Social Icons

twitterfacebookgoogle pluslinkedinemail

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Setembro é mês de instrumental na Orla Pôr do Sol


A programação de setembro para o Projeto Orla Pôr do Sol, realizado pela Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), está pronta e reserva aos visitantes da Orla a descontração da música instrumental. No sábado, 1º, a partir das 17h, o projeto traz o piano de Karllos Olivier.

Como muitos instrumentistas, Karllos deu os primeiros passos na música tocando no grupo de sua igreja, em 1997. Logo seu talento foi convidado a estrelar nos palcos do axé e do forró sergipanos, até chegar à banda Lua de Prata. Em 2008, ele decide evoluir sua música e aderir a carreira solo, impulsionado a interpretar artistas do piano como Richard Cleyderman.

Em 2011, lançou um CD instrumental como tributo a Roberto Carlos, com canções do Rei em seu piano e saxofone. Participa também do disco, em uma faixa, a sua irmã e cantora Lena Olivier. Já em abril deste ano, foi a vez de Karllos lançar o “Alma Sergipana”, contendo quatro canções de sua autoria, em diversificados ritmos populares, além de interpretar músicas da MPB regional, com canções de Chiko Queiroga e Antônio Rogério, Paulo Lobo, Antônio Miguel, dentre outros renomados sergipanos. Uma coletânea feita em arranjos instrumentais e celebrada pelos artistas homenageados.

Agora Karllos Olivier pretende participar do próximo festival Sescanção, inscrevendo as canções “Dialogo” e “Jesus meu ombro amigo”, do seu recém-lançado disco. No sábado, na Orla Pôr do Sol, ele vem acompanhado do saxofonista Ângelo Matos e vai focar e reforçar a divulgação das canções do seu último CD, a exemplo da apresentação que fez no Projeto Freguesia, também organizado pela Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Funcaju), em abril último.

O projeto
Após entregar à população do Mosqueiro, na Zona de Expansão de Aracaju, a Orla às margens do rio Vaza-Barris, a PMA incumbiu a Funcaju de organizar, periodicamente, atividades culturais que incentivassem o turismo no local. Assim, foi criado o Projeto Orla Pôr do Sol. A iniciativa gera renda aos pequenos comerciantes instalados no complexo de lazer, além de abrir mais este espaço para o artista local apresentar seu trabalho.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Folclore Sergipano é tema de palestra na Clodomir Silva

O palestrante Jorge Marcos expôs as principais
atividades folclóricas de Sergipe
(Fotos: Ascom / Funcaju / Fernando Augusto)

Os grupos de cultura popular de Sergipe foram tema de uma palestra ilustrada que, nesta quinta-feira, 23, foi ministrada na Biblioteca Municipal Clodomir Silva pelo professor de História Jorge Marcos. Parte do projeto "Livro Vivo", a atividade está inserida no calendário de ações que a Fundação Municipal de Cultura e Turismo de Aracaju (Funcaju) organizou para comemorar o Dia do Folclore, celebrado dia 22 de agosto.

O objetivo da palestra era instigar o interesse dos jovens pelas tradições folclóricas regionais, ao mesmo tempo em que a existência da biblioteca era apontada como um significativo auxílio a esse processo. Além de incitar a vontade de conhecer, in loco, as manifestações que continuam vivas, os participantes também foram estimulados a pesquisar sobre aquelas que fazem parte do nosso passado.

Estudantes do 7º ano do Colégio
 Estadual General Siqueira assistem
a palestra sobre o folclore sergipano
O palestrante Jorge Marcos, que é professor e técnico em Assuntos Historiográficos da Biblioteca, expôs aos participantes, com o auxílio de vídeos e fotos das manifestações do folclore regional, suas pesquisas pela História de Sergipe. Do acordo com o professor, expressões culturais como Lambe-sujo, Bacamarteiros, Taieira, Reisado, Cacumbi, Pisa-pólvora, dentre outras, já foram comuns em todo Brasil. Ele aponta, no entanto, que Sergipe se difere de outros estados por ainda possuir grupos que mantêm suas tradições e costumes, evidenciando que aqui mais importância é dada ao tema.

"Procuramos explorar, da forma mais didática possível, o que é o folclore e como ele surgiu. Também trabalhamos, através de imagens e vídeos, a exposição dos nossos principais grupos folclóricos. A ideia era mostrar à meninada que Sergipe é um dos estados mais ricos dessas manifestações folclóricas, e que, mesmo estando tão próximos, nós não as conhecemos", explica o professor Jorge Marcos.

A estudante Luclécia de Andrade descobriu mais
sobre as quadrilhas juninas. Sua professora,
Sandra Maria, considera importante que os
alunos explorem o conhecimento
além do dado em sala de aula
Foram convidados à palestra os alunos do 7º ano do Colégio Estadual General Siqueira, localizado no Bairro Siqueira Campos. A professora de Português Sandra Maria, tutora dos estudantes em visita, exaltou o interessante deles com a explicação das manifestações culturais sergipanas. Ele apontou ainda a sua satisfação com o estímulo e a criação de interesse que deve fazer seus alunos voltarem à Biblioteca Clodomir Silva para saber mais sobre esses temas.

"Eles gostaram da palestra, porque é algo diferente. Na escola eles têm acesso às diversas áreas dos saberes, dentre elas o Folclore, mas dessa forma sistematizada, com o professor explicando como é cada grupo cultural, como são essas manifestações é mais interessante para eles, até pelo fato de eles saírem um pouco de suas salas de aula", avalia a Professora Sandra.

Coordenadora de Extensão e Eventos da
Biblioteca Clodomir Silva, Maria José,
idealizadora do projeto Livro Vivo
A estudante Luclécia de Andrade passou a frequentar a biblioteca a partir do momento que veio estudar no Colégio General Siqueira, muito em parte, graças às atividades como o projeto Livro Vivo, em que são convidados os alunos de escolas da região. "A palestra foi ótima. Gostei muito porque tinha muita coisa que eu não sabia, principalmente sobre o São João e as danças de quadrilha", conta a aluna.

Projeto Livro Vivo
O projeto Livro Vivo foi idealizado pela coordenadora de Extensão e Eventos da biblioteca, Maria José. Ela explica que a intenção é trazer o público a noção de que o conhecimento não 
está somente nos livros expostos nas estantes. "Nós temos uma extensa audioteca, vários vídeos documentários, um telecentro, além do professor Jorge Marcos que é um ‘livro vivo', e,  através de palestras, pode expor esse conhecimento. Com o projeto, buscamos explorar esses recursos, mostrando à comunidade a existência deles", revela Maria José.

A Biblioteca Municipal Clodomir Silva possui
espaço e equipamentos onde deficientes visuais e
idosos podem ter acesso a diversas obras literárias
em áudio que fazem parte do seu acervo
Segundo a coordenadora, a receptividade das instituições de ensino, principal foco do projeto, tem sido muito boa, tanto com escolas públicas quanto particulares. Ela revela ainda que a próxima intenção, dentro do "Livro Vivo", é explorar o amplo acervo da Clodomir Silva dos livros em áudio - que são voltados aos deficientes visuais. "Estamos periodicamente recebendo mais e mais títulos. Temos audiolivros tanto de romances como de assuntos técnicos, e precisamos mostrar à comunidade que eles existem e estão aqui disponíveis", conclui.

Mês do Folclore
Até o dia 31 de agosto, além do projeto Livro Vivo, ainda acontece na Clodomir Silva a 4ª Exposição "Brinquedos e Brincadeiras Populares". Com a atividade, que também faz parte da programação do Mês do Folclore, as crianças poderão brincar, ouvir estórias e conhecer brinquedos e brincadeiras que fizeram parte da infância de seus pais e avós. Para agendamentos de visitas com turmas escolares a biblioteca disponibiliza os telefones (79) 3179-3742 e (79) 3179-1380. A instituição está localizada na rua Santa Catarina, 314, bairro Siqueira Campos.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Tem Sabor de Samba na Orla Pôr do Sol


A programação de agosto do Projeto Orla Pôr do Sol, voltada ao samba e pagode, termina com apresentação do Grupo Sabor de Samba. Convidados pela Fundação Municipal de Cultura e Turismo de Aracaju (Funcaju), eles fazem sua música descontraída e dançante neste sábado, 28, a partir das 17h, na orla do Mosqueiro, zona de Expansão.

São cinco anos interpretando as canções de artistas do pagode carioca, como Thiaguinho, Exaltasamba e Sorriso Maroto. O show dos garotos, como revela o vocalista Saulo, também tem em seu repertório músicas de compositores e grupos sergipanos que se dedicam ao estilo, a exemplo do 'Intimidade', atração do último sábado do Orla Pôr do Sol.

Saulo diz que vai fazer o público sambar e participar da apresentação. "Nosso trabalho é pra fazer sambar, onde o público pode pedir música e se sentir à vontade", revela. O Sabor do Samba nasceu na cidade de São Cristóvão, tendo participado de edições do Festival de Artes de São Cristóvão (FASC). Hoje tem seu corpo de músicos mesclando integrantes de São Cristóvão e de Aracaju.

Além de Saulo, que também é o violonista do grupo, fazem parte do Sabor de Samba o tecladista Matheus, também diretor musical, além de Wilker (cavaquinho), Danisson (surdo), Fumaça (rebolo), Ítalo (Pandeiro) e Neto Pedalada, que faz a percussão. Eles afirmam que lançarão o primeiro CD, contendo quatro canções próprias ainda em segredo, somadas aos hits que mais interpretam nos palcos da capital.

Orla Pôr do Sol
O novo cartão postal da capital sergipana, a Orla Pôr do Sol, recebeu da Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), investimentos da infraestrutura que incentivam o turismo e geram renda aos pequenos comerciantes do Povoado Mosqueiro. O evento semanal, que é o ápice da atração turística, acontece todo sábado, a partir das 17h, onde a Funcaju, leva atrações culturais para se apresentar no local. O Projeto visa atrair ainda mais visitantes e criar oportunidades para os artistas mostrarem seu trabalho.

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Intérpretes trazem o melhor da música popular ao Freguesia


São as mulheres que comandam os palcos do Projeto Freguesia no fim de semana. A MPB de Gilza Star embala a Feira de Aratipe, na Orla de Atalaia, neste sábado, 18. Já no domingo, 19, Mara Nayan, com uma mistura de ritmos populares, faz seu show na Feira da praça Tobias Barreto, bairro São José.

Uma veterana no Freguesia marca presença na Feira de Aratipe. Gilza Star canta no local pela segunda vez, sendo que já fez dois shows na praça Tobias Barreto pelo projeto. Ela tem mais de 30 anos de carreira, sendo a maior parte como 'crooner', na orquestra do maestro Medeiros, hoje Banda Extra. Há seis anos gravou um CD intitulado 'A noite do meu bem', onde interpreta canções românticas de artistas como Roberto Carlos, Vinícius de Morais e Gonzaguinha. São esses e outros grandes nomes que compõem o repertório dela durante os shows, que variam conforme o tipo de público. Neste sábado, a cantora se apresenta acompanhada dos teclados de Maurício Alves e do guitarrista Benezinho.

Estreante no Projeto Freguesia, Mara Nayan, que atua em carreira solo há dois anos, se apresenta neste domingo na feira da praça Tobias Barreto. São ao todo 15 anos atuando como cantora, back vocal e dançarina na banda Baba de Moça e com o cantor aracajuano Rogério. Tem dois CDs gravados: o primeiro, em 2011, traz interpretações ao vivo de Lulu Santos, Luan Santana, Zeca Pagodinho, entre outros; o segundo disco, lançado este ano, conta com a música 'O sonho', composição da própria artista. Seus shows oscilam entre ritmos, do arrocha à lambada, passando pelo sertanejo e o legítimo forró nordestino.

Cultura e geração de renda
Feirantes e artesãos são os beneficiados pelas Feiras Livres de Cultura e Arte Popular, iniciativa da Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) sob a coordenação da Fundação Municipal do Trabalho (Fundat). A Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Funcaju) contribui com esse empenho realizando o Projeto Freguesia onde leva, às Feiras, apresentações culturais com artistas locais. Além de contribuir com a geração de renda, a Prefeitura oferece semanalmente na Orla da Praia de Atalaia e no tradicional bairro São José mais atrativos ao roteiro turístico de Aracaju.

Grupo Intimidade faz o samba na Orla Pôr do Sol


Sábado é dia do Projeto Orla Pôr do Sol, realizado pela Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA)  no Mosqueiro, às margens do rio Vaza-Barris. A atração musical do dia 18 é o Grupo Intimidade, que faz seu samba a partir das 17h.

Além de interpretar os artistas do tradicional pagode carioca, a exemplo de Exaltasamba, Belo e Sorriso Maroto, o Grupo Intimidade tem fama de tocar diversos ritmos musicais, do forró a MPB, em arranjos para o samba.

O Intimidade tem três anos de estrada e como conta o percussionista e líder do grupo, Júnior (pandeiro, carron e back vocal), a procura por um espaço na agenda é grande. “Nosso grupo vem agradando aonde chega, diferenciando com coisas novas, novos arranjos e repertório variado conforme o tipo público”, justifica.

Júnior é filho do aclamando Valtinho do Acordeon e deste modo o Intimidade acompanha o forrozeiro em seus shows, inclusive estiveram palco com o sanfoneiro durante o Forró Caju 2012, evento, da mesma forma que o Projeto Orla Pôr do Sol, realizado pela PMA e organizado pela Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Funcaju).

Também fazem parte da Banda Flávio Brito (cantor e compositor), Alexandre Sulas (back vocal e compositor), Adson (violão e guitarra) Dimas (cavaquinho) e Raimundinho (rebolo e back vocal). Neste ano eles produziram um DVD, ao vivo, onde interpretam músicas dos artistas que geralmente homenageiam em suas apresentações, além de duas músicas de autoria dos dois compositores Grupo.

O Projeto
O Mosqueiro, Zona de Expansão de Aracaju, teve uma grande alta na quantidade de visitantes e turistas após a construção da orla fluvial. Na intenção de agregar valor cultural ao mais novo e atrativo ponto da capital, a PMA, por meio da Funcaju, criou o Projeto Orla Pôr do Sol, nome que também batiza o empreendimento, graças ao status de ser a mais bela vista da cidade ao entardecer.

Boletim Informativo Cohidro - Agosto/2012


quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Forró e MPB animam feiras livres neste fim de semana

(Imagem: Ascom/Funcaju)
O Projeto Freguesia volta a sua programação normal neste fim de semana na Feira de Aratipe, Orla da Atalaia. Neste sábado, 11, a apresentação de MPB fica por conta da dupla Luiz Carlos e Joyce, a partir das 20h. Já no bairro São José, na praça Tobias Barreto, tem também outra feira de comidas típicas e artesanato que neste domingo, 12, recebe o Forró das Arábias, a partir das 18h. 

A história da dupla começou como dois amigos de gostos musicais muito parecidos e que tinham como intuito fazer bossa-nova em Aracaju. Assim nasceu a parceria, que já tem dois anos, entre Luiz Carlos e Joyce e um dos primeiros frutos desta junção é o novo CD, previsto para os próximos meses, onde gravaram canções de monstros da música brasileira como Djavan, Roberto Carlos e Gilberto Gil. Normalmente a dupla costuma se apresentar mesclando MPB, samba, bossa e pop rock sempre no formato voz e violão, mas neste sábado, na Feira de Aratipe, contarão com o auxílio de mais um instrumento, a percussão do músico Bicó.

Forró das Arábias, atração deste domingo na feira da praça Tobias Barreto, escolheu este curioso nome pela semelhança entre os países árabes e o sertão nordestino, ambos de clima árido e vidas sofridas. A banda possui canções autorais, dentre elas estão “Eu tô fora”, “Até parece” e “Chagas”, que compõe seu segundo disco. Formado pelo guitarrista Erick, o baixista Reginho, o baterista Ricardo, Jerdison nos teclados, o sanfoneiro Dedé, o percussionista Amaral e o quarteto de vozes Lilian, Aline, Mohamed e Israel, a banda Forró das Arábias promete agitar o Projeto Freguesia deste domingo.

Trabalho, cultura e turismo
Uma iniciativa da Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) por meio da Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Funcaju) e da Fundação Municipal do Trabalho (Fundat), o Projeto Freguesia consiste na promoção de atividades artísticas em feiras de comidas típicas e artesanato. O projeto foi criado com o intuito de dar mais visibilidade à gastronomia, ao artesanato e a música sergipana, além de trazer mais frequentadores às feiras livres e praças da capital.

Orla Pôr do Sol recebe o grupo Pura Simpatia

Orla Pôr do Sol (Foto: Silvio Rocha)

Todos os gostos e ritmos têm seu lugar no Projeto Orla Pôr do Sol. No sábado, 11, sobe ao palco do projeto, realizado pela Fundação Municipal de Cultura e Turismo de Aracaju (Funcaju), o grupo de samba e pagode “Pura Simpatia”. O show começa ao entardecer, a partir das 17h, no Mosqueiro, Zona de Expansão da capital.

São três anos fazendo o autêntico pagode carioca, interpretando em seus shows, ou no CD lançado em 2009, canções de artistas como Belo, Exalta Samba, Revelação e Sorriso Maroto. Mas anunciam que daqui a dois meses, sai o segundo disco do grupo, desta vez também com composições próprias do Pura Simpatia, a exemplo de “As ondas vão”, “Deixa rolar” e “Pra sempre”, músicas que já fazem parte do repertório há algum tempo.

Pura Simpatia é composto por oito músicos: Wagner (bateria), Borracha e Danison (percussão), Daniel (violão), Alisson (cavaquinho), Igor (contrabaixo), Thiago (teclados), Diego (sax) e Marcelo (voz). Habituados com a rotina de shows de grande proximidade com o público, tocando nos principais points do gênero em Sergipe e até na Bahia, querem cativar turistas e moradores do Mosqueiro, com sua música alegre e dançante.

O Projeto Orla Pôr do Sol
A Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) entregou, no ano passado, a nova estrutura de lazer da Orla do Mosqueiro, batizada de Orla Pôr do Sol. Encarregada da realização de eventos que atraia sergipanos e turistas ao espaço, a Funcaju realiza todos os sábados, a partir das 17h, o projeto. A Fundação leva atrações culturais, dando preferência ao artista local, de forma que mostre nossa produção cultural ao visitante e gere renda, tanto a quem se apresenta quanto aos pequenos comerciantes locais.

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Agosto é o mês do Folclore na Ivone de Menezes

A contadora de estórias Naildes Santana
e seus pequenos ouvintes
(Fotos: Ascom/Funcaju)
Fazendo parte das atividades realizadas em torno do Dia do Folclore, comemorado no próximo dia 22, a Biblioteca Ivone de Meneses Vieira realiza a “Hora do Conto” enaltecendo as lendas e mitos brasileiros, nas estórias contadas na programação deste mês de agosto. Na terça-feira, 7, a instituição recebeu os alunos da Escola Francisco Santos, do bairro Augusto Franco.

As lendas indígenas da Iara e da origem da vitória-régia, assim como a do mito popular brasileiro do Saci-Pererê, foram narradas e teatralizadas para as crianças, pela contadora de estórias Naildes Santana. A pedagoga e psicopedagoga ligada a Biblioteca e pertencente ao grupo Hanna de contadores de estórias, explica que a partir do momento que os pequenos conhecem os contos infantis desta maneira diferenciada, passam a se interessar mais pelos livros.

“São os próprios educadores e diretores das escolas parceiras que contam que os alunos passam a gostar mais de literatura depois de participarem da Hora do Conto. As crianças passam a pedir livros aos pais”, relata Naildes. 

Professora Daniela Barreto
e a aluna Talita dos Santos sempre
participam da Hora do Conto
Os alunos ficam ansiosos, nos dias que antecedem a visita à Ivone de Menezes para a Hora do Conto, descreve a coordenadora pedagógica e professora Daniela Barreto. “Geralmente a semana que antecede a vinda a Biblioteca é uma festa, eles ficam eufóricos, é literalmente uma tarde de lazer”, conta, ainda explicando que a ocasião abre oportunidade para incentivar as crianças a levarem os livros da Biblioteca para casa.

“Nós temos na escola um ‘cantinho da leitura’, onde nós lemos para os menorzinhos que ainda não sabem. Para os maiores pedimos que levem os livros para casa e tragam resumos do que eles entenderam”, complementa a professora Daniela, revelando ainda que a leitura auxilia muito os alunos nas atividades das disciplinas de português, interpretação de texto, geografia e história.

Dia do Folclore 
Além da Hora do Conto usar como tema, somente as estórias do Folclore brasileiro, no dia 22, quando se comemora o Dia do Folclore, haverá, na Biblioteca Ivone de Menezes Vieira, a exibição do filme “Macunaíma”, do diretor Joaquim Pedro de Andrade, que é baseado na obra do escritor Mário de Andrade, lançado em 1969. A sessão será as 17h30, aberta a toda comunidade.

Diretora interina da Biblioteca,
Adriana Pereira Dantas,
preparou uma programação
especial para este mês
Mas segundo a diretora interina da Biblioteca, Adriana Pereira Dantas, a principal iniciativa da Ivone de Menezes, visando esse resgate dos temas folclóricos é mesmo a Hora do Conto. “Quando chega o mês de agosto, a gente direciona todas as contações para estórias do folclore, como lendas, parlendas, estórias de assombração, elementos presentes na cultura popular brasileira”, justifica.

A Hora do Conto
É realizada ininterruptamente durante todo ano na Biblioteca, sempre as terças e quintas-feiras em dois horários: às 9h30 e às 15h30. Atende estudantes das escolas da região, quando estas agendam as visitas junto a instituição como também, nos horários estabelecidos, está aberta a toda comunidade, bastando ir até a Ivone de Menezes.

“Qualquer criança que chegar, a contadora vai fazer este trabalho de incentivo à leitura, seja na leitura de livros ou contando estórias. Tanto um quanto o outro, incentivando a curiosidade pelas estórias, pela cultura e literatura infantojuvenil,” completa Adriana Pereira.

Adriana ainda explica que os contadores de estórias são tanto profissionais, a exemplo de Naildes Santana, geralmente agregados nessa parceria entre biblioteca e Grupo Hanna de Contadores de Estórias, como também estagiários, geralmente estudantes dos cursos superiores de Letras e Pedagogia.

Nesta edição do dia 7 de agosto, os alunos visitantes, também receberam exemplares da revista em quadrinhos educativa “Sesinho”, fornecida à Biblioteca pela Secretaria Estadual de Educação de Sergipe, fruto da parceria do Órgão com o Serviço Social da Indústria (Sesi), que produz o periódico voltado ao público infantojuvenil.

A Biblioteca Ivone de Menezes Vieira
A Ivone de Menezes Vieira é mantida pela Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), por meio da Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Funcaju). Possui um acervo de mais de 15 mil livros, complementado por jornais, revistas, fitas casssetes, CD’s e DVD’s.

Além da disponibilidade para consulta e empréstimo deste material, atende a comunidade do Conjunto Augusto Franco e região, com oficinas literárias, exposições e palestras, sempre de segunda à sexta-feira, das 8h às 20h e nos sábados, domingos e feriados, das 9h às 13h. A Biblioteca está localizada à praça Major Edeltrudes Teles, no bairro Farolândia.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Arrocha e outros ritmos embalam o Projeto Freguesia

(Imagem: Ascom/Funcaju)

Domingo tem Projeto Freguesia e a Fundação Municipal de Cultura e Turismo de Aracaju (Funcaju) leva à feira da Praça Tobias Barreto, bairro São José, o “Nossa Cor”. O arrocha universitário do grupo vai animar turistas, visitantes e feirantes, neste dia 5 de agosto, a partir das 18h.

Guna, o cantor e Alceu, o tecladista, formam o Nossa Cor. O grupo tem um histórico de carreira voltado para o arrocha, mas, influenciado pelas novas tendências e apelo do seu público, cada vez mais eclético, também faz apresentações com os mais variados estilos. A mudança é tamanha que depois de lançar cinco CD’s fiéis ao ritmo original da banda, fez três outros, “Junto e Misturado” volumes 1, 2 e 3, acrescentando ao “caldo” original: samba, pagode, sertanejo, forró, pisadinha e até lambada.

“Como nos apresentamos em lugares com públicos dos mais variados gostos, tentamos agradar a cada um cantando, nem que sejam duas ou três das canções, que toquem fundo no coração daquela pessoa”, revela Guna, também autor das canções que, “misturadas” a interpretações de outros sucessos nos estilos abraçados pelo grupo, compõem os discos do Nossa Cor, com destaque para “Baby Preciso” e “Te amo amor”, já na boca dos apreciadores do arrocha romântico. No domingo, soma-se o guitarrista Charles à dupla, numa participação especial para o Projeto Freguesia.

A Feira de Aratipe, que acontece todos os sábados na Orla de Atalaia, extraordinariamente não conta com o Projeto Freguesia neste fim de semana, já que na praça de eventos da orla ocorre, no mesmo horário, outro show. Mas o projeto retorna à orla na próxima semana, dia 11, quando os artistas Luiz Carlos e Joyce apresentam suas interpretações da MPB a partir das 20 horas.

O Projeto Freguesia
No Freguesia, a Funcaju leva cultura às feiras livres da Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), organizadas em parceria com a Fundação Municipal do Trabalho (Fundat). A iniciativa prioriza a geração de renda aos pequenos empreendedores e artesãos que comercializam nesses espaços. O turismo também é foco do projeto, criando mais esse destino para as compras, alimentação com comidas típicas e entretenimento aos visitantes.