Social Icons

twitterfacebookgoogle pluslinkedinemail

domingo, 5 de maio de 2002

AIDS em Rio Verde

Estudo feito por mim em junho de 2002, para composição de reportagem especial sobre a situação da AIDS no Sudoeste Goiano para o Jornal Folha do Sudoeste.

Segundo Lindaura Graciano de Napoli, coordenadora do Programa DST/AIDS (doenças sexualmente transmissíveis e AIDS), até hoje foram notificados 143 casos de incidência do virus HIV em Rio Verde, destes 135 são adultos e 8 crianças. Nestes não estão incluídos os soropositivos, ou seja, pessoas que possuem o vírus mas que não se manifesta, nem os aidéticos que procuram ajuda diretamente em hospitais particulares dos grandes centros.

O Trabalho DST/AIDS de Rio Verde consiste na notificação do caso e encaminhamento do paciente para o Hospital de Doenças Tropicais de Goiânia, além prestar auxilio quanto a locomoção até a capital, cede para estes casos de incidência da doença medicamentos extras ao coquetel anti-aids fornecido pelo Governo Federal e faz um acompanhamento psicológico destes pacientes. Outro trabalho de muita importância realizado pelo Programa Municipal é a realização de testes de HIV em todas as gestantes que procuram o serviço público na cidade, ato irrelevante na prevenção do risco de contágio que há da mãe para o feto.
Dos casos notificados em Rio Verde, existe um percentual assustador: 40% destes são de contágio da doença por uso de drogas injetáveis, através de seringas contaminadas que passam de mão em mão nos grupos de viciados, o restante das pessoas contaminadas são por meio sexual e ainda existe um caso constatado por acidente de trabalho causado por manipulação de material contaminado em hospital, além das 8 crianças que foram contaminadas no parto.

Lindaura Graciano ainda contesta a informação divulgada recentemente que houve um aumento na incidência de casos de AIDS em Goiás, o que realmente aconteceu foi um aumento do número de pessoas que procuram ajuda ou foram notificadas pelo serviço de saúde. Prova de que a população está mais consciente e o serviço público de saúde mais eficaz.

Nenhum comentário: