Social Icons

twitterfacebookgoogle pluslinkedinemail

sábado, 23 de março de 2013

Valdice Teles leva oficinas de artes ao São Conrado

A Escola Oficina de Artes Valdice Teles (EOAVT), uma das unidades da Secretaria Especial de Cultura, está participando da segunda edição do programa Prefeitura nos Bairros deste sábado, 23, no São Conrado. No evento, que reúne os serviços prestados à população pelas secretarias da Prefeitura Municipal de Aracaju, a Valdice está expondo os trabalhos de seus alunos e aplicando oficinas em artes e artesanato aos visitantes do seu estande.

clique para ampliar
Apresentação de dança contemporânea
(Foto: Ascom/Funcaju)

Pela manhã, os professores de arte da EOAVT pintaram e ensinaram às crianças de como fazer a maquiagem artística de rosto. A dona de casa Dalva Alcântara veio ao Prefeitura nos Bairros buscar atendimento sobre o Bolsa Família e previdência, mas aproveitou para trazer a neta para participar das oficinas. "É uma boa iniciativa essa feita para as crianças, é um divertimento para elas", comentou a avô de Estefani Costa, de 6 anos, que pintou e ganhou uma maquiagem.

Durante todo dia, a Oficina de Pintura em guache está sendo realizada. Focada nas crianças, a atividade exercita a criatividade dos pequenos e revela novos talentos nos que se destacam, como explica o diretor da EOAVT, Eugênio Enéas dos Santos. "No mesmo momento em que estamos aplicando as oficinas, explicamos como funcionam nossos cursos, distribuímos folders e quando identificamos um talento para o desenho e pintura, orientamos para procurar a Escola, para que possa desenvolver essas habilidades", revelou.

clique para ampliar
Vitória Iasmim Santos de Santana
(Foto: Fernando Augusto)
Vitória Iasmim Santos de Santana, de 5 anos, veio com a madrinha para o evento e não resistiu ficar na tenda para fazer pinturas e ganhar uma maquiagem. "Minha madrinha estava passando comigo, eu vi as crianças desenhando e decidi ficar. Gosto muito de pintar borboletas", contou a pequena moradora do bairro São Conrado.

O artesanato em tecidos e cordão foi também uma das oficinas aplicadas na tenda da EOAVT, mas para os adultos. A comerciária Elizana Gomes dos Santos ficou empolgada com a atividade. "Achei ótimo, pois é uma aprendizado que serve tanto para mim como também posso levar para casa e ensinar minha mãe e meus filhos", comenta ela, que aprendeu a fazer fuxicos, além de chaveiros e prendas.

clique para ampliar
A comerciária Elizana Gomes dos Santos(Foto: Fernando Augusto)
O Prefeitura nos Bairros no bairro São Conrado também serviu como espaço para mostrar o trabalho desenvolvido com os alunos na EOAVT. No estande foram expostos desenhos artísticos em carvão, com a temática dos monumentos históricos de Aracaju. No palco do evento, entram em cena apresentações de Dança Contemporânea e do Ventre.

Prefeitura nos Bairros leva cultura e diversão ao São Conrado


Nesta segunda edição do programa Prefeitura nos Bairros, o evento conta mais uma vez com a atuação da Secretaria Especial de Cultura, com apresentações artísticas no palco principal e oficinas no estande.

A Escola Oficina de Artes Valdice Teles (EOAVT), uma das unidades da secretaria, instalou estande para receber a população. Segundo Eugênio Enéas dos Santos, diretor da Instituição, serão aplicadas oficinas de arte e exposição de desenhos realizados por alunos da EOAVT.

"Haverá oficinas de pintura, artesanato e maquiagem. Essa é uma forma de incentivo que a Valdice Teles dá para que a população procure a Escola, mostrando um pouquinho do que fazemos", disse Eugênio Enéas, convidando o bairro São Conrado para conhecer o trabalho dos alunos em desenho a carvão, retratando os monumentos históricos de Aracaju e aproveitar o dia de alegria, diversão e as ações promovidas pela PMA.

Ainda pela Valdice Teles, acontecem no palco a apresentação dos alunos da Escola em Dança Contemporânea e a tarde Dança do Ventre. Essas são só duas das apresentações, pois ainda tem a juventude com o grupo HipHop e a Capoeira. Já a terceira idade traz a tradição do Samba de Coco para o Prefeitura nos Bairros. A música também estará presente, com show do cantor Hélio Lima e a Ave Maria, às 18h, apresentada em performance instrumental.

Para o secretário Especial de Cultura, Josenito Vitale (Nitinho), esta edição do evento também está superando as expectativas. "Estamos, mostrando o trabalho de nossos futuros artistas da Valdice Teles e dando espaço para que os jovens do bairro também mostrem seus talentos", concluiu Nitinho.

quarta-feira, 20 de março de 2013

XXII Salão de Novos premia revelações das artes plásticas


clique para ampliar
Luiz Adelmo e Nitinho (Fotos: Ascom/Funcaju)
Em sua 22ª edição, o Salão de Novos, mostra de artes plásticas realizada pela Galeria de Artes Álvaro Santos (GAAS), uma das unidades da Secretaria Especial de Cultura, selecionou 50 entre os 89 trabalhos inscritos para concorrer à premiação que foi realizada na noite desta terça-feira, 19. Ao todo foram 52 novos artistas que participaram das seletivas. Todas as obras selecionadas permanecerão em exposição na GAAS até o dia 20 de abril.

Segundo o curador da Mostra e diretor da GAAS, Luiz Adelmo, só foram aceitos trabalhos de artistas que nunca realizaram exposições individuais e nem tenham vencido nenhuma das premiações em outras edições do Salão de Novos. Uma maneira de somente contemplar os estreantes nas artes plásticas, ou aqueles que não tiveram a devida oportunidade de divulgar seus trabalhos.

"Conseguimos cumprir nosso objetivo, que é mostrar os novos talentos e ao mesmo tempo ver a evolução dos artistas que é latente e sempre notada a cada ano", expôs Luiz Adelmo, que ainda assinala a eficácia da seleção. "Foram 12 artistas, cada qual com uma obra selecionada, e 20 artistas com duas obras, prova de que prevaleceram os melhores para a mostra e concorrendo a premiação", completou.

Seleção 

clique para ampliar
Fábio dos Santos e Nitinho
No dia 15 aconteceu a primeira seleção, que escolheu os 50 trabalhos para a mostra e para concorrer à premiação. Nela atuaram como jurados Adauto Machado (artista plástico), Carine Santiago (artista plástica) e Murilo Guerra (arquiteto). Já para escolher os três primeiros colocados para premiação de melhor obra de arte participaram do júri Pithyu (artista plástico), Fátima Bastos (curadora do Espaço Cultural Yázigi) e Antônio Cruz (escultor).

O primeiro lugar no Salão dos Novos foi "Boca fechada não entra mosquito", de Reginaldo. A obra de modelagem à mão usa do concreto, cimento e gesso, para dar forma a inspiração do artista que fez uma crítica àquelas pessoas que "falam muita bobagem". Para ele, a Mostra abre espaço para novos talentos. "Vejo o Salão de uma forma positiva, pois temos pouco espaço e ele nos dá essa oportunidade de expor nossas obras", desabafou.

clique para ampliar
Papoula e Nitinho
Fábio dos Santos teve sua obra inusitada, que mistura pintura à óleo com madeira e arame farpado, premiada com o segundo lugar no Salão. "O estado ainda tem um ponto de carência na atenção às artes e a GAAS tenta promover isso. Para mim, é como se fosse o Oscar das artes, pois só de participar já é uma grande honra", comentou.

O jovem artista de 19 anos, Pedro Boeira, usou da pintura em aquarela para criar a tela "Casa do Bispo", terceira colocada na premiação da noite. Aluno do consagrado artista plástico sergipano Tintiliano, tem quatro anos como pintor pretende seguir a carreira profissionalmente. "O Salão dos Novos divulga novos talentos e da oportunidade do artista crescer culturalmente", comentou Boeira.

Premiação 
clique para ampliar
Reginaldo
Além dos premiados, receberam a menção honrosa do Salão de Novos também outros cinco expositores: Hélio Eleutério (pintura acrílica), Chico Oliva (técnica Mista com metal), Eduardo Maia (técnica mista tridimensional), Papoula (pintura à óleo) e Nego, que pela primeira vez participar da Mostra com uma tela pintada usando da técnica do graffiti.

A GAAS, através da Secretaria Especial de Cultura de Aracaju, premiou do primeiro ao terceiro colocado no Salão dos Novos com as quantias de R$ 2,5 mil, R$ 2 mil e R$ 1,5 mil respectivamente. Para o secretário Especial de Cultura, Josenito Vitale (Nitinho), a nova administração da Prefeitura Municipal de Aracaju não poderia deixar de apoiar a Mostra e dar sequência ao evento já tradicional para as artes sergipanas.

clique para ampliar
Nego e Nitinho
"O Salão dos Novos é muito importante e foi há 22 anos que tudo começou, só estamos dando continuidade e valorizando esses novos talentos que estão surgindo nas artes plásticas. Então a gente deve apoiar, participar e fazer mais exposições para mostrar os grandes talentos nas artes que temos aqui em Aracaju", concluiu Nitinho.

sábado, 16 de março de 2013

Show da Fé reúne milhares na comemoração dos 158 anos de Aracaju


Os três dias em que serão realizados shows comemorando o aniversário de 158 anos de Aracaju, na Praça de Eventos Hilton Lopes nos Mercados Centrais, foram iniciados com o "Show da Fé", nesta sexta-feira, 15. O evento faz parte do calendário oficial da Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), organizado pela Secretaria Especial de Cultura (SEC). Na ocasião, se apresentaram ao público evangélico, atrações musicais locais e de nível nacional, que reuniram milhares de pessoas.

Para a realização do evento foi consumada uma parceria entre a PMA e as igrejas Internacional da Graça de Deus, Assembleia de Deus, Quadrangular e de Deus Renovada, como conta o coordenador Especial de Eventos da SEC, Manoel Viana. "Decidimos ampliar para duas noites de shows o espaço dedicado ao público evangélico nessa edição do Aniversário de Aracaju e a resposta de nossa iniciativa é esse público, com milhares de pessoas prestigiando o evento", comemorou, explicando que neste primeiro dia a Secretaria somente cedeu o espaço, palco, equipamentos e toda estrutura e pessoal de apoio, os custos com as atrações ficaram a cargo das congregações religiosas.

A cantora Dicla Soares
(Fotos: Fernando Augusto / Ascom Funcaju)
A noite de shows gospel foi aberta com a cantora Dicla Soares de Aracaju, que tem 25 anos de louvores com a Igreja Assembleia de Deus, apresentando programa de TV onde revela novos talentos da música evangélica do estado. As apresentações deram sequência com o culto musical da Igreja Internacional da Graça de Deus, onde os cantores de repercussão nacional Fernandes Lima, Fabiano Motta e Danielle Rizzutti, compartilharam o palco com missionários, incluindo o fundador da Denominação Cristã, o pastor Romildo Ribeiro Soares.

A gaúcha Danielle Rizzutti, da
 Igreja Internacional da Graça de Deus
"É um privilégio poder levar o amor de Deus, a Palavra de Deus cantada para tantas pessoas e tenho certeza que ficará marcado os 158 anos de Aracaju, com a alegria completa na vida das pessoas, vidas transformadas e voltando pra casa diferentes. Em tudo eu vejo a glória do Senhor, eu vejo a mão Dele nesse trabalho, Ele colocou em Aracaju administradores que tem pensando também em quem quer ouvir a palavra de Deus e é gratificante fazer parte desse trabalho", enaltece a gaúcha Danielle Rizzutti, que fez o pré-lançamento do seu novo CD na Capital Sergipana, disco que será lançado nacionalmente no próximo dia 30.

Pastor e cantor Fabiano Motta
Também sobre a sensibilidade que a atual administração da PMA teve com o público evangélico, falou o cantor e pastor paulistano, Fabiano Motta. "Acho muito bacana, a gente vê na cidade essa abertura, essa inclusão de todas as pessoas. Eu fiquei muito impactado com a receptividade das pessoas daqui e isso deu reflexo na pessoa do Prefeito, da Prefeitura que abrigou esse evento e isso resultará num efeito muito bom para a Cidade", completou ele que a quase dois anos acompanha o pastor R.R. Soares em seus programas de TV e está preparando no trabalho fonográfico para em breve ser lançado.

O cantor de Sergipe Lucas Abreu
O terceiro show da noite gospel foi do cantor de Sergipe Lucas Abreu. "Preparamos um repertório com algumas músicas antigas, mas bastante agitadas. Vejo aqui hoje um público um pouco diferente do que estou acostumado, tocado sempre para um público mais jovem e da minha congregação, mas foi uma honra tocar para toda essa gente de várias idades e cultos diferentes. Achei bonito, achei interessante e o pessoal tem que se render, sabe que o gospel da crescendo e o evangelho está se estruturando", comentou o líder estadual de jovens da Igreja Quadrangular, sobre a abertura da PMA para o público evangélico nesse evento. Ele está preparando seu quarto CD, "Sermão do Monte", à ser lançado nos dias 29 e 30 deste mês.

Izabel Cristina Santos Alves
Fechando o "Show da Fé", se apresentou o pagode gospel da Banda Renovart de Aracaju, representando a  Igreja de Deus Renovada. Para a vendedora e estudante de Informática Avançada na Fundat, Izabel Cristina Santos Alves, o evento foi uma benção divina. "Congrego na Igreja Presbiteriana Renovada e participo todo ano destes shows  para o público evangélico. Parabenizo o Prefeito João Alves Filho, que conheço desde criança lá no Conjunto Jardim Esperança, pela iniciativa, uma pessoa maravilhosa que sempre trabalhou bem para os sergipanos", conclui.

Angélica Alves dos Santos e a
prima Tati Santos
A estudante Angélica Alves dos Santos destacou a organização do evento. "Esta tudo maravilhoso, muito bem organizado e as atrações que trouxeram hoje são excelentes. A iniciativa foi muito boa de comemorar os 158 anos de Aracaju com shows evangélicos",  disse a fiel da Igreja de Deus Renovada. Também cristãos do interior de Sergipe compareceram ao evento, como Sérgio dos Santos. "Só Deus liberta, só Deus cura, só Deus transforma. Precisamos de mais shows como estes não só na Capital, mas em todo Estado. Se cada um dos governantes fizesse um pouquinho, pois isso aqui é uma benção, traria mais vida para as pessoas, porque Jesus é a vida", reivindicou.

Coordenador Manoel Viana e
o pastor José Hilton
O pastor José Hilton foi um dos organizadores do Evento que para ele, foi um momento especial para a comunhão familiar. "Nós da Igreja Internacional da Graça de Deus nos sentimos honrados de abrirmos as festividades de 158 anos de Aracaju, fazendo juntamente com a SEC essa brilhante festa, trazendo essa multidão, sem nenhum tipo de tumulto, só pessoas de Deus. Essa junção veio para abençoar as famílias sergipanas, privilegiando as pessoas de todas as idades com essa noite de alegria", ressalta.

Segunda noite gospel
Para hoje, 16, a Praça Hilton Lopes recebe a segunda noite gospel em comemoração ao aniversário da Cidade, a partir das 18h, com grande show do cantor evangélico mineiro, André Valadão. Cantam também o baiano Wilson Aragão, o carioca Jailton Santos e a catarinense Deborah Cristina. A festa também contará com as atrações musicais gospel locais Lenilson Mendonça, Daniel Abreu, Abraão Lima, Ministério Mais que Abundante, Lenna Sarai, Keila Gomes, Tom Herdes, Santana, Samuel Martins, Raimundo Reis, Dicla Soares, Gilvan Carlos & Jackson Frazão, Ministério Renovado, Marcely Rodrigues, Izane e Daniel Dial.

quarta-feira, 6 de março de 2013

Hora do Conto é tema de oficina na Biblioteca Clodomir Silva


Estudantes de Pedagogia, da Faculdade São Luís de França, participaram na noite desta terça-feira, 5, de oficina educacional na Biblioteca Municipal Clodomir Silva. Como tema a "Hora do Conto", projeto da Instituição, ligada a Secretaria Municipal de Cultura e Eventos de Aracaju (SMCE), onde contadores de estória usam de métodos lúdicos, para tornam o hábito da leitura mais prazeroso às crianças e adolescentes que frequentam a Biblioteca.

Na oficina, os alunos do primeiro período, nas disciplinas Tecnologias Aplicadas à Educação e Metodologia de Pesquisa, puderam aprender, diretamente com os responsáveis pelo trabalho de contar estórias na Biblioteca, como utilizar os métodos e técnicas, aplicados na "Hora do Conto", em seus futuros alunos quando forem atuar profissionalmente.

Não é a primeira vez que a Biblioteca recebe alunos de instituições de ensino superior para aplicar a oficina, como conta a bibliotecária e contadora de estórias da Clodomir Silva, Ivani Brás. "Há seis anos, dentro do programa ‘Arte, Linguagem e Educação', desenvolvido junto com a Universidade Federal de Sergipe (UFS), as oficinas já são aplicadas aos alunos do curso de Letras e agora está despertando o interesse de outras Faculdades, como a Faculdade Atlântico que já trouxe seus alunos aqui e agora a São Luís", explica.

Professora Roselusia Morais e
 suas alunas Camilla Aragão e
Rosimaria de Jesus
A mestre em educação e professora da Faculdade São Luís, Roselusia Morais, soube da oficina através de colegas de docência e destaca na técnica de contar estórias, à aplicação de recursos tecnológicos independentes em sala de aula. "Esses recursos não dependem do uso de mídias, como o vídeo, para comunicar, são fabricados pelos próprios professores, como bonecos e fantoches", esclarece ela que também pretende, ao trazer seus alunos, identificar a biblioteca pública como espaço a ser utilizado por esses futuros professores, no exercício da educação formal nas escolas.

Aluna do curso de Pedagogia, Rosimaria de Jesus Melo Souza ficou entusiasmada com as possibilidades abertas pela prática de contar estórias. "Estamos aprendendo como contar estórias, para aplicar aos nossos futuros alunos, a professora está nos ensinando muitas técnicas novas. Se aplicar isso na criança desde pequena, incentiva a criar um aluno que também leia mais", expõe a estudante.

Camilla Aragão Prado, aluna da professora Roselusia, também acredita que contar estórias as crianças possa incentivar o hábito à leitura. "Com a contação de estórias, a criança se atenta para as atividades de leitura, tornando a aula mais interessante, facilitando o aprendizado", deduz ela que ficou interessada em trazer sua filha à Clodomir Silva, para participar da "Hora do Conto".

Professor da rede Municipal de Ensino de Aracaju, Tarcísio Bruno já foi diretor e contador de estórias na Clodomir Silva. Hoje participa da oficina como facilitador colaborador. "Com esses acadêmicos a gente pode multiplicar esta prática, para que eles trabalhem com seus futuros alunos, que será importante independente do grau de instrução que o professor venha lecionar. Já tive experiência até com alunos de pós-graduação e colaborou com o aprendizado, pois acima de tudo desperta também o hábito de ouvir no aluno", justifica.

A diretora da Clodomir Silva, Fátima Góes, considera fundamental essa parceria da Biblioteca com outras instituições. "Vejo como uma divulgação desse trabalho desenvolvido aqui na Biblioteca, que consiste na disseminação do hábito de leitura às crianças e adolescentes como algo prazeroso e não como uma obrigação", conclui Fátima, abrindo o convite para que outras faculdades também tragam seus alunos para as oficinas com os contadores de estórias.

A Biblioteca
A Biblioteca Municipal Clodomir Silva tem 53 anos e conta com mais de 22 mil livros, meios audiovisuais e audiolivros para cegos em seu acervo. Nela também está a Cordelteca João Firmino Cabral, a primeira criada o Brasil, com mais de mil livretos para consulta. O seu horário de funcionamento é de segunda a sexta, das 8h às 22h, e aos sábados, domingos e feriados, das 9h às 13h. A Biblioteca está localizada na Rua Santa Catarina, n° 314, bairro Siqueira Campos. Mais informações pelo telefone: (79) 3179-3742.

terça-feira, 5 de março de 2013

Projetos da Cohidro contabilizam R$ 46 mi em convênios

"Mais barragens serão recuperadas
(foto: Marcele Cristine)

Antes da captação de recursos e a execução das obras, realizadas pela Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro) e que beneficiam na irrigação, dessedentação animal e fornecimento de água às comunidades rurais, existe a etapa de planejamento executada dentro da Diretoria de Infraestrutura e Recursos Hídricos (Dinfra) da Empresa. Atualmente, estão em execução 7 projetos, elaborados neste departamento, que somam mais de R$ 46 milhões em investimentos.

Estes projetos são direcionados à execução das demandas dos governos Estadual e Federal, assim como convênios com outros órgãos governamentais, destinados à captação de água para abastecimento humano e animal além da melhoria dos Perímetros Irrigados. Um exemplo é o programa federal “Água para Todos”, do Ministério da Integração Nacional, que em conjunto com a Secretaria de Estado de Agricultura e Desenvolvimento Rural (Seagri) vai viabilizar, só em Sergipe, a perfuração de 107 poços artesianos e a montagem do sistema de abastecimento em comunidades rurais. Ao todo serão investidos no Estado R$ 14,4 milhões e destes já estão sendo licitados R$ 5.280.000, para a execução de 40 unidades em 2013.

A aquisição das três perfuratrizes e os 9 caminhões que darão suporte a essas unidades de perfuração, teve como origem outro projeto elaborado na Dinfra. Com recursos do Ministério da Integração Nacional e Governo de Sergipe, na ordem de R$ 10 milhões. Os equipamentos vão aumentar a capacidade operacional da Cohidro, conforme assinala o diretor de infraestrutura da Empresa, Paulo Sobral. “Vai ampliar a capacidade média de perfuração de poços da Companhia, que hoje é de oito poços por mês, para até 46 e poderemos assim perfurar poços de até 500 metros de profundidade, contra os 70 metros atuais”, esclarece, avisando ser para abril a chegada da primeira das três máquinas que virão para Sergipe em 2013.

Outros 12 poços serão perfurados em 2013, em parceria com a Defesa Civil de Sergipe, como ação de combate à seca. Para este projeto, já estão liberados R$ 1.184.000 em recursos do Governo do Estado. A fiscalização das obras que será feita pelos engenheiros da Cohidro, atendendo municípios onde foi decretado estado de emergência devido ao período de estiagem prolongado. Nestas localidades também serão recuperados pela Companhia mais 15 sistemas de abastecimento de água, em convênio firmado com a Petrobras, que disponibilizou R$ 402.111,38 para viabilizar o projeto.

Barragens
O geólogo da Cohidro, José Albuquerque Cunha, responsável pela elaboração dos projetos de infraestrutura e recursos hídricos da Companhia, explica os detalhes de outro projeto, realizado através de convênio firmado com a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), que prevê a construção de 133 barragens subterrâneas e distribuição de 116 kits de irrigação, nos municípios onde a Codevasf tem atuação. Foram captados para esse empenho R$ 4,5 milhões, oriundos do Ministério da Integração Nacional.

“Nos leitos dos rios e riachos secos do semiárido, quando estes tem um depósito de sedimento arenoso, é possível fazer a escavação de um canal transversal ao curso da água, que forrada com um revestimento em vinil, será capaz de barrar a água que fica depositada nesse sedimento mesmo depois do curso d’água secar, permanecendo a água protegida da evaporação pelo sedimento e durando bem mais tempo que nas barragens que somente represam a água da chuva”, ilustrou José Albuquerque, lembrando também que os kits de irrigação instalados nesse mesmo convênio, atendem cada um até 2 hectares de área irrigada.

O presidente da Cohidro, Mardoqueu Bodano, informa que o trabalho que propiciou, em 2012, a recuperação de 510 barragens para o armazenamento de águas das chuvas no Alto Sertão e em Poço Verde, terá continuidade neste ano, contemplando a recuperação de mais barragens nas regiões atingidas pela seca, com recursos provisoriamente estipulados na ordem de R$ 1 milhão, custeados pelo Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza (Funcep).

"Em 2012, ocorreu uma ação conjunta entre a Secretaria de Estado da Inclusão, Assistência e do Desenvolvimento Social (Seides), Seagri e a nossa Companhia, onde construímos um plano de recuperação de 400 barragens e ultrapassamos este número. Pudemos contar com a estrutura contratada para trabalhar em mais 110 barragens. Na ocasião, foram investidos R$ 720 mil nas obras, valor que será ampliado no projeto para 2013", esclarece Mardoqueu Bodano.

Perímetros Irrigados
O Projeto Águas de Sergipe (PAS) consiste num empréstimo, do Governo do Estado, na ordem de R$ 133 milhões junto ao Banco Mundial, aprovado pelo Senado Federal em 2012. Desse montante, R$ 15 milhões serão destinados à Cohidro para ações de modernização da infraestrutura dos perímetros irrigados e segurança de barragens, atendendo as demandas inseridas no PAS, que se destinam à recuperação ambiental da bacia do Rio Sergipe.

De acordo com o diretor de irrigação da Cohidro, João Quintiliano da Fonseca Neto, o projeto contempla os perímetros irrigados de Jacarecica II em Malhador e Jacarecica I e Ribeira, ambos no município de Itabaiana. “As obras de infraestrutura que serão realizadas nos perímetros priorizam sanar problemas relacionados ao desperdício da água, modernizando o sistema de irrigação, melhorando sua distribuição além da economia de energia elétrica. Ações que visam garantir uma maior segurança na operação das barragens, além de recuperar e preservar as APP´s nessas bacias hidráulicas”, indica o diretor.

Mardoqueu Bodano, ressalta a importância do trabalho dos técnicos da Cohidro envolvidos na elaboração destes projetos. “É graças ao trabalho desta equipe que a Companhia pode dar continuidade a sua missão de ampliar a oferta de água no Estado, pondo em prática o anseio do Governo Marcelo Déda, de sanar os problemas gerados pela seca, tanto no fornecimento direto de água para a população, quanto para a agricultura e pecuária”, conclui o Presidente.

sexta-feira, 1 de março de 2013

Noite em homenagem a João Firmino na Biblioteca Clodomir Silva


Violeiros João Bezerra e Vem Vem do Nordeste
(Fotos: Fernando Augusto/Ascom Funcaju)
Poetas cordelistas, escritores e músicos repentistas se reuniram na noite de ontem, quinta-feira, 28, para homenagear o também cordelista João Firmino Cabral, que deixou menor o elenco das personalidades artísticas sergipanas, ao falecer no último dia 1º de fevereiro, aos seus 73 anos. Com uma plateia repleta de colegas da arte, admiradores e familiares próximos, a homenagem foi organizada pela Fundação Municipal de Cultura e Turismo de Aracaju (Funcaju), no auditório da Biblioteca Municipal Clodomir Silva.

homenagem ao poeta João Firmino Cabral
Cordelista desde sua adolescência, época em que aprendeu a ler também a partir destes livretos, João Firmino fez da literatura de cordel sergipana conhecida além dos limites do seu Estado, sendo várias vezes premiado, nacionalmente, em consideração ao seu talento, com o ápice do reconhecimento, ao ser chamado a ocupar a cadeira de número 36, da Academia Brasileira de Literatura de Cordel (ABLC) em 2008. Inspirou vários artistas a começarem a escrever seus folhetos, inclusive sendo parceiro e editor de vários deles, que compareceram à noite em sua homenagem.

O cordelista Ronaldo Dória
Um deles foi o aracajuano Ronaldo Dória, escritor de cordel que teve no trabalho de João, a inspiração e do amigo, o incentivo para continuar na atividade. “No meu primeiro folheto, recebi muitas críticas, mas mostrei a João Firmino e ele não disse que era bom, mas era pra continuar que eu tinha criatividade. Para Firmino, o poeta de cordel não pode só fazer aquele cordel bonitinho, com métrica, tem que ter um ‘molho’, uma coisa que atraia a atenção do leitor,” conta o autor de até o momento, 150 livretos de cordel, os dois últimos em homenagem ao mestre Firmino, obras que declamou à plateia nesta noite de homenagem.

Coordenadora de Cultura Amorosa,
presidente da Funcaju, Manoel Viana e a
diretora da Clodomir Silva, Fátima Góes
Para a diretora da Clodomir Silva, Fátima Góes, a biblioteca teve a atitude de homenagear o cordelista devido ao fato do nome dele batizar a ‘cordeuteca’ que funciona na Instituição. “Em 2003, a Clodomir inaugurou a primeira cordeuteca do Brasil com o nome de João Firmino Cabral, dessa forma ele faz parte da história, da alma da Biblioteca. Por isso chamamos os familiares, cordelistas e violeiros, para homenagear ele que viveu do cordel, em sua banca de cordéis no Mercado, onde era muito atencioso com os estudantes e turistas”, explica a diretora.

O poeta cordelista Zezé de Boquim
Outro cordelista presente à homenagem e que leu a poesia de João Firmino para os presentes foi, Zezé de Boquim. “Fico até sem palavras ao falar de João Firmino, pois quando Manoel de Almeida partiu, foi João que aguentou as pontas. Só de vender seu cordel em sua banquinha, levantou a imagem do cordel com seu trabalho e inspirou muitos outros cordelistas, mesmo que estes hoje neguem. Ótima a atitude da Biblioteca, contribuindo para que não esqueçam de seu nome e importância”, desabafou Zezé, citando Manoel de Almeida, que foi o mestre cordelista do também mestre, de tantos outros, João Firmino.

Ocordelista Leopoldo Moreira Andrade
Aos seus 92 anos, o cordelista Leopoldo Moreira Andrade, venceu as limitações impostas pela idade para comparecer à Biblioteca e também homenagear o colega e amigo. “Saudade do companheiro cordelista, um dos maiores de Sergipe, foi uma grande perda para o Estado, senão para o Brasil. Ele tinha grande criatividade, com seus causos e contos. Mas sinto muita alegria de estar aqui, junto de outros colegas, prestando esta homenagem a João Firmino”, completou Leopoldo.

Carmelita Santana Cabral, viúva de João Firmino
Carmelita Santana Cabral, esposa de João Firmino, veio à homenagem acompanhada de filhos, netos e genros. “É muito importante esta homenagem e serve de alento para nossa perda, esse reconhecimento faz com que todos saibam do grande homem que ele era, coisa que já sabíamos, pois ele era um excelente marido, pai e avô. Ele está me fazendo muita falta, foram 47 anos de casados, não é fácil superar”, lamenta a saudosa esposa.

Fechando a noite e arrancando aplausos, em pé, de todos, Antônia Amorosa de Menezes, coordenadora de Cultura da Funcaju, cantou sua composição feita ali, no transcorrer do evento, sua maneira de homenagear o grande escritor de cordel. “É um prazer para toda equipe da Funcaju fazer essa homenagem mais do que justa. Como muitos aqui citaram, nós temos referências do cordel, mas que fazem parte de uma determinada geração. Esse preconceito precisa ser rompido e uma das formas de estimular é através de concursos, oficinas e palestras na Rede Municipal de Ensino, para que esta memória, este exercício cultural não seja perdido com o tempo”, concluiu Amorosa.

Pedro Amaro, poeta cordelista 
Pedro Amaro, poeta cordelista que tem seus trabalhos no acervo na cordeuteca da Clodomir, também referenciou a importância de apresentar a riqueza cultural do cordel às gerações seguintes à desses grandes artistas como João Firmino. “Minha preocupação é que não fique só em Ronaldo Dória, Zezé de boquim, João Bezerra, Vem-vem e outros, esse reconhecimento do trabalho de João Firmino, é preciso que os jovens tomem como exemplo o trabalho dele e levem adiante o hábito de fazer poesia no cordel como muitos aqui fizeram”, discursou o mestre, antes de ler o livreto que escreveu também em homenagem ao colega.

Sobre a cordelteca
A Cordelteca João Firmino Cabral possui mais de 500 títulos, escritos por cerca de 36 cordelistas sergipanos e de outros locais, como Alda Cruz, Eduardo Fiscina, Chiquinho de Além Mar, Agulhão e Pedro Amaro. Todo acervo fica à disposição, para consulta, dos frequentadores da Biblioteca Municipal Clodomir Silva, localizada na rua Santa Catarina, nº 314, bairro Siqueira Campos.