Social Icons

twitterfacebookgoogle pluslinkedinemail

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Cohidro reúne agricultoras e entidades para debater melhorias no campo

Agricultoras debatem melhorias
(Fotos Ascom Cohidro / Fernando Augusto)
Organizadas através da Associação de Moradores Maria José dos Santos, que compreende o Povoado Brejo e adjacências em Lagarto, as mulheres da comunidade solicitaram o apoio da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro), para encontrar caminhos e orientação para a aplicação de políticas públicas que às beneficiem, na questão da geração de renda, desenvolvimento humano e requisição de direitos trabalhistas. A reivindicação resultou na reunião que aconteceu na tarde desta terça-feira, 19, na creche-escola da Entidade.

Gilvanete Teixeira, gerente do
Perímetro Irrigado Piauí
Gilvanete Teixeira, gerente do Perímetro Irrigado Piauí, foi quem recebeu a solicitação das moradoras e tratou de organizar o evento. “Organizadas pela ‘Meirinha’, essas mulheres, guerreiras, tem buscado seus objetivos em prol de conquistar o seu espaço e nosso escritório estará sempre aberto à recebê-las”, frisou Gilvanete que trouxe para reunião, à convite, o presidente da Cohidro Mardoqueu Bodano e diretores da Companhia; representantes do Sebrae, Banco do Nordeste (BNB), Sindicato de Trabalhadores Rurais e Prefeitura de Lagarto.

"Rosimeire Barbosa (Meirinha),
Coordenadora do núcleo feminino
da Associação de Moradores Maria José dos
Santos e diretora da creche-escola
Coordenadora do núcleo feminino da Associação e diretora da creche-escola, Rosimeire Barbosa (Meirinha), representa as 120 famílias que constituem a Entidade. Ela enumerou as carências que ocorrem na comunidade as quais buscou a Cohidro para suprir. “Nossas mulheres, que são esposas de agricultores, muitas vezes perdem oportunidades por não ter uma mão de obra qualificada, para aproveitar, por exemplo, a pimenta que não passa na triagem das indústrias, que poderia ser usada na fabricação de geleia e outros subprodutos, o mesmo se aplica ao aproveitamento da folha da mandioca e da manipueira”, explicou Meirinha, lamentando ver os produtores desestimulados pelo desperdício.

Representante do Sebrae de
Lagarto, Jadson Vidal
Sobre a proposta de oferecer uma qualificação profissional, que dê alternativas de geração de renda a essas famílias, falou na reunião o representante do Sebrae de Lagarto, Jadson Vidal. “Existem uma série de atividades, projetos e ações de capacitação que a gente vai ter a maior satisfação de implantar aqui no Povoado, o que vai depender da mobilização e participação das moradoras.”, externou Vidal, que ainda explicou a facilitação que o Órgão oferece na formalização de pequenas empresas rurais e empreendedores individuais, outra requisição das mulheres do Povoado Brejo.

O coordenador do programa
“Agro Amigo” do Banco do
Nordeste em Lagarto,
Cristiano Santana
Benefícios
O coordenador do programa “Agroamigo” do Banco do Nordeste em Lagarto, Cristiano Santana, apresentou às mulheres da Associação de Moradores o “Pronaf Mulher”, linha de crédito específica para elas, que financia iniciativas agrícolas ou de empreendedorismo, em até R$ 15 mil. Já o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Lagarto, Ginaldo Correia, foi convidado pela Cohidro para esclarecer, na reunião, dúvidas em relação aos direitos trabalhistas voltados a elas, expondo também um panorama das conquistas da sua entidade em favor dos sindicalizados.

Presidente do Sindicato dos
Trabalhadores Rurais
de Lagarto, Ginaldo Correia
“Quero parabenizar o Governo Estadual, que está cadastrando 54 dos nossos agricultores analfabetos que vão receber, cada um, R$ 300 para aprender assinar o próprio nome, através do programa ‘Mão Amiga’”, disse Ginaldo, aproveitando para cumprimentar pessoalmente na reunião, o presidente Mardoqueu que quando era deputado estadual, em 2009, foi o relator do projeto de lei do programa responsável por fornecer uma renda auxiliar aos agricultores na entressafra da cana-de-açúcar e laranja, com recursos do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza (Funcep). Benefício agora estendido para a alfabetização desses trabalhadores rurais.

Maria Terezinha Albuquerque,
coordenadora estadual do PAIS
Maria Terezinha Albuquerque, coordenadora estadual do PAIS (Produção de Alimentos Integrada e Sustentável) na Cohidro, colocou para os presentes na reunião, os dados da atuação do Programa no município. “O PAIS, dentre as políticas públicas, tem uma importância muito grande no fortalecimento da agricultura familiar, inclusive podendo ser utilizado na produção de plantas medicinais como uma solução à carência na oferta de fitoterápicos”, conta ela, que também distribuiu cartilhas educativas do PAIS para às moradoras presentes.

João Quintiliano da Fonseca,
Gerente de Irrigação e
Desenvolvimento
Agrícola da Cohidro
João Quintiliano da Fonseca, Gerente de Irrigação e Desenvolvimento Agrícola da Cohidro, fez um balanço positivo da reunião e aponta quais são os próximos passos. “A reunião serviu para aproximar a Companhia da comunidade e demais órgãos responsáveis por desenvolver as políticas públicas aplicáveis a eles. A partir de agora a Associação deve reunir quais sãos as demandas do grupo e reunir os interessados em solucionar cada uma delas, para que sejam feitas outras reuniões específicas”, complementou João, que colocou a Cohidro à disposição para organizar os próximos encontros.

O Presidente da Cohidro, Mardoqueu Bodano, parabenizou a iniciativa das mulheres do Povoado. “É uma satisfação poder por à disposição dos anseios da comunidade essa parceria, que sempre existiu, entre a Cohidro, Sebrae e BNB. Uma das principais metas do Governo Marcelo Déda é contribuir para com o desenvolvimento humano, nas comunidades rurais sergipanas valorizando o trabalhador rural, em ações e buscando, junto ao Governo Federal, subsídios para valorizar a agricultura familiar, que hoje é responsável por 70% do PIB brasileiro”, concluiu Mardoqueu, agradecendo a todos dirigentes que atenderam ao convite feito pela Companhia.

Presidente da Cohidro, Mardoqueu Bodano
Também compareceram a reunião, o presidente da “Associação de Moradores Maria José dos Santos”, Cristiano Rodrigues de Jesus; o diretor de Desenvolvimento Rural na Secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural de Lagarto, Adelino Barbosa; O presidente da Associação dos Produtores do Perímetro Irrigado Piauí (Appip) , Antônio Cirilo de Amorim e a equipe técnica do Perímetro Irrigado da Cohidro em Lagarto.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Ressaca de Carnaval da Ivone faz a folia no CRAS e Biblioteca

Fotos: Ascom/Fucaju - Fernando Augusto
Em sua sétima edição, a Ressaca de Carnaval da Biblioteca Ivone de Menezes Viera colocou o bloco na rua, na tarde desta quarta-feira, 20, levando os usuários do Centro de Referência da Assistência Social (Cras) Antônio Valença Rollemberg para as dependências da Biblioteca, ambos no bairro Augusto Franco, embalados por banda de frevo. Da festa organizada pela Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Funcaju), também participaram estudantes do Colégio Estadual Francisco Portugal.

Dona Maria Zuleide dos Santos,
a coordenadora do "Conte Conosco" Selma dos Santos e
Dona Maria José Vasconselos
Dentre os ‘foliões' estavam as senhoras do Grupo de Convivência "Conte Conosco", parceria entre o CRASS Antônio Valença e a Universidade Tiradentes (Unit), que oferece atendimento médico, odontológico e atividades físicas para a terceira idade. A coordenadora do grupo, Selma dos Santos, revela que as idosas adoraram o convite para a festa. "Elas ficaram muito alegres, estão satisfeitas demais e já estamos contando com o convite para as próximas festas", comemorou.

Nitinho e os jovens especiais
acompanhados pelo CRAS
"Estou adorando a festa, na idade da gente, temos que aproveitar para brincar muito. Brinquei o Carnaval em Pirambu e agora estou aqui repetindo a dose", revelou a usuária do CRAS Maria José Vasconcelos. Também, por intermédio do CRAS, estiveram presentes os alunos da turma de adolescentes portadores de necessidades especiais do Programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA), e crianças do Programa de Correção de Fluxo (Se Liga) e do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI), ambos do Colégio Francisco Portugal.

Coordenadora Adriane Dantas e
as máscaras carnavalescas
confeccionadas nas oficinas
A Ressaca foi só umas das atividades ligadas ao Carnaval realizadas pela Ivone de Menezes, segundo conta a coordenadora de Extensão e Ação Cultural da Ivone de Menezes, Adriane Dantas. "Nos dias 24, 25 e 28 de janeiro, ministrei à comunidade a oficina para confecção de máscaras venezianas em gesso, e de 5 a 7 de fevereiro, a oficina de máscaras emborrachadas. Nesta última, também fizemos atividade para as crianças, com pinturas de rostos com temas carnavalescos", revelou a professora Adriana.

Diretora da Biblioteca, Maria José
Para a diretora da Biblioteca, Maria José Lima, a Ressaca da Ivone faz um resgate do tradicional Carnaval de rua. "A gente convida os idosos ligados ao CRAS, que tem essa tradição dos antigos Carnavais, que poderão repassar o gosto por essa festa popular para esses jovens também do CRAS e das escolas que também convidamos para a festa, fazendo assim um intercâmbio entre as diferentes idades", ressaltou Maria José, lembrando também que durante o mês de fevereiro, a "Hora do Conto" foi voltada para histórias ligadas a tradição carnavalesca.

A Funcaju ofereceu máscaras, colares, confete, serpentina para os foliões que, ao final, repuseram as energias com delicioso lanche na Biblioteca. Presente à festa, o presidente da Funcaju, Manoel Viana, não escondeu a alegria do convívio com os usuários da Biblioteca e do CRAS. "É minha primeira vez acompanhando essa festividade e é muito gostoso acompanhar o pessoal de mais idade interagindo com os as crianças e adolescentes. Uma experiência muito gratificante que para o próximo ano pretendemos incrementar para ampliar à participação de toda comunidade", comenta.

Pequenos foliões do Se Liga,
Luciano, Bruna, Juliana e Maria Izabel
Também esteve lá, junto aos foliões da Ivone, o futuro secretário municipal de Cultura e Eventos, Josenito Vitale (Nitinho), contente com a integração que viu no evento. "É importante essa integração entre Biblioteca e sociedade e nós, na Secretaria de Cultura e Eventos, vamos incentivar ainda mais essas iniciativas, de forma que venha agregar mais adeptos a toda cultura oferecida aqui nessa unidade da Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), através da literatura e do folclore", completa Nitinho, que pretende ampliar esse incentivo a outras atividades, a exemplo do Forró da Ivone, realizado no mês junino.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Cohidro segue parceira das Feiras da Agricultura Familiar em 2013


Focadas em contribuir com a geração de renda para os pequenos agricultores do Estado e no incentivo à produção e consumo de produtos orgânicos, as Feiras da Agricultura Familiar, realizadas pela Secretaria de Estado da Inclusão, Assistência e do Desenvolvimento Social (Seides) na Capital e outras cinco cidades do interior de Sergipe, continuarão em 2013. Dos feirantes que participam, considerável parcela é irrigante dos perímetros da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro).

A Companhia acredita no potencial do Projeto, em beneficiar a agricultura familiar do Estado, como revela o diretor de Irrigação e Desenvolvimento Agrícola da Cohidro, João Quintiliano da Fonseca Neto. “A iniciativa da Seides é muito positiva, pois tem por objetivo oferecer produtos de ótima qualidade aproximando o agricultor do consumidor, eliminando o atravessador, com isso elevando sua renda”, expõe. A Empresa, além da assistência técnica e hídrica, assessora os produtores com potencial de fornecimento contínuo de alimentos às Feiras, na comercialização e transporte dos produtos.

Como novidade para 2013, está a implantação de mais uma Feira mensal, nas dependências da Secretaria de Estado da Educação (Seed), em Aracaju, como revela a Diretora do Departamento de Segurança Alimentar da Seides, Rosane Cunha. “Muitos dos clientes que frequentavam a Feira aqui na Seides eram servidores da Seed. Depois de várias solicitações, decidimos implementar a Feira lá, fizemos uma edição de teste em dezembro e foi um sucesso. Além desta, continuam as feiras realizadas quinzenalmente na sede da Seides em Aracaju, Neópolis e Nossa Senhora da Glória e ainda as semanais, em Boquim, Lagarto e Ribeirópolis”, anuncia.

Preocupada com os problemas causados pelo êxodo rural, a Seides tem como intenção oferecer meios rentáveis de escoamento da produção da agricultura familiar no Estado através das feiras, como ressalta Rosane Cunha. “Nosso objetivo principal é prover meios de renda ao pequeno produtor, fazendo com que ele não abandone a atividade agrícola, diante das dificuldades enfrentadas numa pequena propriedade. Muitos não conseguem sair da área rural para comercializar seus produtos, abrindo espaço para atuação de atravessadores, estes que oferecem preços inferiores aos praticados aqui na Feira”, observa a diretora.

A valorização dos produtos agrícolas alcançada nas feiras é também observada pelo irrigante do Perímetro Jacarecica II da Cohidro, Genivaldo Francisco Xavier. “Na roça eu vendo uma caixa de 30 quilos de macaxeira ao atravessador por R$ 60, aqui consigo comercializar por R$ 90. A saída aqui também é muito boa, geralmente as freguesas reservam hoje os produtos que vão vir buscar na próxima Feira”, conta o agricultor do povoado Grupo dos 20, no município de Malhador, que além da macaxeira, trás para edição realizada na Seides batata-doce, inhame, banana, hortaliças e ovos da galinha de capoeira (caipira), em suas quatro tarefas de terra cultivadas por meio da irrigação.

Cliente da banca de Genivaldo, a engenheira civil Catia Maria Ralin, visita a Feira realizada no pátio da Seides pela segunda vez, motivada pela oferta de produtos orgânicos. “Fiquei sabendo da Feira através de uma amiga que também frequenta e pela televisão. Os preços são parecidos com os dos supermercados, porém lá os produtos não são orgânicos como aqui, com qualidade bem maior. Os feirantes são muito atenciosos, vou criar o hábito de vir em todas as edições da Feira”, revelou ela que leva sempre para casa verduras folhosas, frutas e legumes.

Cohidro
Além de promover a agricultura orgânica em seus perímetros irrigados, Rosane Cunha considera essencial a irrigação fornecida pela Companhia, durante todo ano, para o sucesso da Feira da Agricultura Familiar. “É fundamental, porque sem esse apoio da Cohidro aos agricultores, ficaria impossível eles trabalharem nos períodos de estiagem que atingem todo Nordeste Brasileiro. Com essa assistência da irrigação eles conseguem trazer aqui para Feira, alimentos até nas épocas das piores secas”, considera, tomando por base os depoimentos dos produtores que participam do Projeto.

Para Mardoqueu Bodano, presidente da Cohidro, cooperar para que a agricultura familiar se desenvolva em Sergipe, através de iniciativas como a da Seides, qualifica todo investimento destinado ao setor. “Estamos inseridos nessa rede de projetos promovidos pelas Instituições que integram os governos Marcelo Déda e Dilma Rousseff, onde o homem do campo é valorizado e incentivado a produzir mais e melhor. É gratificante ver o resultado desse empenho conjunto se materializar em famílias provendo renda, fruto de seu trabalho e consumidores tendo acesso a produtos alimentícios de alta qualidade, a preços competitivos aos aplicados nas grandes redes de supermercados”, expõe.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Cohidro atendeu 21 mil pessoas através do “Frutos da Terra”


A atuação dos agricultores inseridos no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) “Frutos da Terra”, por intermédio da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro), em 2012 ultrapassou, mais uma vez os índices apresentados no ano anterior. Como acontece desde 2008, quando passou a ser implantado o PAA nos perímetros da Empresa, os números são sempre positivos. Foram mais de 21 mil pessoas recebendo a doação de 444,15 toneladas de alimentos, produzidos por 251 irrigantes custeados em R$ 780.421, pagos pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) com recursos do programa Fome Zero.

Principal alta do PAA gerido pela Cohidro, o número de pessoas que receberam as doações simultâneas de alimentos teve acréscimo de 42,31%. Dos cerca de 12 mil atendidos no ano anterior, em 2012 o Programa alcançou 21.175, entre crianças acolhidas em creches, idosos em asilos, pacientes de hospitais e famílias em situação de carência nutricional. Em 4 anos, desde a implantação do “Frutos da Terra”, esse número cresceu 87,57%, comparando a quantidade de beneficiados no primeiro com a do último ano.

Atendendo 1,4 mil pessoas, entre crianças que frequentam sua creche a as famílias dos seus colaboradores, a Cooperativa de Agentes Autônomos de Reciclagem de Aracaju (CARE), vêm recebendo alimentos da Associação dos Trabalhadores do Perímetro Irrigado Jacarecida II (Astrapicica), em Malhador, por intermédio do PAA. Ao todo serão 12.578 quilos de produtos entregues, durante a vigência do contrato que tem a duração de um ano. A entidade receberá, até maio de 2013, por exemplo, uma tonelada de macaxeira, 1.321 quilos de batata-doce e 1,1 toneladas de mamão, dentre outros produtos de uma lista de 17 variedades.

A diretora administrativa da CARE, Vaneide Ribeiro, ressalta que ter as 84 famílias atendidas pela Cooperativa, como receptoras de doações simultâneas do “Frutos Terra”, ajuda a garantir a segurança alimentar destas pessoas e acredita que essa parceria incentiva que outras organizações também façam doações. “Nossa maior preocupação é com o bem estar dos filhos de nossas cooperadas. Essas crianças vivem em área de risco e podem ser facilmente levadas pelas drogas. A Cohidro está nos ajudando e muito. Espero que essa atitude desperte em outros empresários a vontade de nos ajudar. Aqui aceitamos todos os tipos de doações”, relata Vaneide.

Alimentos doados
Sandro Luiz Prata, chefe da Divisão de Agronegócios da Cohidro, contabiliza que foram 444.150 quilos de alimentos, doados através do PAA, produzidos pelos irrigantes da Cohidro durante 2012. Se somados aos anos anteriores de vigência do programa, o “Frutos da Terra” já possibilitou a entrega de 1.246,02 toneladas de produtos, por meio desses agricultores. “A quantidade de cada produto oferecido pelos produtores segue uma regra rígida, considerando o Manual de Operações da Conab, de forma que possa fortalecer cada vez mais a comercialização da agricultura familiar e satisfazer uma dieta diária consistente, minimizando a carência alimentar das regiões inseridas no projeto, através da modalidade ‘doação simultânea’”, relaciona.

Valor financiado
Cada produtor que adere ao PAA pode fornecer ao programa até R$ 4,5 mil em alimentos por ano. É através de suas associações que estes agricultores propõem o projeto de Compra da Agricultura Familiar (CPR) e recebem os valores pela venda dos seus produtos. “Em 2012, foi pago a esses irrigantes da Cohidro, ligados ao ‘Frutos da Terra’, o valor total de R$ 780.421, R$ 70,5 mil a mais que no ano anterior. Desde 2008, na implantação do programa, ao todo foram injetados, na agricultura familiar gerida pela Companhia, R$ 2.207.732,39 provenientes do PAA”, informa Sandro Luiz.

O principal trabalho do departamento de agronegócios da Cohidro, quanto a promover a integração dos irrigantes ao PAA, está na confecção do projeto a ser apresentado, segundo Sandro Prata. “No projeto para um novo contrato de CPR, tem que haver uma associação ou cooperativa proponente que represente os agricultores. Deverá estar inserido em cada projeto, um quociente mínimo de 40% de produtoras mulheres, atendendo a resolução número 44, de 16 de agosto de 2011, do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). Esses agricultores terão que possuir a Declaração de Aptidão do Produtor (DAP), que segue as regras estabelecidas pelo Programa de Fortalecimento da Agricultura Família (Pronaf)”, detalha.

Orgânicos
Sandro Luiz assinala que para 2013, a Cohidro irá estabelecer nova estratégia para incentivar ainda mais a participação do cultivo orgânico no “Frutos da Terra”. “Agora optaremos por projetos mistos ao invés de um só para a produção agroecológia, o que exigiria um número considerável de agricultores nessa modalidade, para formalizar uma CPR. Também estaremos dando prioridade aos que cultivam alimentos folhosos na oferta de orgânicos, pois são os que mais podem evitar a contaminação por agentes químicos em quem consome”, conclui, sobre o método de cultivo que em 2012 gerou renda a 13 irrigantes do Perímetro Piauí, em Lagarto. Eles forneceram, à doação simultânea, 35,45 toneladas de alimentos livres de agrotóxicos, que a Conab paga 30% a mais do que o produto convencional. 

Mardoqueu Bodano, presidente da Cohidro, considera o PAA “Frutos da Terra”, um mecanismo essencial para que a Empresa cumpra seu papel de auxilio à agricultura familiar e defesa da segurança alimentar em Sergipe. “Essencialmente temos o dever de oferecer mecanismos para que nossos irrigantes possam comercializar os produtos gerados no cultivo em nossos perímetros, isso se torna gratificante quando unimos essa prioridade aos incentivos, criados pelos governos Estadual e Federal, visando levar o alimento de qualidade à mesa das famílias necessitadas, às nossas crianças, enfermos e idosos. O Governo Marcelo Déda tem sido protagonista no combate à miséria, trazendo dignidade e esperança a toda nossa gente,” finaliza.