Social Icons

twitterfacebookgoogle pluslinkedinemail

terça-feira, 31 de julho de 2012

Agosto é o mês do samba na Orla Pôr do Sol

Uma programação dedicada a mostrar os grupos de samba nascidos na capital foi preparada pela Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Funcaju) neste mês de agosto, para o Projeto Orla Pôr do Sol. Para começar, tem o partido alto do grupo “Na Mesa de Samba” neste dia 4. Todo sábado, a partir das 17 horas, acontecem as apresentações no Mosqueiro, Zona de Expansão de Aracaju.

Társio Rogeres no vocal, Alison Santos no rebolo e voz, Cleto Barbosa no cavaquinho, Neto no violão, Vitor de Praga no banjo, Junior no surdo e tamborim, Bruno no pandeiro e o baterista Robinho, formam o Na mesa de Samba. Eles tem um ano e três de formação, mas mostram competência fazendo samba de raiz aqui na terra do forró, visto pelas as manifestações do seu público, que lotam os ensaios abertos realizados pelo grupo semanalmente.

Lara Lima, produtora musical do octeto, diz que o som dos rapazes agrada todas as idades e variados tipos de público, pois tem em seu repertório, canções das novas gerações de sambistas assim como os da velha guarda. “Vem o pessoal mais idoso, nos ensaios e pede tipo Cartola, vem a garotada e pede uma de Diogo Nogueira. Se não der para tocar nesse, eles voltam para ouvir no próximo”, revela.

Pretendem lançar, para o final de agosto, o primeiro disco com músicas que mesclam composições próprias a clássicos do samba tradicional, de novos e antigos carnavais, há exemplo de Revelação, Arlindo Cruz, Raça Negra, Bom Gosto e Jorge Aragão. Esse também é o repertório apresentado por eles nos shows. Para a Orla Pôr do Sol, estreiam uma nova seleção de canções, trazendo gente nova ao seleto grupo de homenageados pelo grupo, conta a produtora Lara, que convoca a todos para ouvir neste sábado, o Na Mesa de Samba. “É um som muito animado e bem gostoso de ouvir”, anuncia.

O palco
O Projeto Orla Pôr do Sol é realizado pela Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), sob a organização da Funcaju, na nova orla à beira do rio Vaza-Barris, no Mosqueiro. A PMA pretende com a iniciativa, contemplar o comércio da localidade, com atrações culturais que atraíam mais visitantes aos estabelecimentos de lazer instalados ali. Sem falar da opção de entretenimento, voltada também aos turistas, criada com as apresentações, que evidenciam e dão oportunidade de trabalho aos artistas locais.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Tem luau e rock n’ roll no Projeto Freguesia

O último Projeto Freguesia de julho promete agradar bastante ao público jovem e alternativo da capital, embora esteja aberto a todos os gostos. Sábado, 28, tem a MPB contagiante da cantora Carla Leal, na Feira de Aratipe, instalada na Orla da Atalaia, a partir das 20h. Domingo é a vez do rock progressivo do Som Invisível na feira da praça Tobias Barreto, no bairro São José, a partir das 18h.

A banda Som Invisível tem dois anos de estrada e a atual formação conta com João Valiati no baixo e vocal, o baterista Denis Arcanjo, Alex Guimarães na guitarra e o tecladista Suellio Brendo. “O mundo invisível”, “Tereza” e “Relatos de uma fuga” são músicas que compõem o CD homônimo lançado pela banda neste ano. O disco teve tamanha repercussão ao ponto do grupo ter sido chamado para tocar no Rio de Janeiro durante o Festival Intercultural América do Sul. A viagem, eles conseguiram concorrendo ao edital de intercambio e difusão cultural, da Secretaria de Estado da Cultura de Sergipe (Secult), o que prova o profissionalismo e o talento dos rapazes.

Cantora e percussionista, Carla Leal é uma intérprete que se habituou em tocar os sucessos de grandes compositores da música brasileira fazendo releituras, misturando ritmos e criando variações dançantes dessas músicas. Apresentando-se novamente no Freguesia, a cantora volta agora acompanhada pelo violão de seu amigo Pretinho. Canções de bandas como Legião Urbana, Barão Vermelho e O Rappa também farão parte de seu repertório em clima de luau, sempre regados com muito swing e pegadas de black music.

O projeto
A Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), por meio do trabalho conjunto da Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Funcaju) e a Fundação Municipal do Trabalho (Fundat), realiza o Projeto Freguesia, introduzindo atividades culturais ao ambiente das feiras de comidas típicas e artesanato da capital. A iniciativa visa agregar maior público e renda aos feirantes, além de criar atrativos de lazer para turistas e aracajuanos.

terça-feira, 24 de julho de 2012

Choro de Brasileiríssimo estreia na Orla Pôr do Sol

Orla Pôr do Sol (Foto: André Moreira)
Correspondendo ao mês dedicado ao chorinho no Projeto Orla Pôr do Sol, julho termina com a apresentação do jovem grupo Brasileiríssimo. O show ocorre neste sábado, 28, a partir das 17 horas. O evento semanal é uma iniciativa da Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) por meio da Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Funcaju), com o objetivo de incentivar a cultura, o turismo e a geração de renda no Mosqueiro, Zona de Expansão da capital.

Está será a primeira oportunidade, dentro do calendário oficial de eventos da cidade, que os chorões têm nesses 6 meses de formação do grupo. O quarteto, formado por Ricardo Vieira no violão 7 cordas, a pandeirista Brisa Corso, o bandolinista Fernando Cordeiro e Maiume na voz e clarinete, está bastante empolgado com a oportunidade.

“Este espaço aberto na Orla Pôr do Sol é muito importante para a cultura de Aracaju, pois cria oportunidades ao artista local para mostrar seu trabalho. Temos muito a agradecer pela oportunidade”, declarou o violinista Ricardo, durante a sessão de gravação do primeiro disco do grupo. Eles pretendem lançar em agosto um CD promocional com 4 canções, sendo a principal música de trabalho “Maxichoro”. Para janeiro, pretendem lançar o fonograma completo.

O trabalho que o “Brasileiríssimo” está fazendo em estúdio é formado por composições próprias do grupo, mas em suas apresentações acrescentam ao repertório canções de mestres a exemplo de Pixinguinha, Jacó do Bandolim e Ernesto Nazaré. Nas versões do quarteto, as músicas são interpretadas de maneira diferente das versões originais, dando mais ênfase ao chorinho cantado. “Damos uma nova roupagem ao choro tradicional, resgatando o uso da voz em músicas geralmente interpretadas de maneira instrumental”, conclui Ricardo.

Orla Pôr do sol
A PMA, por intermédio da Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Funcaju), realiza todos os sábados, o Projeto Orla Pôr do Sol. As atrações musicais começam às 17h, sempre acompanhando o poente à beira do rio Vaza-Barris. O evento representa uma excelente oportunidade de usufruir o moderno complexo turístico construído pela Prefeitura, que ampliou a oferta de lazer na cidade e incentivou a economia dos moradores locais.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Novos talentos fazem o Projeto Freguesia deste fim de semana


Neste fim de semana, o Projeto Freguesia, organizado pela Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Funcaju) tem programação eclética e abre espaço para novos talentos. Na Feira de Aratipe, Orla da Atalaia, Francis Souza toca e canta MPB, neste sábado, 21, a partir das 20h. Domingo, a partir das 18h, tem o som alternativo dos Lêmures, na feira da Praça Tobias Barreto, bairro São José. Ambas as feiras, oferecem tradicionalmente aos seus “fregueses”, comidas típicas e artesanato.

Os artistas
Baiano de Ilhéus, Francis Souza é multi-instrumentista e cantor. Tão variado quanto suas funções artísticas é o repertório que geralmente apresenta em seus shows. “Músico que é músico da noite tem que se adaptar”, declara ele, em referência aos novos ritmos, que se esmera em aprender e satisfazer os pedidos de seus expectadores. Começou cedo na música, fazendo cover de Legião Urbana e posteriormente samba de raiz, em formações que tiveram sucesso em sua terra natal. Apresenta-se no sábado, acompanhado do percussionista Renan e o baixista Miguel. Promete muita MPB, com ênfase nos autores nordestinos, principalmente no jeito excêntrico de fazer música dos seus conterrâneos.

Vencedores das categorias “melhor música” e “melhor interprete” com a canção “Aos teus poréns”, no Festival da Aperipê de 2011, os Lêmures ainda vão completam um ano de formação em agosto. Tanta precocidade mostra o talento de Igor Bacelar e Allysson Thierry nas guitarras, Neyzinho no baixo, o baterista Angelo Linhares, e Josué Felipe Maia cantando. Fazem um som alternativo e experimental, viajando do rock até chegar na bossa nova, passando por diversos outros estilos e vertentes. Os novatos já participaram de coletâneas da Plataforma de divulgação Zamus e no disco do carioca Löis Lancaster. Recentemente, conquistaram a classificação no Festival intercultural da América do Sul, com possibilidade de ir tocar na Argentina.

O palco
A Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), por meio do trabalho conjunto da Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Funcaju) e a Fundação Municipal do Trabalho (Fundat), realiza o Projeto Freguesia, introduzindo atividades culturais ao ambiente das feiras de comidas típicas e artesanato da capital. A iniciativa visa agregar maior público e renda aos feirantes, além de criar atrativos de lazer para turistas e aracajuanos.

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Intérpretes da MPB fazem o fim de semana no Projeto Freguesia

(Foto: Ascom/Funcaju)
O Projeto Freguesia, onde a Fundação Municipal de Cultura e Turismo de Aracaju (Funcaju) leva apresentações artísticas às feiras culturais organizadas pela Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), terá duas grandes intérpretes da MPB na edição deste fim de semana. Ivana Dantas vai cantar neste sábado, 14, na Feira de Aratipe, localizada na Orla da Atalaia, a partir das 20h. Já a cantora Dilma Prata se apresenta domingo, 15, na feira da praça Tobias Barreto, no bairro São José, a partir das 18h.

Ivana atuou por duas décadas no axé music de Salvador, onde chegou a fazer turnês pelos EUA e Europa, como back vocal de Daniela Mercury por 4 anos. Hoje, em Aracaju, divide seu tempo entre a carreira solo de intérprete e o vocal de apoio nos shows da banda de forró Rojão Diferente. Já lançou o CD solo de axé “Bem Brasileira - volume 1”, produzido pelo selo Caco de Telha de Ivete Sangalo. Agora está em fim de trabalhos para lançar o volume 2, em que faz releituras em MPB de clássicos do estilo. No sábado, ela se apresenta cantando acompanhada de violão. Quem for, vai ouvir, segundo a cantora, os sucessos da música popular interpretados de uma “forma bem diferente e pessoal”.

No domingo, o samba vai tomar conta da praça Tobias Barreto na voz de Dilma Prata. Ela tem seis anos de carreira, tanto como cantora solo, como também atuando nas bandas Luiza Lu e Forró Capô de Fusca. Em 2010, em seu trabalho individual, lançou o CD “Relíquias”, com versões românticas para músicas de artistas como Milton Nascimento, Rita Lee e Roberto Carlos. No ano seguinte, foi a vez do álbum “Sucessos de Ouro”, mais voltado para a MPB em ritmo dançante, com sucessos de Roberta Miranda, Marcio Greyk e Tim Maia dentre outros. No show deste fim de semana, ela vai se apresentar na companhia dos violões de Gil Castro e percussão de Clay Gibson. “Venham todos para a gente sambar!”, convida a interprete.

Trabalho, cultura e turismo
A PMA vem realizando as Feiras Livres de Cultura e Arte Popular, por meio da Fundação Municipal do Trabalho (Fundat) , que abre espaço tanto para artesãos exporem e comercializarem seus trabalhos, como também quituteiros oferecerem suas comidas típicas. Somado a isso, entra a Funcaju com o Projeto Freguesia. As atrações artísticas atraem mais público às feiras, inclusive tornando estes encontros atividades culturais diversificadas e aptas a receberem os turistas que visitam a cidade.

terça-feira, 10 de julho de 2012

Sábado tem chorinho na Orla Pôr do Sol


Orla Pôr do Sol (Foto: André Moreira)

Ritmo derivado do samba, que geralmente canta em seus versos os assuntos do coração, o chorinho é coincidentemente a especialidade do cardiologista José Carlos Santana, que canta e toca seu bandolim no Grupo Bom de Nós. Eles são a atração deste sábado, 14, do Projeto Orla Pôr do Sol da Fundação Municipal de Cultura e Turismo de Aracaju (Funcaju).

O grupo Bom de Nós surgiu em 2001. Idealizado por José Carlos, passou por várias formações diferentes até chegar a atual que tem, além do cardiologista, o também médico João Lima tocando saxofone; o funcionário público Carlos Henrique Luthinni e seu cavaquinho; o representante comercial Juarez Amaral, que canta e toca pandeiro; o músico Willams Santos no violão e o enfermeiro e violonista Ricardo Vieira, com seu 7 cordas, acompanhado da esposa Maiume Vieira, cantora.

O grupo pretende lançar, em outubro, o primeiro CD, feito só de composições próprias, autoria do líder José Carlos. Em suas apresentações, o Bom de Nós interpreta não só o seu choro, mas também músicas de outros artistas do estilo, da MPB e do samba-canção a exemplo de Noel Rosa, Pixinguinha, Valdir Azevedo, Jacó do Bandolim, Cartola, Tom Jobim e Paulinho da Viola.

Os sete chorões apresentam sua música com frequência semanal, em casas noturnas de Aracaju, mas também recebem convites para shows fora do Estado. Como a confirmada ida à Brasília, sem data confirmada até o momento, para tocar no tradicional Clube do Choro.

Orla Pôr do Sol
A Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) buscou no Projeto Orla Pôr do Sol, organizado pela Funcaju, um instrumento que aliasse a necessidade de incentivar a cultura e o trabalho dos artistas locais, à oferta de opções de atrativos turísticos na capital. Além de desenvolver, trazendo visitantes, o comércio de lazer na nova orla do Mosqueiro, na Zona de Expansão, construída às margens do rio Vaza-Barris.

sexta-feira, 6 de julho de 2012

MPB e arrocha reabrem o Projeto Freguesia

(Foto: Ascom/Funcaju)
Após um pequeno intervalo dado à estrutura e artistas, reservando todos os esforços da Fundação Municipal de Cultura e Turismo de Aracaju (Funcaju) aos festejos juninos, o Projeto Freguesia volta neste mês de julho. Sábado, 7, a partir das 20h, na Feira de Aratipe, localizada na Orla da Atalaia, tem a MPB de Gil Castro e no domingo, 8, tem o arrocha de Elvis Nascimento, a partir das 18h, na praça Tobias Barreto, bairro São José.

Gil Castro é um dos grandes nomes da MPB sergipana, por suas atuações em todas as edições regionais do Canta Nordeste, alcançando seu auge no festival em 1993, quando representou o Estado, após vencer a etapa local, com a canção autoral “Abram Alas”. Ao todo são 120 canções compostas, 4 CD’s gravados nesses 44 anos de palco, festejados agora pelo lançamento do DVD “Brilho e Luz”, onde o cantor interpreta sucessos, acompanhado por orquestra, coral e quadrilha junina. “Procuro moldar o repertório e tom das músicas ao tipo e origem do público”, conta Gil, que na Feira de Aratipe, promete agradar turistas, fregueses e feirantes, fazendo voz e violão combinado com a percussão de Clay Gibson.

O arrocha de Elvis Nascimento tem o tempero dos ritmos do Norte do país. Maranhense, mas influenciado pelo Pará, tem 10 anos de carreira e é sobrinho do já falecido e também músico Adelino Nascimento, de quem Elvis herdou canções que fazem sucesso em sua voz.  “Na pegada do arrocha” é o nome do CD gravado por ele, com músicas autorias como “Quem ama não mata”, sucessos do tio e de artistas consagrados como Amado Batista e Zezé di Camargo. “Vou fazer um show apaixonado, todo de coração ao público presente”, diz o cantor que assume sozinho o palco na praça Tobias Barreto, tocando violão e teclado.

O Projeto Freguesia
No Freguesia, a Funcaju leva cultura às feiras livres da Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), organizadas em parceria com a Fundação Municipal do Trabalho (Fundat). A iniciativa prioriza a geração de renda aos pequenos empreendedores e artesãos que comercializam nesses espaços. O turismo também é foco do projeto, criando mais esse destino para as compras, alimentação com comidas típicas e entretenimento aos visitantes.

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Orla Pôr do Sol começa o mês de julho com mais forró

Orla Pôr do Sol (Foto: André Moreira)
Para quem ainda está no clima junino, ou aqueles visitantes que continuam em Aracaju depois do período de festas e querem apreciar nossa cultura e dançar ao som do legítimo pé de serra, a Fundação Municipal de Cultura e Turismo de Aracaju (Funcaju) leva o trio Forró Pesado para o Projeto Orla Pôr do Sol deste primeiro sábado de julho.

Composto por Adalto do Acordeon, o zabumbeiro Rodrigo e Odoniel no triângulo, o Forró Pesado tem 15 anos de estrada, levando o autêntico forró por todo Sergipe e estados vizinhos, como Bahia e Alagoas, além do Ceará.

Os três músicos se revezam na interpretação vocal de canções próprias, como a 'Aracaju é Forró' e músicas dos artistas que inspiram o trio, como os mestres Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Zinho, Flávio José e o Trio Nordestino.

O longo caminho percorrido pela banda Forró Pesado rendeu um disco gravado, com músicas autorias e dos mesmos forrozeiros que inspiram o repertório dos shows. Para este do dia 7,  Adalto prepara aos turistas e aracajuanos, uma apresentação ainda no clima dos festejos dos juninos. "Vamos fazer uma festa muito bonita e passar momentos agradáveis, junto ao público na Orla Pôr do Sol", anuncia o sanfoneiro, que ainda agradece, por mais este espaço cedido, pela Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), aos artistas sergipanos.

Turismo, cultura e economia
Incentivar a visitação ao mais novo ponto turístico de Aracaju, a Orla Pôr do Sol, beneficiando os pequenos e médios comerciantes do Povoado Mosqueiro, Zona de Expansão da capital. Este é um dos papéis do Projeto, promovido pela PMA, sob a organização da Funcaju, que trabalha pelo impulso ao trabalho dos artistas locais e do turismo na cidade. As apresentações culturais acontecem sempre aos fins de tarde, todo sábado, a partir das 17h, com entrada franca.