Social Icons

twitterfacebookgoogle pluslinkedinemail

domingo, 30 de junho de 2002

PM apreende quase 200 kg de maconha

Publicado na edição nº657, de 2002, do Jornal Folha do Sudoeste

Seguindo pistas levantadas à vários dias, confirmadas através de denúncia anônima, o Grupo de Patrulhamento Tático (GPT) e o Serviço de Inteligência, ambos do 2º Batalhão da Polícia Militar, em Rio Verde, montaram operação conjunta para realizar uma grande apreensão de maconha no último dia 23, Quinta feira.

Foram 195 quilos de maconha encontrados por volta das 8 horas da manhã, uma parte, cerca de 70 quilos, escondida em um ônibus, no Jardim das Margaridas. Outra, 50 quilos, já teria sido descarregada em uma loja do Centro Comercial Camelódromo de Rio Verde, o restante estava em um veículo Fiat Uno que seguia destino não informado.

Segundo o Sargento Ronaldo, do GPT, integrante da operação, deixou-se que todos os demais passageiros que vinha do Paraguai, desembarcassem, para que só restassem os reais culpados pelo crime de tráfico no ônibus, dentre eles, o próprio motorista. A quadrilha que trouxe a droga era formada por 7 integrantes, destes, duas menores. O nome dos membros da quadrilha não foi revelado, na intenção de não interferir nas investigações policiais.

A origem da maioria dos integrantes era de Rio Verde, outros vinham de Foz do Iguaçu. Por se tratar de tráfico internacional de drogas, todos foram enviados à delegacia da Polícia Federal em Jataí, onde foram autuados, sob a disposição da justiça e responderão pelos crimes de contrabando e tráfico de narcóticos.

No mesmo ônibus, foram presos dois indivíduos trazendo, também do Paraguai, 45 caixas, cerca de 22,5 mil maços de cigarro contrabandeado. Estes, segundo a Polícia Militar, não possuem ligação com a quadrilha que trazia a maconha e responderão judicialmente somente pelo crime de contrabando.

“Rio Verde funciona como um ponto base, é descarregado aqui e redistribuído pela região, Montividiu, Santa Helena e até Goiânia”, explicou o Sargento Ronaldo em relação ao destino da droga apreendida. Também nos disse que após passar a fronteira entre Ciudad del Este e Foz do Iguaçu, a maconha é embarcada nestes ônibus que geralmente levam os “sacoleiros” e suas compras feitas no Paraguai.

Esta e outras audaciosas realizações da Polícia Militar de Rio Verde se devem em parte ao novo comando do coronel Marco Aurélio Alves de Araújo, que entre várias mudanças, reestruturou o Serviço de Inteligência da corporação e equipou o GPT, antigo GOE. Devemos nossos parabéns ao coronel Antônio Alves pelo bom trabalho, sem deixar de agradecer aos soldados Messias, Erli, Caetano, o cabo Oliveira e os sargentos Ubiratã e Ronaldo, grupo que atuou na operação.

quarta-feira, 26 de junho de 2002

Crescimento passa pelo município

Publicado na edição nº657, de 2002, no Jornal Folha do Sudoeste

Durante a realização do I Seminário “O município como agente de desenvolvimento”, o presidente do Bank Boston, o goiano Henrique Meirelles proferiu palestra à várias lideranças políticas da região Sudoeste de Goiás no último dia 22, Quarta-feira.

O Seminário, realizado pelo Jornal da Segunda e pela Acirv (Associação Comercial e Industrial de Rio Verde), no salão de eventos do Sindicato Rural de Rio Verde, contou com a presença, além de Meirelles, do diretor do Jornal da Segunda, Sebastião Barbosa da Silva, o prefeito de Sanclerlândia e vice-presidente da Associação Goiana de Municípios, Itamar Leão, o prefeito de Rio Verde, Paulo Roberto Cunha e o presidente da Associação Brasileira de Municípios (ABM), Welson Gasparini, primeiro palestrante da noite.

O evento vem com a proposta a criação de um “plano de governo” a ser oferecido ao candidatos ao Governo de Goiás nas eleições de 2002. Contado, para isso, com a participação das bases políticas e comunitárias que aderirem ao movimento.

Welson Gasparini, que proferiu palestra com o tema “O município como formador de uma nova classe de políticos e administradores”, defendeu veemente a bandeira municipalista, da descentralização administrativa, que consiste na redistribuição de responsabilidades, priorizado as administrações municipais, elas que entendem os reais problemas e necessidades de suas localidades. “Muitas vezes nós ficamos esperando as decisões de Brasília, de cúpula, quando muitas coisas nós podemos resolver nas nossas proporias cidades”, reafirmou Gasparini que ainda cobrou do eleitorado mais atenção ao votar, que dêem mais importância a itens fundamentais ao escolher um candidato. “O Brasil passa por um dos momentos mais importantes da sua historia e é um momento que a nação precisa de líderes responsáveis e idealistas”, completou o presidente da ABM, prefeito de Ribeirão Preto por três vezes, que também é Professor de Ciências Políticas, Direito Administrativo e do Trabalho, Ética e Legislação dos Meios de Comunicação. Grande líder político brasileiro que já participou de seminários nos EUA, na Alemanha, Chile e Espanha.

Já Henrique Meirelles, o palestrante mais esperado da noite, usou como tema o “Desenvolvimento regional e liderança positiva”. Inicialmente, Reafirmou a importância da municipalização, tema abordado na palestra de Gasparini: “qualquer coisa que se faça para reforçar e melhorar a eficiência do município, de fato é o caminho do crescimento”, colocou Meirelles. Usando Singapura como exemplo, um país historicamente jovem e de origem pobre, que hoje tem um renda per capita anual de US$ 33 mil, expôs sua proposta de finalidades, a ser seguida pelo Brasil, que consiste primeiramente na estabilização da moeda, seguida por um maior controle quanto aos gastos públicos. “Se o governo faz inflação, nada mais existe de positivo neste governo... Dito isso, o governo tem que ter controle fiscal, ou seja, não pode gastar mais do que arrecada, nem tomar empréstimos, porque se o governo tomar muitos empréstimos, vai subir a taxa de juros e prejudicar o desenvolvimento do país”, Explicou Meirelles. “Em primeiro lugar está a educação, educação é a base de tudo, é fundamental”, mais um dos itens abordados pelo presidente do Bank Boston, que acredita que as demais prioridades vem como conseqüência da educação, quando o povo for instruído para escolher bem seus governantes, para que estes saibam conduzir bem seus governos.

Henrique Meirelles está correndo o Estado, em Rio Verde é a segunda vez que vêm neste ano, período que ele chama de “retorno a Goiás”. Sem dúvida, uma marcha em busca de aliados políticos, visando a candidatura ao Senado que, inclusive, recebeu total apoio do presidente Fernando Henrique recentemente. Para o prefeito de Rio Verde, Paulo Roberto, a visita do candidato ao senado pelo PSDB, esquenta o clima de transição partidária, ele que foi convidado à fazer parte do partido de Meirelles após “quebrar os pratos” com o presidente de sua sigla, Pedrinho Abrão, do PTB, que quer o lugar de Marconi.

segunda-feira, 10 de junho de 2002

Escola Agrotécnica faz 35 anos

Publicado na edição nº659, de junho de 2002, no Jornal Folha do Sudoeste

Três dias festivos marcaram a comemoração do 35º aniversário da Escola Agrotécnica Federal de Rio Verde. Ilustres convidados, atrações artísticas e grandes surpresas foram os elementos da festa.

No dia 6 de junho, quinta-feira, no Clube Campestre, foram oficialmente iniciadas as comemorações de aniversário da Escola, após uma apresentação do grupo de dança da Fesurv, cerca de 200 pessoas assistiram palestra do professor Gilberto José de Faria Queiroz, dentre estes, alunos da Instituição, funcionários e alunos convidados das Escolas Estaduais Martins Borges, Olynto Pereira de Castro, Sol e Manoel Ayres.

Gilberto Queiroz palestrou sobre o tema “Educação profissional”, falou da transformação que o Ensino Federal passou após a nova Lei de Educação, que consiste na separação do ensino médio, que antes era vinculado ao técnico profissionalizante. Segundo ele, isso proporcionou um considerável aumento da gama de cursos e de alunos que hoje estudam por menos tempo nas Escolas Técnicas Federais, não que isso possa interferir na qualidade do ensino, pois o aluno passa a lidar somente com disciplinas úteis ao currículo do curso que está realizando. O professor Gilberto ainda disse que hoje são cerca de 700 mil alunos matriculados em cursos técnicos de nível médio e superior pelo ensino federal em todo país, mas já são 1,6 milhão de alunos que optaram pelos novos cursos profissionalizantes. Vale lembrar que estes cursos são voltados a alunos que já concluíram ou estão fazendo o ensino médio, duram em torno de um ano e meio e abrangem não só a área agrícola, Rio Verde hoje conta também com profissionalizantes nas áreas de Agroindustria, Informática, Contabilidade, Secretariado e outros.

O primeiro dia de eventos comemorativos encerrou-se com o lançamento do vídeo institucional da Escola, produzido especialmente para a divulgação dos trabalhos da mesma na região.

A cultura foi o fundamento das comemorações da sexta-feira, o Grupo Teatral Boca de Cena, apresentou o espetáculo Infinito Instante, peça baseada na obra literária de José Cimino, ex-diretor da Escola Agrotécnica de Rio Verde. O livro de poemas de Cimino, que também foi lançado em Rio Verde na mesma ocasião, faz uma crítica pesada as crises sociais, problemas ambientais e a perda da identidade cultural de nosso povo, conseqüências do capitalismo selvagem. Temas muito bem encenados, através de poesia e música, pelos artistas do grupo de Congonhas-MG, a chamada “Cidade dos Profetas”. Encerrando a noite de eventos, apresentou-se a Orquestra de Violeiros e Sanfoneiros de Rio Verde, relembrando, através de sua música, clássicos do folclore sertanejo.

No sábado, dia 8, pela manhã, aconteceu cerimônia de inauguração dos novos prédios e equipamentos de laboratório da Escola Agrotécnica. Estiveram presentes neste dia de evento, representando o MEC, o Secretário de Educação Média e Tecnológica (SEMTEC) Dr. Raul do Vale Júnior, o presidente da Câmara de Rio Verde Aluízio Rodrigues e o Secretário de Agricultura e Meio Ambiente de Rio Verde Paulo Martins, ele que é um dos ilustres ex-alunos desta Instituição. Após a solenidade e pequeno “tur” pelas instalações, foi servido almoço que congregou convidados, alunos e funcionários da Escola.

Pela tarde, o Dr. Raul do Vale fez uma visita à indústria da Perdigão, acompanhado pelos professores Gilberto Queiroz e Vicente Pereira de Almeida, respectivamente diretor e vice-diretor da Escola Agrotécnica.

Para encerrar as comemorações, à noite, foi realizado no Clube Campestre, coquetel baile onde foram homenageados ex-funcionários da Instituição de Ensino, ex-alunos ilustres, além de empresas regionais que contribuem para o bom andamento dos projetos da Escola. A festa seguiu madrugada a dentro com show do grupo “Os Cristais”.

Nos rumos
As inaugurações ocorridas neste dia 8 de junho, tem como origem os investimentos da ordem de R$ 2,3 milhões que a Escola Agrotécnica Federal de Rio Verde recebeu, proporcionados pela criação do PROEP (Programa de Expansão da Educação Profissional), programa este que foi criado em 1998 pelo MEC (Ministério da Educação e Cultura) que reuniu recurso do próprio MEC, Banco Interamericano de Desenvolvimento e FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador), o que gerou US$ 500 milhões para serem aplicados na modernização da educação profissional em todo país.

Segundo o secretário do SEMTEC, Raul do Vale Júnior, o PROEP veio complementar a nova Lei de Diretrizes e Bases da Educação, promulgada em 1996, o que propiciou, primeiramente, uma profunda transformação no ensino médio brasileiro, trabalho que já vem sendo feito desde que o Ministro Paulo Renato assumiu o Ministério da Educação. “Ele fez primeiro uma reforma muito grande que teve como ponto básico a separação do ensino médio da educação profissional. Antes disso, aqui em Rio Verde, por exemplo, o ensino médio era ligado a educação técnica, o indivíduo quando se graduava recebia dois diplomas, um de conclusão do ensino médio e outro do ensino técnico, no caso desta escola era Técnico em Agropecuária”, assinalou Raul do Vale.

A separação deu oportunidade a um grande crescimento na educação profissional, invés de se fazer um curso de 3 anos, passou-se a fazer um curso técnico de 1,5 ano. Segundo Raul do Vale, isso não afetou de forma nenhuma a qualidade destes cursos, pois foram eliminadas as matérias que não tinham importância para o ensino profissionalizante, hoje o aluno só recebe as disciplinas referentes ao curso que realiza. Esta reforma, na Escola de Rio Verde, proporcionou um aumento considerável na oferta de vagas, onde antes estudavam 350 alunos num só curso técnico, hoje disponibilizam 1,2 mil vagas em curso técnicos de nível médio. Já no nível básico, a ofertas de vagas quadruplicou.

Como Rio Verde, outras 300 escolas espalhadas pelo país, foram agraciadas pelo recurso do PROEP, só em Goiás, foram 13 escolas, totalizando investimento de quase R$ 30 milhões no Estado. “Investimos na melhoria de 3 escolas agrotécnicas federais, no CEFET de Goiânia, também investimos em 9 escolas estaduais, nos municípios de Anápolis, Goiânia, Catalão, Porangatu, Goianésia, Goiatuba e Caiapônia. E através do que nós chamamos de “segmento comunitário”, que são organizações não governamentais, nós estamos construindo uma escola em São Miguel do Araguaia”, informou o Secretário do SEMTEC.

A Escola de Rio Verde, agora, segue para uma nova etapa de sua existência. Com a advento destes investimentos aplicados na construção e instrumentação de um moderno laboratório de biotecnologia em vegetais, além de equipar e reformar o também moderno centro de aprendizado de agroindústria, a Instituição está se preparando para se tornar capaz de abrigar também cursos tecnológicos de nível superior, aproveitando a grande estrutura que hoje serve aos cursos técnicos. “A idéia que se tem aqui é criar curso tecnológicos na área da agroindústria, os equipamentos já estão aqui, porque são equipamentos multi-uso, eles servem tanto para um curso técnico como para cursos tecnológicos”, completou Raul do Vale. Outro fator importante, para a criação de curso tecnológicos, é o investimento na capacitação de professores, medida que já vem sendo tomada há tempos pela Escola de Rio Verde, hoje possui um grande número de professores mestres e quatro professores com doutorado.

Implantados estes cursos tecnológicos, a Escola passa a estar apta a se tornar um CEFET (Centro Federal de Ensino Técnico). “Eu acho que ela já deu os passos fundamentais para este trabalho, agora precisa concretizar, elaborar um projeto pedagógico para estes cursos, fundamentar, dar a justificação deste projeto e apresentar a nós, ele será avaliado e se nós aprovarmos, como espero que venha ocorrer, nós daremos os passos para a “cefetização” desta escola”, finalizou Raul do Vale. Esta mudança na Instituição propiciará uma maior autonomia em seus trabalhos, as decisões passarão a se concentrar aqui, junto a comunidade que a Escola serve. Sem dúvida um grande avanço na qualidade do ensino profissionalizante no Sudoeste Goiano.

sábado, 1 de junho de 2002

Um rodeio que promete

Publicado na edição nº 662, de julho de 2002, no Jornal Folha do Sudoeste

De acordo com o coordenador do rodeio de Rio Verde, Lauro Chelini Dias, a competição deste ano promete ser a melhor dos últimos tempos – “queremos manter o titulo de Melhor Rodeio em Touros do País e não vamos medir esforços para oferecer um grande espetáculo para o público”, avisa. A expectativa é de receber cerca de 15 mil pessoas por dia, entre arquibancada e camarotes, que este ano terão um esquema especial de segurança, banheiros químicos e serviço de buffet.

Este ano, além de estar no calendário do circuito nacional, Rio Verde vai sediar a 7ª Etapa do Mundial Aberto de Rodeio Profissional. Além dos brasileiros, a prova terá a participação de peões dos Estados Unidos, Canadá e Austrália. Com uma arquibancada para 13.500 pessoas sentadas e 54 camarotes para dez pessoas, a estrutura montada em Rio Verde deverá receber um público de aproximadamente 60 mil pessoas este ano. O rodeio de Rio Verde vai acontecer de 18 a 21 de julho de 2002, no Parque de Exposições Garibaldi da Silveira Leão.

A premiação, de R$70 mil vai atrair os melhores peões, touros e tropeiros do país, entre eles Paulo Emílio, Toninho Ribas, Felipão, Flávio Junqueira, Silmar Colomus e Marca Tassa estarão na arena, assim como o palhaço Meia Sola, as equipes de salva-vidas Topa Tudo e Marcelo Topázio, os locutores Ivan Diniz, Piracicabano, Leandro Sato, Marco Brasil e Almir Câmara. O julgamento da competição ficará a cargo dos juízes Sebastião Procópio, José Roberto da Cunha, Rogério Vitor e Edson Matsuda, que será o fiscal de brete, atendendo uma das exigências da CNAR –Confederação Nacional de Rodeio, de verificar as esporas dos peões para evitar agressões aos animais.

O rodeio de Rio Verde terá a cobertura completa da mídia especializada, com a divulgação no site e na revista Rodeo Country, na TV Gazeta e nos sites TVOM e da Exposição Agropecuária de Rio Verde (www.expoagrorv.com.br). A CNAR montou um pool de mídia, que inclui revistas, programas de tv, jornais e outros veículos, que irá acompanhar todas as etapas do Mundial Aberto. A imprensa goiana também estará acompanhando e divulgando o evento.

A Garota Rodeio 2002 de Rio Verde foi escolhida no dia 22 de julho durante um baile promovido pelo Sindicato Rural. Bruna Ferguson Fernandes, de 15 anos foi escolhida entre doze meninas como a nova Garota Rodeio de Rio verde. Ela recebeu a faixa de Ana Paula Boengers, que representou a cidade da festa do Oscar do Rodeio no ano passado. Em segundo ligar ficou Roberta Prinsk Ribeiro e em terceiro, Marilia Cruvinel Sousa. Cerca de 800 pessoas participaram da festa, que foi animada pela banda country Mississipi. O concurso foi organizado pela comissão formada por Verena Suaiden, Mariana Leão Aguirre e Cristina Cassol, auxiliadas pela equipe feminina do Sindicato Rural. O coordenador do Rodeio de Rio Verde, o vencedor do Oscar na categoria Melhor rodeio em Touros, Lauro Roberto Dias foi um dos jurados.