agilizando o atendimento as pessoas e empresas que antes precisariam ir a Goiânia para ter acesso a estes serviços.

quarta-feira, 15 de maio de 2002

Polícia intensifica caça aos piratas

Publicado na edição nº656, de 2002, do Jornal Folha do Sudoeste

Seguindo a mesma linha da capital do estado, onde já foram estouradas 12 fábricas de CDs piratas e um infinidade de mercadorias foram apreendidas, as autoridades de Rio Verde se mostram atentas à distribuição e venda de material falsificado. No dia 13 de maio, Segunda-feira, atendendo denúncia anônima, a Polícia Militar autuou em fragrante Janimara Lopes de Oliveira em sua residência, no Prolongamento Jardim América, onde guardava um considerável estoque de material que infringia a lei de direitos autorais, estes destinados a venda para ambulantes e camelôs da cidade.
Janimara, o marido e os três filhos foram conduzidos até o 2º Departamento de Polícia, os últimos foram imediatamente liberados, pela confissão da acusada que declarou ser dela todo material apreendido, ela também foi liberada no dia seguinte. Após confessar ser a única autora do crime, seu advogado, alegando também se tratar de réu primária, intercedeu junto ao juiz que a liberou para responder processo em liberdade após pagamento de fiança.

7 mil CDs gravados, 1750 capas para CD, 4 mil encartes, uma impressora e 600 fitas cassete também gravadas de forma ilegal, esta foi a mercadoria apreendida. A impressora, já que foi constatado que não era usada nas falsificações, será liberada perante apresentação de nota fiscal. A mercadoria, segundo a Delegada Renata Roberta Ferrari, do 2º Distrito de Polícia de Rio Verde, assim que terminado o inquérito policial, realizado pelo seu departamento, será encaminhada ao juiz desta comarca. “O destino do material apreendido é o juiz quem vai determinar”, completa a delegada.
“A pena para este artigo é de 1 a 4 anos de reclusão. Tanto quem comercializa, mantém em depósito, expõem a venda ou faz a falsificação, reproduz, tem a mesma pena”, informou ainda a Delegada Renata Ferrari. A comercialização de CDs piratas continua na cidade, mas a última investida da polícia contra a pirataria, causou medo e apreensão nos vendedores da mercadoria, tanto que a grande maioria negou-se a falar com a reportagem. Alguns deixaram de vez a prática, outros aguardam a “poeira baixar” para retomarem suas atividades. Mas todos tem uma coisa em comum, sabem que estão fazendo algo ilegal, alegam que estão nesta situação pela falta de oportunidades de trabalho no mercado. Ainda acham injusto serem comparados a criminosos comuns, já que estão a trabalho.
Esta não foi a primeira fez que a polícia agiu contra a pirataria em Rio Verde, em janeiro deste ano, a Decon (Delegacia de Defesa do Consumidor) de Goiânia esteve na cidade e realizou várias autuações, foram abordados ambulantes que comercializavam material falsificado, alguns foram presos e respondem processo em liberdade. Recentemente também houve a descoberta de calças jeans com a marca falsificada, a mercadoria foi recolhida e os proprietários autuados pelo 1º Distrito Policial de Rio Verde.
Muito se discute sobre a produção de CDs falsificados hoje em dia, mas o que se vê como ação é a repressão ao falsificadores e vendedores. Esquece-se de que ninguém que compra um CD pirata esta sendo enganado, todos sabem o que estão levando e esta aceitação que se dá, por parte da sociedade à prática do crime, vem do alto preço dos CDs originais à venda. Se não fossem tão caros, ninguém iria arriscar adquirir um artigo de qualidade duvidosa e ainda produto de um crime. Resta saber se as grandes gravadoras multinacionais estão dispostas à diminuir seus lucros em prol do fim deste problema que agride a propriedade intelectual dos artistas.
Algumas alternativas surgem meio a esta guerra, para driblar a alta percentagem de lucros que os “tubarões” do mercado fotográfico exigem, artistas estão optando por lançarem seus trabalhos através da produção independente, utilizando também meios de distribuição mais baratos, disponibilizando seus CDs, acompanhados de revistas, em bancas de jornal. Este foi o caso dos últimos CDs lançados por Lobão, Titãs e mais recentemente Supla. Seus trabalhos chegaram ao consumidor à preços entre R$ 9,90 e R$ 12, valor correspondente a aproximadamente 30% do preço da maioria dos CDs vendidos em loja, pelo método convencional de produção.

sexta-feira, 10 de maio de 2002

Solidariedade pelos ares

Reportagem publicada na edição nº655, de maio de 2002 do Jornal Folha do Sudoeste

Em sua décima edição, nos dias 4 e 5 de maio foi realizado o Show Aéreo de Rio Verde, evento que se destaca no Sudoeste não só pela grandiosidade de atrações, mas também pelo espírito filantrópico. Dois quilos de alimento não perecível por pessoa, este foi o ingresso cobrado aos espectadores do Show, arrecadação esta que foi destinada à 15 entidades assistênciais da cidade, dentre elas o Asilo dos Idosos, a Escola Dunga de Ensino Especial e a Escola Bom Pastor, que ampara menores carentes.

As atrações do evento arrancaram aplausos e suspiros dos presentes, foram 250 saltos de pára-quedas. Quase que de hora em hora eram soltos à uma altitude de 11 mil pés, cerca de 3,4 mil metros, grupos de 6 pára-quedistas, estes que faziam seu pouso junto aos espectadores.

Grande foi a participação de acrobatas aéreos no Show, também tendo suas apresentações intercaladas de hora em hora. Pilotos cortavam o céu de Rio Verde em manobras arriscadas. Adrenalina máxima, mas o profissionalismo seguido à risca, neste que é considerado um dos esportes mais radicais já inventados pelo homem, devido a alta periculosidade que oferece sua prática. Dentre os acrobatas aéreos, se destacou o experiente piloto Rui Alberto Textor, o Beto da Aerotex, ele que é vice-campeão brasileiro e campeão gaúcho de acrobacias aéreas.

Houve demonstração de aviação agrícola com avião pulverizador, prática bastante comum na nossa região e o publico ainda pode contar com a disponibilidade de vôos panorâmicos, que através de sorteio, puderam apreciar a esplendorosa vista aérea de Rio Verde.

Estiveram presentes também ao evento, os fanáticos por replicas, com seus aeromodelos que imitavam perfeitamente aviões convencionais, tanto em forma como em dirigibilidade. Por controle remoto, os pilotos, com os pés ao chão, faziam os não tão pequenos, mas caros brinquedos, realizarem manobras acrobáticas e até soltarem fumaça, para o delírio dos pequenos e grandes telespectadores.

O X Show Aéreo só não foi mais brilhante, porque a Esquadrilha da Fumaça, agendada para sábado, dia 4, não pode completar sua apresentação, devido a forte chuva que se deu na cidade, no instante exato que os aviões da FAB iniciariam suas acrobacias. “Nós temos que salientar que quem voa na Esquadrilha são seres humanos e segurança para nós está acima de tudo”, explicou Sebastião Gagliard Netto, o popular Professor Netto, principal organizador do evento. “A Esquadrilha da Fumaça esteve em Rio Verde, sobrevoaram o aeródromo, mas infelizmente as condições meteorológicas não permitiram a apresentação, então ela teve que retornar”, completou Netto.

Ainda houve uma equivocada coincidência de datas que poderia atrapalhar o Show, a realização simultânea da Sudoexpo 2002, contratempo este provocado pelo adiamento da referida feira. “A Acirv foi consultada, sendo que foi informado que a Sudoexpo iria acontecer no início de abril, mas foi adiada a data para agora. Como tínhamos conseguido com a FAB o agendamento da Esquadrilha da Fumaça para esta data, não poderíamos adiar nosso evento”. Relatou Netto.

Mas isso não interferiu, a população compareceu e contribuiu. “Foi acima das expectavas!”, informaram os organizadores, tanto que para próxima edição do evento, já constando no calendário nacional de eventos aerodesportivos, prometem novidades. “Ano que vem vamos trazer um bang-jump, rapel, balão de ar quente..., em fim, uma série de novidades que nos vamos acrescentar ao XI Show Aéreo de Rio Verde”. Euforizou Neto, que ainda agradeceu a atenção da Folha do Sudoeste: “gostaríamos de agradecer, em público, a presença do jornal e dizer que nós vamos estreitar o relacionamento entre a comissão do evento e a Folha, inclusive foi um dos poucos jornais que soltou uma nota, com bastante antecedência, sobre o nosso evento. A divulgação da impressa tem um valor extraordinário, ela é responsável, juntamente com o público, pelo sucesso do evento.”

Sudoexpo movimenta Rio Verde por 7 dias

Reportagem publicada na edição nº 654 do Jornal Folha do Sudoeste, em maio de 2002

De 29 de abril a 5 de maio foi realizada a oitava edição da Feira da Indústria, Comércio e Prestação de Serviços do Sudoeste Goiano (Sudoexpo 2002), exposição que acontece de dois em dois anos na Feira Coberta, em Rio Verde. Na Segunda-feira, 29 de abril, a solenidade de abertura oficial contou com a presença do govenador de Goiás Marconi Perillo, o prefeito de Rio Verde Paulo Roberto Cunha e outras autoridades locais, estes abriram ao público sudoestino o evento que é hoje considerado o melhor no Estado, principalmente pela sua diversificação de setores, o que foi constatado não ser só propaganda, grandes e micro industrias, instituições financeiras, cooperativas agroindustriais, artistas plásticos, revendedoras de veículos, comércio de móveis e artigos femininos, prestadoras de serviços, instituições de ensino, empresas de tecnologia em informática e eletrônica, agências de publicidade, gráficas, construtoras, órgãos governamentais e meios de comunicação expuseram seus produtos e serviços, ao todo 112 estades, com grande êxito nesta mostra que teve como organizadora a Associação Comercial e Industrial de Rio Verde (Acirv), infra-estrutura a cargo da Tecnipron e apoio irrestrito do Sebrae-Goiás.
Na ocasião da abertura da feira, o governador Marconi Perillo falou da importância que o evento representa para o desenvolvimento de Goiás e região devido sua abrangência e organização voltada também aos micro-empresários, reafirmando o apoio disponibilizado em forma de parceria ao empreendimento rio-verdense. “Temos conhecimento de que a Sudoexpo, a cada realização, torna-se mais atrativa. Isso é muito importante para o desenvolvimento empresarial da região e do Estado. Dessa forma jamais poderíamos ficar alheios. Estaremos participando intensivamente da Sudoexpo 2002”, completou Marconi.
No mesmo tom, o prefeito Paulo Roberto Cunha, declarou que a prefeitura de Rio Verde não mediu esforços para a consolidação da Sudoexpo 2002 como a maior feira do gênero já realizada em Goiás. “É um grande orgulho para nós rio-verdenses ver o excelente trabalho que vem sendo realizado pela Acirv na organização deste evento que nos honra imensamente a cada dois anos com sua realização em nossa cidade!” Exclamou o prefeito. Realmente a Prefeitura de Rio Verde investiu pesadamente na exposição, tendo ocupado 30 estades para divulgação do trabalho da atual gestão, secretarias e microempresários que participam de programas de incentivo da mesma. A solenidade de abertura foi encerrada com as apresentações da Orquestra de Violeiros de Rio Verde e Alunos do Colégio Militar.

Rodada de Negócios
Como já era esperado, no ponto de vista econômico, a feira teve um esplendido sucesso através da realização da Rodada de Negócios, organizada pelo Sebrae nos dias 2 e 3 de maio, foram gerados R$ 14,2 milhões em negócios a serem realizados em curto, médio e longo prazo pelas empresas que participaram da iniciativa que consistia na aproximação de grandes empresas, chamadas de “empresas-âncoras”, geralmente industrias e órgãos governamentais, para com empresas menores, de prestação de serviços e fornecedores de matéria prima.

A aprovação por parte dos empresários participantes da Rodada foi grande, em pesquisa realizada pelo Sebrae, 51% destes empresários consideram como ótima, 47% como boa e somente 2% acharam o evento regular. Foram 15 empresas-âncoras e 80 empresas ofertantes de Rio Verde, Jataí, Piracanjuba, Goiatuba, Mineiros e Itubiara dos mais variados seguimentos, estas tiveram possibilidade de fechamento através dos 350 encontros de negócios realizados.

No mesmo auditório destinado a Rodada de Negócios, também foram proferidas palestras voltadas ao empresariado no dia 1º de maio. O tema “Como desenvolver a criatividade e a motivação nas organizações” foi abordado pela palestrante Deusilene leão, palestra organizada pela Acirv em parceria com o Banco do Brasil. O palestrante Maurício Keller Tamioso realizou workshop denominado "Divulgação do Empretec em Rio Verde”, parceria do Sebrae-Rio Verde e Acirv.

Entretenimento
Não só de bons negócios foi feita Sudoexpo 2002, ouve uma grande variedade de atrações para o divertimento dos visitantes da feira. Na área coberta do evento, alguns estandes disponibilizaram atrativos extras como videokê, shows musicais ao vivo, distribuição de brindes, promoções, desfiles e apresentações com modelos, bonecos infláveis e mascotes para divertir o público infantil. Na área externa, o Corpo de Bombeiros, além de montar estande com temas que priorizam a prevenção de acidentes e demonstração do seu trabalho, instalou uma torre para a prática do rapel, sendo sua participação aberta aos mais corajosos. Na área destinada a realização das apresentações musicais, foram instalados bares e restaurantes, além de uma homenagem ao saudoso colunista social Wellington Tibeira, a criação de uma sala de imprensa que leva seu nome.

As atrações musicais literalmente deram um show visto pela quantidade de pessoas que se concentravam dentro e fora da área do evento para assistirem os espetáculos. Em média, eram cerca de 9 mil pessoas/dia prestigiando os shows da Banda ONG e Jerimundos, na segunda-feira dia 29 de abril, Danilo & Danilel, na Quarta-feira dia 1º de maio, Jeito Baiano, na quinta-feira dia 2, Grupo 2 a 1, no Sábado dia 4 e Di Paulo & Paulinho, no encerramento, dia 5, Domingo. Já nos dias em que se apresentaram as grandes estrelas da festa, o público foi recorde na Sudoexpo. Na terça-feira, dia 30 de abril, o show do Skank trouxe para dentro da feira mais de 15 mil pessoas, estas que assistiram magnifico show do quarteto mineiro, fãs e simpatizantes participaram intensamente dançando e cantando os sucessos da banda. Amado Batista arrebanhou mais de 12 mil pessoas para as instalações da Sudoexpo 2002, o ritmo romântico-brega do cantor mais popular do Brasil animou os corações dos visitantes na sexta-feira, dia 3 de maio.

Todos os dias, posteriormente a apresentação dos shows principais, a animação era continuada por artistas locais no palco e nos bares instalados na feira até por volta das 4 horas da madrugada.

Balanço
Segundo os organizadores, o resultado foi mais do que positivo, o publico compareceu intensamente durante todos os dias do evento e nem a forte chuva que se deu em Rio Verde no Sábado, dia 4 de maio, foi suficiente para interferir no sucesso da Feira.

Grande foi a satisfação dos expositores, visto pela quantidade negócios efetuados durante a feira. “As comercializações promovidas pelo evento surtiram efeito durante a mostra e também a curto, médio e a longo prazo. O retorno sempre é medido no período entre uma feira e outra. E essa é a expectativa até o ano 2004, quando acontecerá a 9ª Sudoexpo”, explica Rubens Leão de Lemos Barroso, presidente da Acirv.

O que pode se notar nesta edição da feira foi um grande amadurecimento na visão empreendedorística dos empresários que expuseram no evento, grande foi o investimento em marketing e publicidade, infra-estrutura ao público e novidades a serem mostradas aos visitantes. Prova de que o empresário da região está se adaptando, tornando suas empresas cada vez mais capacitadas ao mercado consumidor sempre mais exigente também aqui, no Sudoeste goiano.

Tempestade causa destruição e morte em Rio Verde

Publicado na edição nº652, no Caderno 1, página 8 do jornal Folha do Sudoeste

A forte chuva, acompanhada de granizo, que se deu em Rio Verde neste Sábado, dia 4 de maio, por volta das cinco horas da tarde, trouxe, além da brusca queda na alta temperatura que pairava na cidade, destruição e uma vítima fatal no Setor Industrial, o catador de papel Antônio Bento da Silva Filho, 39 anos, que foi soterrado pelo desabamento do muro de um armazém que caiu sobre o barracão em que se encontrava, morreu antes da chegada do socorro do Corpo de Bombeiros. Seu companheiro de trabalho não identificado, que também se encontrava no local, conseguiu ser socorrido e foi levado ao Hospital Municipal com ferimentos.

As ruas alagadas e as árvores caídas sobre a pistas transformaram o trânsito em um caos. Bairros foram isolados pela inundação além das várias casas que sofreram avarias causadas pelo vento forte.

No Aeroporto Municipal o X Show Aéreo de Rio Verde teve de ser paralisado, inclusive a apresentação da Esquadrilha da Fumaça da FAB, após sobre-vôo das aeronaves, foi constatando a impossibilidade para realização de suas acrobacias, retornando a mesma para sua base em Pirassununga-SP.

A Sudoexpo sofreu danos nas estruturas de estandes e palco, ouve alagamento dentro da área da Feira Coberta onde acontecia a exposição, mesmo assim isso não impossibilitou a continuidade do evento que seguiu seu cronograma durante a noite sem mais contratempos. A partida de despedida da Liga Nacional de Futsal do Rio Verde/Fesurv, contra o time do Londrina, foi cancelada pois o Ginásio Jerônimo Martins foi invadido pela água da chuva.

domingo, 5 de maio de 2002

AIDS em Rio Verde

Estudo feito por mim em junho de 2002, para composição de reportagem especial sobre a situação da AIDS no Sudoeste Goiano para o Jornal Folha do Sudoeste.

Segundo Lindaura Graciano de Napoli, coordenadora do Programa DST/AIDS (doenças sexualmente transmissíveis e AIDS), até hoje foram notificados 143 casos de incidência do virus HIV em Rio Verde, destes 135 são adultos e 8 crianças. Nestes não estão incluídos os soropositivos, ou seja, pessoas que possuem o vírus mas que não se manifesta, nem os aidéticos que procuram ajuda diretamente em hospitais particulares dos grandes centros.

O Trabalho DST/AIDS de Rio Verde consiste na notificação do caso e encaminhamento do paciente para o Hospital de Doenças Tropicais de Goiânia, além prestar auxilio quanto a locomoção até a capital, cede para estes casos de incidência da doença medicamentos extras ao coquetel anti-aids fornecido pelo Governo Federal e faz um acompanhamento psicológico destes pacientes. Outro trabalho de muita importância realizado pelo Programa Municipal é a realização de testes de HIV em todas as gestantes que procuram o serviço público na cidade, ato irrelevante na prevenção do risco de contágio que há da mãe para o feto.
Dos casos notificados em Rio Verde, existe um percentual assustador: 40% destes são de contágio da doença por uso de drogas injetáveis, através de seringas contaminadas que passam de mão em mão nos grupos de viciados, o restante das pessoas contaminadas são por meio sexual e ainda existe um caso constatado por acidente de trabalho causado por manipulação de material contaminado em hospital, além das 8 crianças que foram contaminadas no parto.

Lindaura Graciano ainda contesta a informação divulgada recentemente que houve um aumento na incidência de casos de AIDS em Goiás, o que realmente aconteceu foi um aumento do número de pessoas que procuram ajuda ou foram notificadas pelo serviço de saúde. Prova de que a população está mais consciente e o serviço público de saúde mais eficaz.