Social Icons

twitterfacebookgoogle pluslinkedinemail

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Orla Pôr do Sol termina calendário junino com Mania di Xote


Orla Pôr do Sol (Foto: André Moreira)

O mês das comemorações de Santo Antônio, São João e São Pedro vai embora com muita agitação no Projeto Orla Pôr do Sol, com o forró universitário da banda “Mania di Xote”. Eles se apresentam neste sábado, 30, e da mesma forma, encerram o calendário de atividades juninas, da Fundação de Cultura e Turismo de Aracaju (Funcaju).

“Essa Mania vai pegar!” É o slogan do grupo, que tem como música de trabalho a canção “Menina”. Eles têm dois anos de formação, mas já gravaram disco, onde interpretam sucessos de bandas que inspiram o trabalho da banda, como Aviões do Forró, Forró do Muído e Mastruz com Leite.

Willian e Cláudia nos vocais, João Paulo no triângulo, Tarcísio na zabumba, Rian nos teclados, Derick na bateria, Dindinho na guitarra e Danilo no contrabaixo. Estes são os oito integrantes da banda de forró que vem buscando seu espaço, com muito suingue, no cenário musical de Aracaju.

Adeptos do forró universitário, ou forró elétrico, trafegam bem nessa vertente musical que é febre por aqui e já desembarcou com boa receptividade, no Sul do país, mas no trabalho deles, o pé de serra ainda é lembrado durante o show e certamente fará parte do repertório que será apresentado na Orla Pôr do Sol. Uma forma de manter a tradição da raiz, de onde brotaram todos esses ritmos e artistas que hoje fazem a música do Nordeste.

O mais belo pôr do sol
O Projeto Orla Pôr do Sol é uma iniciativa da Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), que por intermédio da Funcaju, realiza todos os sábados, a partir das 17h, apresentações artístico-culturais, na orla, beirando o rio Vaza-Barris, do Mosqueiro, Zona de Expansão da cidade.

É a PMA, incentivando o turismo e abrindo espaço aos artistas, dando sempre preferência aos da terra. Assim também fortalece, economicamente, os pequenos empreendedores que atuam no novo cartão postal da capital sergipana, onde é apreciado um dos mais belos pôr do sol do país.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Biblioteca Ivone de Menezes comemora aniversário

Fotos: Ascom/Funcaju - Fernando Augusto
Dia 22 de junho é o aniversário de fundação da Biblioteca Municipal Ivone de Menezes Vieira. A instituição está completando oito anos e o auge da comemoração, foi o “Arraiá da Ivone”, que aconteceu nesta quarta-feira, 20. A festa é realizada todo ano, sempre em clima junino. Desta vez, teve trio pé de serra e também a participação dos alunos das escolas parceiras, com apresentações de dança.


O aniversário da biblioteca
contou com a participação do
Forró de Mala e Cuia

Quem animou a festa foi o Forró de Mala e Cuia, autêntico pé de serra, que na Ivone apresentou-se com a clássica formação em trio, com Chiquinho do Além Mar na zabumba e vocais, a triangulista Josinha e Gilsinho do Acordeon. Eles têm composições próprias com discos gravados e até show em DVD, mas não é só pelo talento de sobra que foram convidados, a ligação de Chiquinho, compositor e escritor cordelista, com a Biblioteca é próxima, sendo ele autor de 35 livros de cordel.


A professora Aparecida e sua
aluna Ana Beatriz

Além do Forró de Mala e Cuia, alunos dos 4º e 5º anos do Colégio Estadual Francisco Portugal apresentaram coreografias de dança no clima junino. A professora Maria Aparecida Oliveira Lopes conta que sempre é convidada a participar de eventos na Biblioteca e que não poderia deixar de prestigiar o espaço público com seus alunos.

“Sempre somos chamados para o Dia do Livro, Dia do Folclore, rodas de leitura e o ‘Hora do Conto’”, afirma Aparecida, que, além de indicar aos alunos que façam visitas à Biblioteca, também os leva para atividades escolares, independente dos eventos programados pela instituição.


Alunas do Colégio Francisco
Portugal apresentam coreografia

A professora Ana Lígia Coelho de Souza também trás seus alunos à Biblioteca para participar das atividades desenvolvidas no espaço. Ela trouxe os estudantes do 4º ano ao Arraial, para, com as vestes tradicionais da quadrilha junina, dançar música do mestre Luiz Gonzaga.

A estudante Ana Beatriz Jesus Oliveira, do 5º ano do Francisco Portugal, confessa não ser grande simpatizante do hábito de ler. Aluna da professora Maria Aparecida, ela, no entanto, diz gostar das atividades realizadas na Biblioteca Ivone de Menezes, principalmente da “Hora do Conto”. Quando perguntada se vir à Biblioteca com a professora ajuda a gostar mais dos livros, ela responde que sim.

Faziam parte das atividades de celebração do aniversário da Ivone de Menezes também a visita dos contadores de estórias ao Externato São Francisco de Assis, denominada “Biblioteca vai à Escola”, ocorrido no dia 13 de junho. Já na sexta-feira, 15, aconteceram duas oficinas de pinturas em garrafas de vidro, na própria Biblioteca. O arraial encerra as atividades comemorativas.


A diretora da Biblioteca, Maria José

Maria José Lima, diretora da Biblioteca, diz já ser tradição o arraial de aniversário, que acontece desde o primeiro ano completado pela instituição. “É uma forma de celebrar a data, aproveitando o mês junino. Nada mais correto do que fazermos um arraial e convidarmos os parceiros e frequentadores da Biblioteca”, destaca Maria José.

A Biblioteca
Durante esses oito anos de existência, a Biblioteca firmou parcerias sólidas com diversas instutuições aracajuas, sobretudo unidades de ensino presentes no conjunto Augusto Franco, a exemplo do Colégio Francisco Portugal e do Externato São Francisco de Assis. Tem trabalho também com as crianças atendidas pelo Peti e com usuários de unidades da Prefeitura Municipal de Aracaju, a exemplo dos idosos atendidos pelo Cras Antônio Valença Rollemberg.

Hoje, a biblioteca, administrada pela Fundação de Cultura e Turismo de Aracaju (Funcaju), recebe em média 250 visitantes por dia e possui um acervo de mais de 18 mil títulos entre livros, jornais, revistas e outros suportes audiovisuais.

O atendimento inclui consultas e empréstimos, não só para alunos das escolas parceiras, mas para qualquer pessoa que faça um cadastro simples, levando cópias do documento de identidade e comprovante de residência, além de duas fotos 3x4. A Ivone de Menezes Vieira está localizada na Praça Major Edeltrudes Teles, no Conjunto Augusto Franco, Zona Sul da Capital.

Ivone de Menezes Vieira
O nome da Instituição homenageia a militante Ivone de Menezes Vieira, que atuou na defesa das vítimas da perseguição política no regime militar de 1964. Entre eles, seu filho, o poeta Mário Jorge, falecido em 73 após ser preso pelo Exército. Marco que colocou a funcionária pública e mãe de família de vez na luta pela redemocratização em Sergipe.

Cohidro destaca orgânicos na Festa da Mandioca

Fachada do estande
da CohidroFoto: 
Ascom/Cohidro -
Fernando Augusto
Sendo a Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe – Cohidro, referência no que tange a assistência ao cultivo irrigado e agricultura orgânica no Município de Lagarto, a Prefeitura Municipal convidou e cedeu espaço para a empresa expor o trabalho que desenvolve no Perímetro Irrigado Piauí, durante a VI Festa da Mandioca, que acontece de 14 à 24 de junho, na Praça de Eventos do Tanque Grande. A Cohidro recebeu agricultores e população em geral em seu estande até o último domingo, dia 17. 

Estande da Cohidro na
Festa da Mandioca
Foto: Ascom/Cohidro -
Fernando Augusto
A Festa da Mandioca celebra anualmente, a importância que tem o cultivo e beneficiamento de derivados do produto em Lagarto. No evento, empresas que dão apoio ao setor agrícola, públicas e privadas, expuseram seus trabalhos para os produtores rurais que também têm seu papel na comemoração, mostrando seus cultivares e processos de fabricação. São esses agricultores que, por exemplo, puseram em funcionamento uma casa de farinha no local, para que os visitantes conheçam, de perto, como é a técnica secular que provem o alimento de maior presença na mesa dos Nordestinos.


No estande da Cohidro, instalado na cidade cenográfica montada pela organização do evento, os técnicos do Perímetro Piauí, estiveram, até domingo, 17, mostrando a produção orgânica que é colhida nas propriedades rurais irrigadas pela empresa. Quem visitou a Cohidro na IV Festa da Mandioca, recebeu todas as informações sobre o trabalho da empresa em Lagarto, focando na divulgação da importância do consumo de alimentos agroecológicos. 


Ainda no estande, houve uma exposição de banners de eventos realizados no município, além da distribuição de cartilhas da Cohidro e do PAIS - Produção Agroecológica Integrada e Sustentável, principal projeto que provem, para a agricultura familiar, o sistema do cultivo de alimentos livres de agrotóxicos. 


Orgânicos 
Insumos naturais utilizados
no cultivo orgânico
Foto: Ascom/Cohidro -
Fernando Augusto
Visitantes puderam conhecer os compostos naturais utilizados na agricultura orgânica, como a calda bordaleza, usado como fungicida e o extrato de nim com pimenta, inseticida capaz de evitar a ação de baratas, mosca branca e lagartas onde é aplicado, com a vantagem de não oferecer, a quem lida ou consome o alimento, o mesmo perigo de contaminação dos venenos industrializados. Ensinar essas técnicas através de palestras, material impresso educativo, oficinas e visitas técnicas aos agricultores, vem sendo o trabalho da Cohidro no perímetro Piauí. Isso complementa, garante o resultado de sua atividade principal, que é o fornecimento da irrigação. 




O técnico agrícola
Marcos Emílio
Foto: Ascom/Cohidro
São mais de 12 anos de incentivo ao cultivo de orgânicos feito pelo Perímetro Piauí de Lagarto, segundo o técnico agrícola da empresa, Marcos Emílio, tudo começou quando a empresa se empenhou em levar agricultores, que já eram assistidos pela irrigação da companhia, à participarem de palestras e eventos sobre a agricultura agroecológica em Aracaju e Neópolis. Essa iniciativa, somada à assistência técnica e os recursos hídricos necessário para irrigação oferecidos aos agricultores, fez surgir a primeira experiência no município. Foi João Pacheco o produtor pioneiro, ao colher as primeiras hortaliças cultivadas sem o uso de agrotóxicos nesta região atendida pela empresa. 




Vendo o sucesso alcançado por João Pacheco, outros agricultores de Lagarto, ficaram interessados em produzir orgânicos da mesma forma. “No começo foi muito difícil, só um agricultor aderiu à ideia, mas aos poucos os demais foram se convencendo. Mas é um processo demorado passar da agricultura convencional para orgânica, no início o produtor tem até perda de produção, vindo depois a se estabilizar de forma que ele possa concorrer no mercado”, complementou Marcos Emílio. 




Orgânicos produzidos no
Perímetro Irrigado Piauí
Foto: Ascom/Cohidro -
Fernando Augusto
Em Lagarto são hoje 16 agricultores produzindo orgânicos sob a assistência e irrigação da Cohidro, que levam às mesas sergipanas uma infinidade de produtos livres do uso de pesticidas e adubos químicos, como nabo, brócolis, vagem, rabanete, acelga, couve flor, batata doce e a macaxeira. 




Ainda segundo o técnico Marcos Emílio, é por este aspecto, de ser responsável por mudar o panorama da agricultura em Lagarto, que a Prefeitura convidou a empresa a expor na Festa da Mandioca. “Introduzimos novas culturas, como a pimenta que hoje é grande destaque no município. Somos referência em Lagarto em agricultura orgânica, em irrigação e na introdução de novos cultivares”, salienta o técnico agrícola. 




Nos 4 dias em que expôs na Festa da Mandioca, a Cohidro pode apresentar tanto ao homem do campo, como às pessoas da cidade o que é a agricultura orgânica. Surpreendidos ficaram os visitantes a constarem a qualidade do produto. “As pessoas viram, tocaram os produtos e saíram daqui admirados com os orgânicos. Pela sustância, pela consistência, durabilidade, pelo aspecto visual vívido do produto”, relata Marcos. 




A técnica em enfermagem
Eliana Silva
Foto: Ascom/Cohidro -
Fernando Augusto
É o que constata o depoimento da técnica de enfermagem Eliana Silva, moradora do povoado Colônia 13, em Lagarto, uma das visitantes do estande da Cohidro. “É diferente, ele apresenta ter mais vida, o sabor do vegetal orgânico é muito melhor. Dou preferência e até indiquei o uso aos meus familiares em Aracaju que lá ainda não conheciam”, explicou Eliana. 


O potencial que os alimentos livres de agrotóxicos tem é muito grande, ainda muitos agricultores podem aderir ao sistema, fato que certamente poderia melhorar tanto a oferta quanto o preço oferecido ao consumidor, já que produtores em grande número podem buscar no associativismo uma significativa redução nos custos, do cultivo ao escoamento até o varejo. A troca de experiência entre eles também é fator crucial no sucesso da produção agroecológica, pois a atividade é uma ideia relativamente nova, embora seja o método menos industrial de produzir alimentos. 




É o que fazem os agricultores pertencentes à Associação de Produtores Orgânicos de Lagarto, que recentemente conseguiram que 13 dos seus associados fossem beneficiados pelo Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) “Frutos da Terra”, Iniciativa do Governo Federal, em parceria com o Estado e por intermédio da Cohidro, onde os alimentos são comprados direto de quem produz e distribuídos entre as entidades assistenciais do município atendido. 




Cartilhas 
Cartilhas educativas
da Cohidro 

Foto: Ascom/Cohidro
Durante o evento, a empresa distribuiu exemplares da cartilha educativa “Produtos Alternativos para o Controle de Pragas e Doenças na Agricultura”, elaborada engenheira agrônoma e Gerente de Desenvolvimento Agropecuário da Cohidro, Sônia Loureiro e o livreto de 120 páginas intitulado “Racionalização do Uso de Agrotóxicos – Controle de Pragas e Doenças em Hortaliças Irrigadas”, de autoria do também agrônomo da Cohidro Remi Bastos. 


A distribuição foi voltada aos agricultores que visitaram o estande, iniciativa que pretende, por um lado, fazer mais produtores aderirem ao cultivo de orgânicos e por outro, conscientizar quem ainda usa agrotóxicos do modo correto e “racional” de sua aplicação na lavoura, preservando tanto a saúde de quem produz quanto dos consumidores desses alimentos. 


Na Festa da Mandioca, o período reservado à exposição do trabalho da Cohidro terminou, mas a festa acontece até o próximo dia 24, domingo. Serão várias atrações musicais, apresentação de quadrilhas juninas além de estar presente no evento o homem do campo mostrando seu trabalho, mostrando importância da mandioca para a economia e cultura o município.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Orla Pôr do Sol abre festejos da noite de São João

Foto: André Moreira
O entardecer do dia mais esperado de junho, dia 23, véspera de São João, não poderia ter outra atração a se apresentar no Projeto Orla Pôr do Sol, senão o pé de serra tradicional de Sergipe. A partir das 17h, O 'Trio Sorriso de Prata' abre a noite de festejos em Aracaju, prometendo muito forró aos visitantes da orla do Mosqueiro.

O nome que batiza o grupo é inspirado na letra da música de Mestre Josa, o Vaqueiro do Sertão. O líder é Zito do Forró, cantor e triangulista, acompanhado de José Amintas na Sanfona e o zabumbeiro José Josevan. Embora seja um autêntico trio pé de serra, Zito conta que as apresentações têm um repertório variado para atender aos pedidos do público. ”Zezé di Camargo & Luciano, Gonzagão, Cavaleiros, Falamansa, o que pedirem a gente toca”, garante o triangulista.

A história de Zito do Forró é um capítulo à parte. “Há 20 anos que canto, subo no palco e faço com que o povo venha para frente dançar”, afirma o forrozeiro, que já tocou sua música nas mais tradicionais casas de forró e espaços culturais da capital, de ontem e de hoje. Entre esses espaços estão o Forró do Candeeiro e Rua 24, onde diz ter sido um dos artistas fundadores do palco deste ambiente que hoje é chamado de Rua do Turista.

“Toquei no circo onde se apresentava Maria Feliciana, onde também tocavam Adalto e Adailton. Toquei triângulo para Gerson Filho”, relembra Zito, que embora tenha esta longa caminhada no meio forrozeiro, não recusa convite para tocar em lugar nenhum. “Tocamos em casamento, batizado, aniversário, festas de empresas, eu quero é tocar e cantar, não importa onde nem como”, expõe o cantor-triangulista.

Embora a interpretação de outros grandes autores seja o principal repertório do grupo, eles também possuem suas próprias composições, segundo Zito. “Tenho músicas para encher mais de um disco”, revela. Atualmente trabalham com a 'Na casa da vovó', um xote-vanerão que em breve pretendem lançar no mercado fonográfico.

“Quero levar um repertório de qualidade, para chamar atenção do turista, com muito arrasta pé, xote, baião, xaxado e se precisar, tocamos um bolero ou sertanejo”, cotna Zito, declarando suas intenções para a apresentação do Trio Sorriso de Prata na Orla Pôr do Sol neste sábado.

O Projeto Orla Pôr do Sol
A Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) entregou, no ano passado, a nova estrutura de lazer da orla do Povoado Mosqueiro, batizada de Orla Pôr do Sol. Encarregada da realização de eventos que atraiam sergipanos e turistas ao espaço, a Fundação de Cultura e Turismo de Aracaju (Funcaju), realiza todos os sábados, a partir das 17h o Projeto. A Funcaju leva atrações culturais, dando preferência ao artista local, de forma que mostre nossa cultura aos visitantes e gere renda, tanto a quem se apresenta quanto aos comerciantes locais.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Revista Feman





Diagramação para revista de atividade acadêmica do curso de jornalismo para as estudantes Ana Paula Machado, Daniele Major e Geislane Carvalho.

Revista Cult Art



Diagramação para revista de atividade acadêmica do curso de jornalismo para os estudantes Marcelo Ferreira, Edson Victor Lima e Felipe Coringa Fonseca.

Revista inFormando Cidadãos




Diagramação para revista de atividade acadêmica do curso de jornalismo para os estudantes Elisangela Campos e Bruno José Balbino Santos.

Revista Viva Vida


Capa 


Expediente / Índice 



Carta ao Leitor
Isis Zuzarte
Artigo
Érika Prata

Coluna Viva Melhor
Erika Prata


Reportagem - Erika Prata 

Reportagem - Erika Prata 

Reportagem - Erika Prata 

Reportagem - Isis Zuzarte 

Diagramação para revista de atividade acadêmica do curso de jornalismo para as estudantes Erika Prata e Isis Zuzarte.

sábado, 16 de junho de 2012

Marinete supera expectativas e agrada turistas


A Marinete é animada por muito
forró em todo o seu trajeto

Fotos: Ascom/Funcaju - Fernando Augusto
Maravilhados ficaram os turistas e aracajuanos que embarcaram na sexta-feira, 15, na Marinete do Forró. Parceria entre a Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) e a Viação Progresso, o ônibus tipo jardineira vai levar com a animação do autêntico pé de serra, até o dia 30 de junho, os passageiros a conhecer os principais pontos turísticos da capital.

 Embalados pelo som de Robertinho dos 8 Baixos e Trio, embarcaram na Orla de Atalaia e a primeira parada foi o Mirante do bairro 13 de Julho, de onde é possível avistar a confluência do rio Poxim com o Sergipe e o desemboque deste com o mar.

A carioca Márcia Regina Fernandes
Surpresa ficou a carioca Márcia Regina Fernandes. Ao saber da Marinete do Forró, participou da viagem e não se arrependeu. “Fiquei sabendo desse ‘onibusinho’ e embarquei. É muito animada, muito gostosa a viagem que estamos fazendo”, revelou Márcia, prometendo voltar e recomendar para os amigos.  

A segunda parada da Marinete foi aos mercados municipais Thales Ferraz e Albano Franco, onde os turistas irão conhecer além do artesanato e literatura de cordel feitos em Sergipe, saberão mais do costume alimentar do aracajuano na feira mais movimentada da capital. Dali seguiram viagem para a Orla do Bairro Industrial, onde se pode ter excelente vista da Ponte Aracaju-Barra dos Coqueiros e conhecer o Centro de Artesanato Chica Chaves.

A Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Funcaju) é quem organiza o trajeto e disponibiliza os profissionais de turismo que orientam os turistas na Marinete, que é também customizada com decoração junina. A guia Tânia Bruno conta que os turistas ficam surpresos ao descobrir que o passeio é gratuito, fator relevante para o projeto que visa tão somente mostrar os cartões postais da capital e de tabela, divulgar nossa cultura.

“Como já são 12 anos de Marinete do Forró, rapidamente os turistas ficam sabendo do serviço. Os 40 lugares logo se esgotam de tanto que é a procura”, esclarece Tânia Bruno, revelando que para o primeiro dia, foram superadas as expectativas dos passageiros que eram esperados para a Marinete.

Lúcia e seus pais Olga e José
Lúcia Tobias, funcionária pública em Belo Horizonte, já veio à Aracaju e conhecia a Marinete, gostou e dessa vez voltou acompanhada dos pais, os aposentados José Tobias e Olga Tobias. José Tobias trabalhou no ramo de turismo e estava muito contente com a animação do passeio, deixando claro que voltará à nossa capital. “A iniciativa do prefeito, em colocar esse passeio e os shows musicais, abertos ao público, é excelente, o governo está de parabéns”, complementou Lúcia.

A atração musical

Robertinho dos 8 Baixos e Trio 
ao lado da Marinete do Forró 
Robertinho dos 8 Baixos e seu Trio pé de serra vão animar a viagem todos os dias, até dia 30.  Sem perder o equilíbrio e com muita harmonia, toca sua sanfona enquanto o veículo balança e faz as curvas. A perícia do forrozeiro não é por menos, ele está desde o começo, há 12 anos, tocando na Marinete. “A gente fica muito satisfeito, orgulhoso em poder representar Aracaju culturalmente e mostrar para pessoas de todo Brasil, o nosso forró pé de serra, autêntico, que é nosso!”, declarou Robertinho, revelando que o repertório vai ser de muito Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro e Clemilda, mãe do sanfoneiro. 


O gaúcho Cláudio Bertami
O gaúcho Cláudio Bertami, de férias em Aracaju, também não sabia da existência da Marinete do Forró, veio à cidade por recomendação de amigos e está adorando às férias na capital. Para ele, agradou muito o som de Robertinho. “Gonzagão está sendo reverenciado à altura!” exclamou Cláudio, aposentado que pretende, repetir a viagem no outro roteiro que o passeio fará até a Orla Pôr do Sol.

O trajeto
De segunda a sexta-feira, até o dia 30 de junho, a Marinete do Forró parte, às 14 horas, da Orlinha da Coroa do Meio, percorre a Orla da Atalaia até o final da Passarela do Caranguejo recolhendo os turistas. Segue pela avenida Beira Mar até o Mirante da Praia Formosa, no bairro 13 de Julho onde faz uma pequena parada e segue até os mercados Antônio Franco e Thales Ferraz para mais visitas.

Dalí parte para a Orla do Bairro industrial, onde visitam o Centro de Artesanato Chica Chaves. A próxima parada é no Mirante da Colina de Santo Antônio. Depois vão para a praça Olímpio Campos, onde os turistas conhecem a feirinha, o Centro de Turismo, o Museu do Artesanato, a Catedral Metropolitana e a Galeria de Arte Álvaro Santos. Retornam então direto para o ponto de partida, trajeto com direito à vista panorâmica à Ponte do Imperador e o novíssimo Museu da Gente Sergipana.

Nos sábados e domingos, a Marinete do Forró toma outro ‘rumo’ e horário de saída. Parte também da Orlinha ás 16h, seguindo pela rodovia José Sarney, passa na avenida Doutor José Domingos Maia e segue pela Rodovia dos Náufragos, até chegar na Orla Pôr do Sol, no Mosqueiro, Zona de Expansão de Aracaju.

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Projeto Orla Pôr do Sol traz ritmo do forró universitário


O cantor Thiago Ricardo se apresenta neste sábado, 16, no Projeto Orla Pôr do Sol. Animado com a época junina, ele promete repertório exclusivo com os ritmos símbolos do Nordeste, do pé de serra ao universitário.

Há 12 anos cantando forró, sertanejo e arrocha, Thiago vem mostrar no Projeto sua arte, que segue a linha da música feita para os jovens, a exemplo dos sucessos interpretados por bandas como Mastruz com Leite, Aviões do Forró e Falamansa, mas que em períodos juninos, onde a tradição do pé de serra aguça, o artista incrementa seu repertório com canções de artistas como Flávio José.

O cantor é intérprete da noite, onde leva sua animação a casas de show da capital, mas possui CD promocional gravado com música própria: o arrocha universitário “Enchendo e Virando”. Assim o artista também quer galgar espaço entre os grandes nomes da música popular de Sergipe. “Venham, os sergipanos e turistas, conhecer meu trabalho na Orla Pôr do Sol neste sábado”, convida Thiago.

Orla Pôr do Sol
O Projeto Orla Pôr do Sol é realizado pela Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), sob a organização da Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Funcaju), sempre aos sábados, a partir das 17h, na nova Orla à beira do rio Vaza-Barris, no Mosqueiro. A PMA pretende com a iniciativa, contemplar o comércio da localidade, com atrações culturais fixas que atraíam mais visitantes aos estabelecimentos de lazer instalados ali, sem falar da opção de entretenimento, voltada também aos turistas, criada a partir disso.

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Autêntico pé de serra invade Orla Pôr do Sol


O clima de festa junina já invadiu a cidade. O forró pé de serra do "Trio Abusados da Roça" se apresenta neste sábado, 9, no Projeto Orla Pôr do Sol, dando um "tira gosto" do que vem por aí no melhor São João do Brasil, realizado entre os dias 15 a 29 de junho, na capital sergipana.

A legitimidade deste trio pé de serra não vem só da formação clássica sanfona-zabumba-triângulo, nem das tradicionais músicas interpretadas ou pela indumentária matuta que vestem. Trata-se de um grupo formado no seio da quadrilha junina que leva o mesmo nome da atração. Os ‘Abusados da Roça' são oriundos do Bairro América, localizado na zona oeste da capital, e possuem presença confirmada tanto nas competições oficiais do Estado, como também em grandes festividades juninas, a exemplo da Rua São João e Forró Caju.

Além de atuar como marcadores de quadrilha, os músicos também mostram todo seu talento em apresentações dentro e fora do Estado, encantando o público em cada apresentação. O CD homônimo ao Trio, lançado em 2008, tem músicas de grandes autores como Luiz Gonzaga e Cara Veia, além de canções de artistas locais, como "O balão subiu" do compositor sergipano Pavio do Forró.

Composto por Edmilson dos Santos França (triângulo), Olivan (sanfona e vocal) e Elder (zabumba), os ‘Abusados da Roça' prepararam um repertório especial para o show na Orla Pôr do Sol, alternando entre o forró tradicional de Luiz Gonzaga e Trio Nordestino, como de novos intérpretes do ritmo da vaquejada do Sertão, como Mano Walter.

Orla Pôr do sol
A PMA, por intermédio da Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Funcaju), realiza todos os sábados, o Projeto Orla Pôr do Sol, no Mosqueiro, Zona de Expansão de Aracaju. As atrações musicais começam às 17h, sempre acompanhando o poente à beira do Rio Vaza Barris. O evento representa uma excelente oportunidade de usufruir o moderno complexo turístico construído pela Prefeitura, que ampliou a oferta de lazer na cidade e incentivou a economia dos moradores locais.

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Luiz Gonzaga e cultura local são os destaques do Fórum do Forró


A programação junina da Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) começará com uma grande homenagem ao ‘Rei do Baião' Luiz Gonzaga, no XI Fórum do Forró, que neste ano acontece no Teatro Ateneu, nos dias 5 e 6 de junho. Em seguida, de 15 a 29 do mesmo mês, o Forró Caju, tradicional festa que encanta os sergipanos e turistas, prossegue prestando o devido reconhecimento ao "mestre" e em comum, os dois eventos irão dar atenção e espaço ao cenário musical de Sergipe. Os pontos turísticos, o folclore e os artistas da capital também fazem parte do itinerário da Marinete do Forró, que nesse ano começa a circular no dia 15 de junho e vai até o final do mês.

Organizado pela Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Funcaju), o Fórum do Forró promove o debate entre artistas, pesquisadores e sociedade, sobre o ritmo musical que mais identifica o Nordeste. Desta forma, cria um ambiente de resgate da cultura regional em Aracaju, abrindo espaço de discussão e dando voz ao artista da terra, que também será agraciado por palestras, lançamento de livros, apresentação de vídeos e shows musicais.

Prestam homenagem aos 100 anos de Luiz Gonzaga, cantando no XI Fórum do Forró, os cantores Sergipanos Erivaldo de Carira, Luiz Paulo e os renomados nordestinos Genival Lacerda, Alcymar Monteiro, Trio Nordestino, Targino Gondim, João Cláudio Moreno e Chambinho do Acordeon. O Quinteto Sanfônico de Aracaju encerrará o evento com apresentação musical com canções do Rei.

Serão lançados em Sergipe dois livros que tratam da vida e obra do homenageado do Fórum, "O Rei e o Baião" de Bené Fonteles, enciclopédica obra sobre Luiz Gonzaga; e "Mestre João Silva: Prá não morrer de tristeza" de Zé Maria, contando a história da parceria entre o Rei do Baião e o compositor João Silva, ele que também virá ao Fórum dar seu depoimento. Os autores irão autografar suas obras e proferir palestras durante o evento, uma grande oportunidade para a troca de experiências entre gerações.

Para diretor de Patrimônio Cultural da Funcaju, Geraldo Krauss, o evento vai fazer um grande tributo ao maior dos nomes do forró e ao mesmo tempo, contribuir com a cultura local, transmitindo o conhecimento a quem participa. "Gostaríamos de além de trazer palestrantes que conviveram e conheceram Luiz Gonzaga, homenageá-lo com o lançamento de livros", complementa, ainda revelando que nesta edição, o local terá decoração festiva sobre os 100 anos do "Mestre Lua".

O Fórum do Forró, em 2012, troca de endereço ao deixar o Centro de Convenções de Sergipe e voltar para o Teatro Atheneu, que passava por reforma, onde poderá comportar mais participantes que na edição anterior. "Tivemos uma média diária de 300 convidados nos três dias do Fórum em 2011. No Atheneu que tem capacidade maior, cremos que este número irá aumentar consideravelmente", explica Paulo Correia, produtor e idealizador do evento que neste ano, começará a partir das 18 horas do dia 5 de junho.

Marinete do Forró
Durante o período de festas juninas, turistas e quem vive na capital, poderão percorrer um trajeto que visita os principais cartões postais de Aracaju, como os Mercados Centrais, Mirante da 13 de Julho e Alto da Colina do Santo Antônio. A Marinete do Forró é um projeto da PMA, via Funcaju, em parceria com a Viação Progresso. Além da viagem, oferece gratuitamente guia turístico explicando a história de cada local, com a animação garantida de um trio pé de serra, composto por artistas locais.

A Marinete, de 15 a 30 de julho, sai de segunda a sexta, da Orlinha da Coroa do Meio, sempre às 14h, percorre seu percurso até a Orla do Bairro Industrial, visita as atrações do Centro da cidade e termina a viagem na praça de Eventos da Orla de Atalaia. Já aos sábados e domingos, a saída é às 16h, percorrendo agora as praias de Aracaju até chegar à Orla Por do Sol, depois de uma hora retorna, com destino final do passeio também na praça de Eventos.

Forró Caju 2012
Além das atrações musicais, que fazem sucesso tocando e cantando a música nordestina em todo Brasil, bandas e músicos da capital e interior de Sergipe terão seu espaço ampliado nos palcos desta edição do evento. A preocupação da Funcaju, também organizadora da festa, foi de garantir que 70% dos artistas fossem daqui. "Teremos no mínimo sete artistas locais tocando a cada dia do Forró Caju, distribuídos entre os 3 palcos. No total serão 100 atrações do Estado, entre cantores, bandas e trios pé de serra", lembra Geraldo Krauss.

"Um evento deste porte é muito importante para o nosso município, organizamos tudo da melhor forma possível para que os turistas e os sergipanos possam curtir os 14 dias de festa na maior tranquilidade e conforto. O Forró Caju já se consagrou como um dos maiores festejos juninos do Nordeste, desta maneira gerando emprego e renda para nosso povo, além de aquecer a economia e movimentar o turismo na nossa região, pois é nesta época que Sergipe se torna um dos destinos mais procurados do Nordeste. Por isso só temos o que comemorar", destaca o presidente da Funcaju, Waldoilson Leite.

O Forró Caju acontece de 15 a 29 de junho na praça dos mercados municipais Albano Franco e Thales Ferraz, no Centro de Aracaju. Para quem ainda não viu a programação completa da festa, assim como do XI Fórum de Forró e Marinete do Forró basta acessar: http://www.aracaju.se.gov.br/pdf/programacao_forroCaju2012.pdf