Social Icons

twitterfacebookgoogle pluslinkedinemail

quarta-feira, 26 de junho de 2002

Crescimento passa pelo município

Publicado na edição nº657, de 2002, no Jornal Folha do Sudoeste

Durante a realização do I Seminário “O município como agente de desenvolvimento”, o presidente do Bank Boston, o goiano Henrique Meirelles proferiu palestra à várias lideranças políticas da região Sudoeste de Goiás no último dia 22, Quarta-feira.

O Seminário, realizado pelo Jornal da Segunda e pela Acirv (Associação Comercial e Industrial de Rio Verde), no salão de eventos do Sindicato Rural de Rio Verde, contou com a presença, além de Meirelles, do diretor do Jornal da Segunda, Sebastião Barbosa da Silva, o prefeito de Sanclerlândia e vice-presidente da Associação Goiana de Municípios, Itamar Leão, o prefeito de Rio Verde, Paulo Roberto Cunha e o presidente da Associação Brasileira de Municípios (ABM), Welson Gasparini, primeiro palestrante da noite.

O evento vem com a proposta a criação de um “plano de governo” a ser oferecido ao candidatos ao Governo de Goiás nas eleições de 2002. Contado, para isso, com a participação das bases políticas e comunitárias que aderirem ao movimento.

Welson Gasparini, que proferiu palestra com o tema “O município como formador de uma nova classe de políticos e administradores”, defendeu veemente a bandeira municipalista, da descentralização administrativa, que consiste na redistribuição de responsabilidades, priorizado as administrações municipais, elas que entendem os reais problemas e necessidades de suas localidades. “Muitas vezes nós ficamos esperando as decisões de Brasília, de cúpula, quando muitas coisas nós podemos resolver nas nossas proporias cidades”, reafirmou Gasparini que ainda cobrou do eleitorado mais atenção ao votar, que dêem mais importância a itens fundamentais ao escolher um candidato. “O Brasil passa por um dos momentos mais importantes da sua historia e é um momento que a nação precisa de líderes responsáveis e idealistas”, completou o presidente da ABM, prefeito de Ribeirão Preto por três vezes, que também é Professor de Ciências Políticas, Direito Administrativo e do Trabalho, Ética e Legislação dos Meios de Comunicação. Grande líder político brasileiro que já participou de seminários nos EUA, na Alemanha, Chile e Espanha.

Já Henrique Meirelles, o palestrante mais esperado da noite, usou como tema o “Desenvolvimento regional e liderança positiva”. Inicialmente, Reafirmou a importância da municipalização, tema abordado na palestra de Gasparini: “qualquer coisa que se faça para reforçar e melhorar a eficiência do município, de fato é o caminho do crescimento”, colocou Meirelles. Usando Singapura como exemplo, um país historicamente jovem e de origem pobre, que hoje tem um renda per capita anual de US$ 33 mil, expôs sua proposta de finalidades, a ser seguida pelo Brasil, que consiste primeiramente na estabilização da moeda, seguida por um maior controle quanto aos gastos públicos. “Se o governo faz inflação, nada mais existe de positivo neste governo... Dito isso, o governo tem que ter controle fiscal, ou seja, não pode gastar mais do que arrecada, nem tomar empréstimos, porque se o governo tomar muitos empréstimos, vai subir a taxa de juros e prejudicar o desenvolvimento do país”, Explicou Meirelles. “Em primeiro lugar está a educação, educação é a base de tudo, é fundamental”, mais um dos itens abordados pelo presidente do Bank Boston, que acredita que as demais prioridades vem como conseqüência da educação, quando o povo for instruído para escolher bem seus governantes, para que estes saibam conduzir bem seus governos.

Henrique Meirelles está correndo o Estado, em Rio Verde é a segunda vez que vêm neste ano, período que ele chama de “retorno a Goiás”. Sem dúvida, uma marcha em busca de aliados políticos, visando a candidatura ao Senado que, inclusive, recebeu total apoio do presidente Fernando Henrique recentemente. Para o prefeito de Rio Verde, Paulo Roberto, a visita do candidato ao senado pelo PSDB, esquenta o clima de transição partidária, ele que foi convidado à fazer parte do partido de Meirelles após “quebrar os pratos” com o presidente de sua sigla, Pedrinho Abrão, do PTB, que quer o lugar de Marconi.

Nenhum comentário: