Social Icons

twitterfacebookgoogle pluslinkedinemail

quinta-feira, 16 de novembro de 2006

Porta-voz de coisa ruim

Texto de descrição de tipo para disciplina "Língua Portuguêsa III"

Já parou para se perguntar por quê notícia ruim chega tão depressa? Do porquê deste ditado ser tão legítimo? Não há como negar que todo mundo, seja poucas ou muitas vezes na vida, fez o papel de homem-bomba, de divulgar o que não é tão bem recebido aos ouvidos comuns, mas existe um peculiar tipo de pessoa que parece sentir prazer de receber estas notícias tanto quanto em disseminar a informação para todos que lhe derem um tostão de prosa.

Eles estão em todo lugar, seja no ônibus, em pé, pendurado ao seu lado, pronto para deixar a sua viagem e a dor nas pernas ainda mais angustiante, ou então no seu trabalho, dispostos a atrapalhar sua concentração, ao ponto de querer fazer parte da fatídica história que lhe está contando, por que melhor estaria em casa, de atestado médico, bem longe dele. Além de companheiros de viagem e de colegas de trabalho, podem ser também taxistas, faxineiras, zeladores de prédio ou pedreiros, todos aqueles para quem é só dar assunto e pronto! Está armada a tenda do espetáculo de Sexta-feira 13.

Estes indivíduos, que exercem esta função social nefasta, são difíceis de serem divididos por classes, já que, normalmente, estão aptos a profanar nossa mente com os mais variados desastres, não estão muito interessados em seguir um estilo próprio de divulgar suas macabras informações, que se entrelaçam, formatando o perfil destas pessoas que nem sempre são más, mas possuem um don de tornar desagradável qualquer papo, seja no botequim ou nos bate-papos da Internet.

Os temas propostos e dissecados com destreza, por estas pessoas, são os mais diversos, tem os que adoram falar de acidentes automobilísticos, nos trazem, em primeira mão, as notícias com o sangue ainda quente, claro, jorrado pelo asfalto, escorrendo feito água da fonte da imaginação sádica, ao chamar a atenção dos que lhe rodeiam com a desgraça alheia, sempre aumentando um pouquinho aqui, fantasiando acolá, fazendo suposições improváveis de como tudo aconteceu, pois o que querem, com este sensacionalismo, é IBOPE.

Violência é outro tema adorado por este tipo de gente, assaltos que se transformam em homicídios, briga de casal que acaba em facada, estupros que envolvam menores de idade ou então rixa entre famílias que acabam, literalmente, na bala. Possuem, para eles, a sorte de sempre estarem lá, como testemunhas oculares do fato, vêem tudo e sabem de tudo, quase sempre conhecem tanto o criminoso quanto a vítima, mas o que mais causa indignação, é o fato de que esta perfeita descrição, com esta tamanha destreza que chega aos nosso ouvidos, quase nunca vai parar nos relatórios policiais, não se prestam a cooperar com o trabalho da já muito pouco interessada classe, que tem pouquíssima estrutura para poder punir os culpados. Nesses casos, muito comuns em nossa sociedade, deixam de ser meros fofoqueiros e passam ser, desta vez, porta-vozes da impunidade, pois calam-se quando mais precisam usar sua língua afiada.

E como, para nossos porta-vozes do sinistro, desgraça pouca é bobagem, ainda há outro assunto chato que eles têm na ponta da língua coçante, este chega causar náuseas aos ouvintes, são os problemas de saúde. O corriqueiro é dizer que para todo mal existe uma cura, já para eles, todo mal existe um exemplo nefasto, sempre existe um pai da namorada do primo de segundo grau que teve o mesmo problema que você tem e acabou morrendo. Noutras vezes, do nada, aparece, sabe-se lá como (a gente nunca sabe), numa conversa, a notícia de que a tia-avó de 97 anos desta pessoa, a quem você nunca viu mais gorda, está acamada, prestes a morrer por um problema que pasmem: ninguém da família imagina como chegou acontecer. “...ela estava bem até um dias destes...”.

Porem, o pior ainda está por vir, pois quando o assunto tem haver com a própria pessoa, sai de baixo! Sua solidariedade de ouvinte e amigo vai para às cucuias tão rapidamente quanto a velocidade em que as palavras saem pela boca de nossos porta-vozes da própria desgraça. Além da outra parte ser sempre a culpada, quando se trata de acidentes e brigas, o detalhamento dos fatos é de deixar Gil Gomes acanhado. Você, como paciente ouvinte, jamais irá tirar a razão da vítima a sua frente, ouse e será amaldiçoado, pelo resto da vida, como amigo da onça! Crimes em que eles são vítimas? Há de se sentir compaixão, afinal, ninguém quer passar pelo mesmo, mas a paciência logo estoura diante da choradeira que é só dele, pois ninguém jamais passou ou vai passar por experiência tão traumatizante quanto à que passou. Por fim, se a saúde deste indivíduo vai mal, prepare o lenço e, se for possível, ligue para floricultura e encomende desde já a coroa de flores, pois vão estar sempre morrendo, doenças que você nunca ouviu falar e com os mais nojentos sintomas você vai passar a conhecer e de toda ficha médica dele você vai saber, deste a unha encravada de 82, até o tropeção na calçada do mês passado. Doente, debilitado, acamado e com o pé na cova, mas a saliva, ah, esta, infelizmente, nunca seca!

E você? Será que não se identificou com alguns dos casos? Se a resposta for sim, eu sinto muito, tenho uma péssima notícia para lhe dar, desculpe-me o pessimismo, mas você é um porta-voz de coisa ruim.

5 comentários:

João Áquila Lima dos Santos disse...

"Pau" no Bareta!

hehehehehehe!!!

Claudio Costa disse...

Tem gente que adora contar desgraças. O pior: tem gente que adora ouvi-las... Não é a toa que os jornais 'populares' têm as manchetes sangrentas: mulher, futebol e crime, eis o que vende! Os jornais televisivos (JN global, principalmente) dedicam a maior parte de seu tempo a divulgar números de mortes em mais um previsível ataque em Bagdá, um acidente de trem na Conchichina e um corno que matou a mulher em Itaquaquecetuba!

Denise Dória disse...

Ótimo texto! Muito condizente com a realidade... Tem muito porta voz de coisa ruim por aí!!!!

Beijões!

gabrielle disse...

Dar noticícias ruíns.Quem gosta?Mas algumas vezes nos obrigam,sabe como é vc perdeu,vc conta.
Imagina vc batendo na porta daquele seu vizinho mais legal,que ao te ver logo abre um sorriso cheio de felicidade,e vc esta ali p/ estragar tudo isso.Quem se sente bem?!
O pior é q vc sempre tem aquele amigo ou conhecido que so fala em desgraça,e toda vez que te v, é só coisa ruím!Vai entender...

gabrielle disse...

Dar noticícias ruíns.Quem gosta?Mas algumas vezes nos obrigam,sabe como é vc perdeu,vc conta.
Imagina vc batendo na porta daquele seu vizinho mais legal,que ao te ver logo abre um sorriso cheio de felicidade,e vc esta ali p/ estragar tudo isso.Quem se sente bem?!
O pior é q vc sempre tem aquele amigo ou conhecido que so fala em desgraça,e toda vez que te v, é só coisa ruím!Vai entender...