Social Icons

twitterfacebookgoogle pluslinkedinemail

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Informativo Cohidro - Outubro/2012


Outdoor para Colégio Gabarito


Sábado tem On The Rox no Orla Pôr do Sol

Orla Pôr do Sol (Foto:André Moreira)

A Fundação Municipal de Cultura e Turismo de Aracaju (Funcaju) dá início à programação de novembro no Projeto Orla Pôr do Sol com o pop-acústico da banda sergipana On The Rox. O grupo apresenta seu novo show neste sábado, dia 3, a partir das 17h, na nova orla do povoado Mosqueiro, Zona de Expansão da capital.

Cerca de um ano e meio atrás, os músicos da banda A Fábrica, Lícia Oliveira (voz) e Leo Ximenes (violão e percussão), decidiram apurar seus quase 12 anos de estrada com a trupe e apresentar, ao cenário musical sergipano, uma proposta paralela: diferenciada no modo de tocar, mas fiel ao estilo pop-rock e também voltada a um trabalho mais autoral da dupla.

Leticia Oliveira, vocalista da banda
(Foto: Divulgação)
A fórmula do som On The Rox é o semi-acústico, mas não limitado ao banquinho e violão. "Trabalhamos com alguns equipamentos que nos permitem fazer ‘loops' ao vivo, o que aumenta exponencialmente as nossas possibilidades de arranjos. Como resultado disso, podemos ter em uma música várias camadas de violão, guitarra, vozes, baixo, teclado e instrumentos percussivos", explica Leo Ximenes, sobre a mágica de fazer com que duas pessoas sobre o palco consigam parecer uma banda completa.

On The Rox quer diminuir a distância entre o público, abrindo espaço para que as pessoas cantem junto, ao se apresentar em locais menores num "pocket show". O repertório das apresentações obedece ao estilo pop, com interpretações de artistas como "Black Eyed Peas" e "Madonna", além do rock, com covers de "Led Zeppelin" e "AC/DC". Mas segundo Leo, aos poucos eles estão introduzindo as músicas próprias que pretendem usar para produzir, até o início de 2013, o primeiro disco da banda.

O Projeto
A Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), por meio da Funcaju, é responsável por levar até a Orla Pôr do Sol atrações culturais que atraiam mais visitantes ao novo cartão postal da capital. Desta forma, contribui com mais um atrativo ao turismo da cidade e auxilia, tanto com a divulgação do trabalho dos nossos artistas como na geração de renda para os pequenos comerciantes, instalados no complexo de lazer do Povoado Mosqueiro.

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Trio Vassoral e Arrochanejo agitam o Freguesia

Imagem: Ascom/Funcaju
O Trio Vassoral e o Grupo Arrochanejo são as atrações das Feiras Livres de Cultura e Arte Popular de Aracaju no último fim de semana de outubro. Com mais de 40 anos de estrada, o Trio Vassoral, se apresenta no sábado (27), às 20h, na Feira de Aratipe, na Orla da Atalaia. No domingo (28), na Feira da praça Tobias Barreto, no bairro São José, é a vez do Grupo Arrochanejo, se apresentar a partir das 18h.

O Trio Vassoral, sob o comando de Domingos Vassoral, sanfoneiro e cantor que criou o grupo, é composto também por Peixoto (zabumba) e Nilson (triângulo). O grupo vai apresentar sucessos de celebres forrozeiros como Luiz Gonzaga, Zinho e Flávio José, assim como suas próprias composições, como "Limoeiro" e "Recado à Propriá", esta gravada pela cantora sergipana Clemilda. A tradição do grupo rende convites para apresentações em todo interior sergipano e em estados como a Bahia e Pernambuco, inclusive sendo chamados a tocar também em rádios locais.

Cantorzinho (teclado e voz) e Márcio (back vocal) formam o Arrochanejo, grupo que é a atração do Freguesia deste domingo. Eles atuam há um ano e meio em Aracaju, sendo bastante requisitados em festas particulares da capital e interior do Estado. Cantam o arrocha e o sertanejo universitário, mesclando as próprias canções e sucessos de Luan Santana, Gustavo Lima e Pablo do Arrocha. Esses artistas são à base do CD que eles estão produzindo para lançar em janeiro, contendo as músicas autorais "Tome amor no coração", "Ta na cara" e "Cigana". Para a apresentação na praça Tobias Barreto, prometem um repertório bem variado, agradando todos os gostos.

Feiras Livres de Cultura e Arte Popular
A Prefeitura municipal de Aracaju (PMA), por meio da Fundação Municipal do Trabalho (Fundat), realiza as Feiras Livres de Cultura e Arte Popular. No sábado, acontece a edição da Feira de Aratipe, na Orla da Atalaia. Domingo tem a edição da praça Tobias Barreto, no bairro São José. Nesses eventos, artesãos expõem à venda seus trabalhos e comerciantes comidas típicas.

Projeto Freguesia
Preocupada em atrair mais turistas e aracajuanos às Feiras, a PMA incumbiu a Fundação Municipal de Cultura e Turismo de Aracaju (Funcaju) de realizar o Projeto Freguesia. Onde artistas sergipanos se apresentam, criando assim mais este espaço para que o artista, da mesma forma que o artesão, mostre seu trabalho ao público.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Sábado tem sertanejo universitário na Orla Pôr do Sol


Foto: André Moreira
Fechando a programação do mês de outubro, o Projeto Orla Pôr do Sol, realizado pela Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Funcaju), recebe mais uma atração do sertanejo universitário. Michele Maphaia & Banda se apresentam neste sábado (27), a partir das 17h, na orla do Mosqueiro, Zona de Expansão de Aracaju.

Ao todo, são 13 anos de atuação, sendo que os oito primeiros anos da carreira de Michelle foram cantando MPB. Tudo mudou depois do convite para atuar sobre um trio elétrico, na Micareta de Feira de Santana (BA), como cantora de axé. Impressionado com sua voz, surgiu à proposta de um grupo musical local, para que ela fizesse um trabalho dentro do estilo sertanejo universitário.

Ela deu certo com o estilo e de lá prá cá, não fez outra coisa a não ser cantar a música de artistas da nova safra do sertanejo, como Michel Teló, Fernando & Sorocaba e Paula Fernandes, além da velha guarda, a exemplo de Chitãozinho & Chororó e Tião Carreiro & Pardinho, dupla que Michelle Maphaia homenageia no palco, em seu repertório atual.

Cantando esses sucessos, além de músicas de sua autoria, Michelle gravou três CDs ao vivo. O primeiro, de 2009, foi "Ao vivo no The King", onde interpreta sua canção "Você me deixar". 2010 foi a vez de "Ao vivo na Expofeira", com a faixa própria "Amor, paixão". O Último disco foi o de 2011, "Ao vivo no Haras Sercore", lançando os hits "Corno cadeado" e "Corda Bamba".

No sábado, Michelle canta e toca violão, acompanhada dos músicos Evandro Bala (guitarra), Betinho (bateria), Fábio (contrabaixo), Luciano Lima (teclado) e Jonny (acordeon), que formam sua banda. Ela quer fazer um show que agrade gostos variados na Orla Pôr do Sol. "Vamos manter a alegria do sertanejo pop, universitário, sem esquecer do sertanejo mais de raiz e seu romantismo", prometeu.

Funcaju e a Orla Pôr do Sol
A Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), por meio da Funcaju, organiza o Projeto Orla Pôr do Sol. A iniciativa conta com grupos culturais que atraem ainda mais turistas e visitantes locais para a orla às margens do rio Vaza-Barris.

Funcaju apoia o 16º Jeep Show e movimenta turismo em Aracaju

O evento teve o apoio da Prefeitura Municipal de
Aracaju (PMA) e Fundação Municipal de Cultura e
Turismo (Foto: divulgação)

Competidores e suas equipes, torcedores e amantes do automobilismo off road da maioria dos estados do Nordeste, estiveram em Aracaju neste fim de semana (de 19 a 21) prestigiando a 16º edição do Jeep Show de Sergipe e a 9ª etapa do Campeonato Brasileiro de 4x4.

O evento teve o apoio da Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) e Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Funcaju), já que incentiva tanto o desporto como o turismo na cidade, que na ocasião recebeu visitantes além da capacidade dos hotéis. Segundo o organizador do evento, Kennedy Fonseca, o número de visitantes foi tão grande que houve intensa movimentação na rede de hotéis de Aracaju.

"Buscamos outras opções, já que a ocupação nos hotéis estava grande", diz Kennedy. Maranhão, Paraíba, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Sergipe e Bahia foram representadas durante os três dias de competições, resultando num total de 237 inscritos nas diversas categorias.

Kennedy Fonseca explica ainda ser crucial o apoio da PMA, através da Funcaju, já que o evento é aberto ao público, impossibilitando uma arrecadação que arque com todos os custos. "Todos os anos a Funcaju nos apoia. Como o evento é gratuito, a gente procura os órgãos públicos que sempre são nossos parceiros, ajudando na realização", esclarece.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Mirante da 13 de Julho recebe Exposição Mamíferos Aquáticos

Painéis explicam os principais problemas
enfrentados pelos animais em
seus habitats naturais
(Fotos: Fernando Augusto - Ascom/Funcaju)

O Instituto Mamíferos Aquáticos, organização não governamental (ONG) com base de estudos em Sergipe e Bahia, iniciou nesta segunda-feira, 15, exposição objetivando conscientizar à população aracajuana e turistas, do trabalho da instituição no estudo, preservação e recuperação de animais feridos. Instalada no Mirante do bairro 13 de Julho, uma das unidades da Funcaju, a mostra segue até 24 de outubro.

Painéis com fotografias e informações sobre as ações do Instituto ou fazendo referência os espécimes de mamíferos aquáticos presentes na fauna do Nordeste e esqueletos de cetáceos, compõe o acervo exposto no Mirante, sendo possível também adquirir na pequena loja instalada, camisas, bonés, chaveiros e outros artigos para presente que levam o nome da ONG.

Esqueletos de golfinhos
expostos na mostra do Instituto
Um destes presentes são as representações dos mamíferos aquáticos em pelúcia, projeto social do Instituto, em associação com o Centro Mamíferos Aquáticos (CMA) de Pernambuco, onde famílias carentes foram capacitadas para produzir os brinquedos de modo artesanal e ecologicamente sustentável.

Segundo a bióloga voluntária no Instituto, Bárbara Stumpf, a importância da exposição está em fazer com que a população, fora dos centros de pesquisas, tenha conhecimento dos animais pertencentes aos nossos rios e mares, conscientizando-os de sua importância para o eco sistema, uma das missões primordiais do ONG. “Além da exposição, temos um trabalho de levar palestras às escolas das redes públicas e particulares em Sergipe, levando aos estudantes os fundamentos de nosso trabalho de preservação, resgate estudo dos mamíferos aquáticos”, explica.

Pequena loja de artigos para presente e
lembranças que levam a marca da ONG
A exposição que começou em Salvador, outra unidade do Instituto, passando 2 semanas no Aeroporto Santa Maria, em Aracaju, antes de instalar-se no Mirante da 13 de julho. Após dia 24, a ONG ainda pretende levar a mostra para ser exposta na sede do SOS Mata Atlântica, também na capital sergipana.

O Instituto Mamíferos Aquáticos
Instalado em Aracaju desde 2000, tem um centro de pesquisas que funciona no Campus Farolândia, da Universidade Tiradentes (Unit) onde, em parceria com a própria Unit, Ibama e SOS Mata Atlântica, atende universitários e pesquisadores, promovendo cursos, palestras e fóruns relacionados à presença dos mamíferos aquáticos em Sergipe. A unidade também monitora os animais presentes em nossa fauna e trabalha, com seus voluntários, no trabalho de resgate de animais encalhados nas praias.

Pelúcia do peixe-boi. Depois de extinto de
nosso Estado, o Instituto tenta
restabelecer a espécie à natureza
Uma importante contribuição do Instituto em Sergipe é o monitoramento do peixe-boi “Astro”, único espécime presente, em liberdade, em águas sergipanas. “O peixe-boi sempre foi presente no litoral e estuários do Estado, mas a ação do homem, facilitada pelo fato do animal ser extremamente dócil, causou sua extinção nesse território”, alertou Bárbara. Astro é um peixe-boi macho que fora criado em cativeiro pelo CMA e foi reintroduzido à natureza em Alagoas, junto de outro espécime fêmea. Ela migrou para o litoral pernambucano e ele veio estabelecer-se aqui no Estado.

Biólogas voluntárias no Instituto Mamíferos
Aquáticos, Bárbara Stumpf e Lais Azevedo,
recepcionam os visitantes da exposição
A outra unidade do Instituto Mamíferos Aquáticos, fica na capital do Estado da Bahia, Salvador, lá possui um centro de recuperação de mamíferos aquáticos e onde é possível à visitação, aberta ao público, de exemplares de leões marinhos, lobos marinhos e lontras, resgatadas e recuperadas pela ONG, mas que não possuem mais condições de voltarem para o seu habitat natural.

O Mirante da 13 de Julho
O Mirante da Praia 13 de Julho é uma das unidades de cultura da Prefeitura Municipal de Aracaju, coordenada pela Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Funcaju). Além de ser uma referência turística da cidade, o mirante também é um posto de informações e local de exposições artístico culturais. Está aberto ao público todos os dias da semana, de segunda a sextas-feira das 9h às 21h, sábados, domingos e feriados das 9h às 15h.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Orla Pôr do Sol recebe o sertanejo de Amandah Ávila


O projeto da Fundação Municipal de Cultura e Turismo de Aracaju (Funcaju), que leva apresentações culturais à Orla Pôr do Sol, tem como atração neste sábado, 20, o sertanejo universitário da jovem cantora Amandah Ávila. O show acontece na nova Orla do Povoado Mosqueiro, Zona de Expansão da capital, a partir das 17h.

Paulista de Sorocaba, Amandah vive em Aracaju há oito anos, mas as raízes culturais de sua terra natal as influenciaram na escolha do estilo que seguiu para iniciar a carreira de cantora solo de sertanejo universitário. Já atuou nas principais casas de shows da capital e em festas particulares, tendo ido recentemente a Batatais (SP), atendendo convite para cantar.

Ela possui um CD gravado, com 12 faixas, sendo que destas, cinco são de autoria da cantora. Suas canções 'Não amo mais você', 'Eclipse lunar' e 'Você me perdeu', acompanhadas de sucesso de Paula Fernandes, Jorge & Matheus e João Bosco & Vinicius, compõem o primeiro trabalho fonográfico da jovem, que já possui um fã-clube chamado 'Vem pra mim', nome do principal hit do disco de Amandah.

No sábado, a cantora vai se apresentar em formato acústico, com os músicos Walace (violão), Jonny (violão solo) e Marcão (carron). "Espero todos na Orla, para curtirmos juntos o pôr do sol, embalados por muita música romântica e para se divertir", promete a cantora, que além dos artistas sertanejos que canta em seu disco, tem em seu repertório canções de Tiaguinho, Ana Carolina, Seu Jorge, Capital Inicial, entre outros.

Orla Pôr do Sol
A Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) tornou o Povoado Mosqueiro mais um destino turístico da capital, ao entregar à população a obra de revitalização da Orla Pôr do Sol, às margens do rio Vaza-Barris. Toda estrutura de lazer serve tanto aos turistas e frequentadores locais, como também abre espaço para a geração de renda dos pequenos comerciantes instalados no empreendimento.

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Ivone de Menezes comemora Dia da Criança relembrando brincadeiras

Amarelinha, adoleta, pular corda, passa-anel, lacuxia, bambolê, bola de gude. Brincadeiras que fizeram a infância dos pais e avós das crianças de hoje em dia estão sumindo do cotidiano infantil e não fazem mais a diversão da garotada nos recreios e no tempo livre que eles têm em casa.

Ciente de que essas engrandecedoras e educativas experiências estão se perdendo da vida dos pequenos, em meio a distrações eletrônicas e cultivo de hábitos de gente grande, a Biblioteca Ivone de Menezes Vieira, dedicou as festividades do Dia da Criança, que sempre são realizadas pela equipe da instituição, para fazer um resgate dos jogos e brincadeiras que, há algum tempo, vêm sumindo do universo infantil.

Naildes Santana conta estórias às crianças
do Colégio Estadual Francisco Portugal
(Fotos: Fernando Augusto - Ascom/ Funcaju)
Nas tardes dos dias 9 e 10 de outubro, a biblioteca, uma das unidades da Funcaju, levou até a sua área externa, os alunos das instituições de ensino que habitualmente participam da “Hora do Conto” e outros projetos da Ivone de Menezes, para aplicar essas atividades recreativas. Também houve a apresentação do teatro de fantoches do Grupo Yes Bike, animando e conscientizando as crianças sobre as questões ambientais.

No primeiro dia, terça-feira (9), foi a vez de receber as crianças dos cursos de educação infantil da Escola Janelinha do Saber. Na quarta, estudantes do Colégio Estadual Francisco Portugal estiveram presentes, inclusive os alunos da turma de adolescentes com necessidades especiais do Programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA), oferecido pela instituição.

Professora Ângela Maria e os 
alunos especiais do EJA
Professora do projeto de inclusão dos especiais no EJA, Ângela Maria de Jesus, conta que mesmo sendo lento o aprendizado desses jovens, participar das atividades de cunho recreativo realizadas pela Ivone de Menezes, auxiliam em sua socialização. “Temos que ter muita paciência com eles, mas com calma, em sala de aula eles aprendem aos poucos. Mas, aqui eles participam ativamente, interagem e brincam, o que é mais fácil de lembrar depois. A vinda à biblioteca é sempre um momento festejado por eles”, comenta Ângela.

Já Paulo Sérgio, 12 anos, do programa de alfabetização "Se Liga", do Colégio Francisco Portugal, sempre frequenta as atividades da biblioteca e também pega livros emprestados na Ivone de Menezes para auxiliar em seu aprendizado. “Estou gostando muito da festa do Dia das Crianças, gosto de todos os dias que a gente vem para cá. As estórias que as tias contam, as brincadeiras, são muito boas”, explica o garoto.

O aluno Paulo Sérgio do
Colégio Francisco Portugal
A contadora de estórias oficial da Ivone de Menezes, Naildes Santana, que atua semanalmente na biblioteca no projeto “Hora do Conto” foi a principal animadora das crianças nos dois dias de atividades. Seus contos, jogos e brincadeiras entreteram a garotada. Ela conta que a iniciativa desse resgate dos costumes infantis, que vem sendo perdido, foi uma ideia proposta pelos professores das escolas parceiras, com o intuito de tornar o intervalo recreativo das aulas, um momento menos violento. “Resgatando essas brincadeiras que deveriam ser passadas de pai para filho, quem sabe, não tornamos esse momento mais ameno”, disse.

Naildes com as crianças brincado de roda
Segundo Maria José Lima, diretora da Ivone de Menezes, as escolas maiores são as que enfrentam mais problemas relacionados à violência dos alunos nos intervalos entre as aulas. “Brigas, discussões e o bullying, agregados ao uso excessivo de celulares e eletrônicos são os principais problemas que distorcem a infantilidade dos alunos”, afirma.

“Temos a intenção de acalmar os recreios, para que neles se pratiquem atividades infantis, esquecendo da agressividade entre eles e do isolamento causado pelos eletrônicos. Isso também agregado ao conhecimento dos alunos, pois esse lado lúdico complementa, na prática, a teoria que é dada no hábito de ler, outro papel da biblioteca”, enfatiza Maria José.

Maria José, diretora da Biblioteca
Municipal Ivone de Menezes Vieira
A diretora explica que aproveitando o efetivo humano que já atua na “Hora do Conto” todas as terças e quintas-feiras, foi possível realizar essas atividades comemorando o Dia das Crianças. “Temos os contos, as brincadeiras, os jogos, trouxemos também o teatro de fantoches, assim podemos fazer esse resgate das brincadeiras do passado, para que eles possam levar isso para o recreio e para sua vida cotidiana”, conta.

Teatro de fantoches
O grupo de teatro de bonecos de fantoche Yes Bike, atua a menos de um ano em Aracaju, na conscientização do uso de bicicletas como meio de transporte ecológico e que auxilia na mobilidade urbana. A peça “Vá de Bike”, voltada ao público infantil, arrancou gargalhadas e ao mesmo tempo, prendeu a atenção dos pequenos expectadores na Ivone de Menezes. Os atores Juliana Aguiar, Luiz e Yuri, além de tocarem no ponto da sustentabilidade, também abrem espaço para tratar do preconceito racial no enredo da apresentação.

A Hora do Conto
É realizada ininterruptamente durante todo ano na biblioteca, sempre as terças e quintas-feiras em dois horários: às 9h30 e às 15h30. Atende estudantes das escolas da região, com agendamento de visita, e está aberta a toda comunidade, bastando ir até a Ivone de Menezes. A biblioteca está localizada na praça Major Edeltrudes Teles, no bairro Farolândia.

Freguesia leva forró e MPB às Feiras Livres de Arte Popular


O Projeto Freguesia, organizado pela Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Funcaju), depois de um fim de semana em pausa, dedicado ao pleito eleitoral, retoma as apresentações que animam as Feiras de Cultura e Arte Popular. Sábado, 13, às 20h, tem o forró pé de serra de Josivan do Forró, na Feira de Aratipe, Orla da Atalaia. Já no domingo, 14, Bebero da Paraíba canta sua MPB para os visitantes da feira da praça Tobias Barreto, no bairro São José, a partir das 16h.

Natural de Garanhuns, Josivan do Forró iniciou a carreira musical desde os 10 anos de idade, seguindo o pai, Seu Benedito, do Trio Coração do Nordeste. Instalado em Aracaju há mais de 20 anos, gravou 5 CDs e prepara outro, acompanhado do sanfoneiro Zé Cego. Nos seus discos, canta músicas dos amigos com quem divide o palco e grandes nomes como Zinho do Acordeon, Flávio José, Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro, além de suas composições próprias, como as músicas “Saudade de Garanhuns”, “Xote danadinho de bom” e “Forrozinho pé-chão”. No sábado, na Feira de Aratipe, canta acompanhado dos músicos Fernando (triângulo), o irmão Thiago (zabumba e voz), Rubinho (baixo) e de Jaime do Acordeon.

Domingo, na feira da praça Tobias Barreto, é a vez de Bebero da Paraíba se apresentar. São 25 anos de carreira, 15 deles só em Sergipe, onde é cantor, sanfoneiro e tecladista, atuando na noite aracajuana, em casas noturnas e festas particulares, onde é bastante requisitado. Seu repertório varia entre a MPB de Fagner, Zé Ramalho e Djavan, à tradicional música do Nordeste de Luiz Gonzaga, Flávio José e Petrúcio Amorim. Artistas que compõe seu CD, ao vivo, gravado há dois anos, interpretações acrescidas da sua música própria “Ficar Comigo”, que dá nome ao disco de forró pé de serra. O próximo, em estúdio para ser lançado no final de novembro, pretende mostrar seu talento no teclado e voz, modelo em que se apresenta no Projeto Freguesia.

O Projeto Freguesia
Feirantes e artesãos são os beneficiados pelas Feiras Livres de Cultura e Arte Popular, iniciativa da Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) sob a coordenação da Fundação Municipal do Trabalho (Fundat). A Funcaju contribui com esse empenho realizando o Projeto Freguesia onde leva, às Feiras, apresentações culturais com artistas locais. Além de contribuir com a geração de renda, a Prefeitura oferece semanalmente na orla da Praia da Atalaia 

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Beto Carvalho é a atração da Orla Pôr do Sol


Depois de um fim de semana destinado aos compromissos eleitorais, a programação elaborada pela Fundação Municipal de Cultura e Turismo de Aracaju (Funcaju) segue seu curso, abrindo o mês de outubro com a música de Beto Carvalho. Ele é atração deste sábado, 13, a partir das 17h, na Orla Pôr do Sol, no Mosqueiro, Zona de Expansão de Aracaju.

Influenciado ora por artistas da nova MPB, como Lenine e Zeca Baleiro, ou por consagrados da musica regionalista do Nordeste como Alceu Valença e Zé Ramalho, mas sem deixar de valorizar, no seu trabalho, o mestre Luiz Gonzaga. Isso traduz um pouco do que é a essência de Beto Carvalho, que nos seus 15 anos de carreira, fez música e interpretou os que admira, além dos amigos de sergipanos, com quem fez inúmeras parcerias.

Uma das mais recentes, fez com Anabel Vieira, quando musicou a poesia do professor Diomedes Santos, trabalho que gerou um livro-disco em 2011. Varias outras parcerias se fizeram no palco, com Marco Aurélio, Gilberto Nunes e Grupo Cataluzes. Agora, trabalha na produção do seu disco infantil "Minha caixa de lápis de cor", onde cantará acompanhado da cantora mirim Kaluaná, CD que pretende lançar em breve.

Beto, além da atuação nos palcos, onde é cantor, violonista e percussionista, tem suas composições destacadas em diversos festivais de música pelo Brasil e em Sergipe, a exemplo do Festival de Artes Arthur Bispo do Rosário em Japaratuba (SE), apresentando um trabalho de resgate ao Cacumbi do Mestre Batinga. Mostrou sua arte no Festival de Música de Chapada dos Guimarães (MT) e em Mauá (SP), onde recebeu o prêmio de Destaque Popular, com a canção "Eu e meu jegue comendo rapadura diet", em concurso em que o patrono é mestre Alceu Valença.

Cultura, turismo e geração de rendahjn 
A Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), após terminar as obras de construção da nova orla do Mosqueiro, à beira do rio Vaza-Barris, batizada de Orla Pôr do Sol, incumbiu a Funcaju de organizar um projeto que tanto incentivasse o turismo no mais novo atrativo da capital, quanto também levasse a nossa cultura, de forma gratuita aos visitantes e à população. O evento, que acontece todos os sábados, às 17h, também gera renda para os pequenos comerciantes instalados no complexo de lazer.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Painel para estande do CRECI Sergipe e Funcaju




Produção de painel para estande do CRECI Sergipe e Funcaju, no 1º Congresso Internacional do Mercado Imobiliário (CIMI) e a 4ª edição do Encontro Brasileiro de Corretores de Imóveis (ENBRACI), em Brasília.