Social Icons

twitterfacebookgoogle pluslinkedinemail

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Poços comunitários do Agreste recebem obras da Cohidro‏

Dois poços nos municípios de Carira e Pedra Mole, no Agreste Sergipano, receberam da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro), obras de recuperação em poços que atendem à população, fornecendo água para as residências e na dessedentação animal. Solicitados pelos prefeitos, estas e outros reparos em poços serão consumados por convênios com as prefeituras, Defesa Civil Estadual e Petrobras.

Carira
O povoado Lagoa dos Porcos, cerca de 28 km ao sul da sede municipal de Carira, tem um poço perfurado pela Cohidro em 1990, sua bomba submersa apresentou desgaste devido ao tempo de uso e precisou ser trocada, como explicou Roberto Wagner, chefe da Divisão de Instalação e Manutenção de Poços (Dipoços). ”Após o serviço, a vazão de bombeamento passou de mil para 4.800 litros por hora. Também substituímos o quadro elétrico de proteção e comando. Ao todo a Empresa gastou, com recursos próprios, R$ 5.571,86 neste poço que tem 60 metros de profundidade”, completa.

Além das 54 famílias que utilizam do poço para suprir as necessidades domésticas, a água abastece o posto de saúde e a escola municipal do povoado Lagoa dos Porcos, que atende a localidade e povoados Macacos, Rio dos Negros e assentamento Carlos Prestes, como informa a professora Jamile Menezes Carvalho. “Estudam aqui 70 crianças, do pré-escolar ao 5º ano e mais 20 alunos da Educação para Jovens e Adultos (EJA)”, revelou. Mas a principal necessidade suprida pelo sistema é a dessedentação animal, ao abastecer coxo comunitário onde os criadores levam o gado para beber.

No povoado Bomfim, também na região sul de Carira, existe outro poço perfurado pela Cohidro em 2001. Nele foi instalado, há 2 anos, sistema de dessalinização pela Companhia, um investimento de mais de R$ 47 mil. O sistema ficou sem operador no final de 2012 e neste ano, quando foi reestabelecido o serviço, apresentou problema, segundo Roberto Wagner. “A prefeitura custeou, com R$ 650, o reparo da bomba e a Companhia irá fazer a limpeza do poço e instalação dos equipamentos, findando com o teste de vazão, na próxima semana. Um custo estimado, para Empresa, de R$ 3.890,26”, colocou o chefe da Dipoços.

O presidente da Associação de Moradores do Povoado Bonfim, José Luciano Bastos de Souza, conta que o poço é de fundamental importância para as 70 famílias da localidade. “A água dessalinizada do poço é de ótima qualidade e utilizamos para beber. Já a água bruta, que sobra da dessalinização, abastece um tanque que nunca seca e mata a sede dos animais no período de seca. Na última estiagem a sorte da gente foi este poço”, acrescenta.

Parcerias
O prefeito Diogo Machado, atendendo à reivindicação da população de Carira, trouxe à Companhia a relação dos poços que necessitavam reparos. “Através das reuniões com as associações e diretamente conversando com os cidadãos, identificamos e listamos todos os poços que temos no município que careciam da atenção da Cohidro. O presidente Mardoqueu, o diretor Paulo Sobral nos recebeu muito bem. Solicitamos ajuda, nos oferecermos para ser parceiros, no que pudesse ajudar nós ajudaríamos.”

Paulo Sobral, diretor de Infraestrutura da Cohidro, salienta a importância do compromisso dos prefeitos, oferecendo parcerias na recuperação e na continuidade da manutenção destes poços. “Sempre que possível, nosso objetivo é o de trabalhar com a administração municipal e essas parcerias veem correspondendo absolutamente bem, foi o caso do poço no povoado Lagoa dos Porcos e será o caso agora do povoado Bonfim, onde a prefeitura inclusive custeou uma parte do valor da recuperação do poço”.

Além de Bonfim, os povoados Macacos e Três Tanques também receberão obras em seus poços, onde a Empresa irá efetuar os trabalhos em convênio com a Defesa Civil, com previsão de custos maior que R$ 20 mil só em Carira. “O pessoal depende da água desse poços pra sobreviver, a região é bem seca, lá é como se tivessem achado um Oasis depois que os poços foram perfurados pela Cohidro”, completou o prefeito Diogo.

Pedra Mole
O poço instalado no parque de vaquejadas de Pedra Mole atende os animais dos produtores que nos períodos de estiagem, trazem seus rebanhos para o bebedouro do complexo. Moradores da redondeza do poço também se abastecem da água para o uso nas casas, como conta o prefeito municipal, João José de Carvalho Neto. “O poço abastece tanto as vaquejadas como os criadores, que usam o parque para dar de beber ao gado. A prefeitura também se utiliza daquela a água para serviços diversos, distribuindo para os moradores e produtores, na estiagem”.

Roberto Wagner ainda explica o que foi feito no poço que passou a contar com 3.450 litros de água fornecidos por hora, depois da recuperação. “Foi reformada a bomba e o motor de sucção. Também substituímos a tubulação interna do poço. Ao todo a Cohidro investiu R$ 2.165 nesse sistema”, expos ele sobre o poço de 60 metros de profundidade, perfurado pela Companhia em 2010.

“Em 2013, recuperamos este poço do parque de vaquejada e o poço do povoado São José da Quixabeira. Ainda vamos trabalhar com os poços dos povoados Tapado, Serra II e Manuino, em convênio com a Defesa Civil, com custos estimados em mais de R$ 12 mil. Já no povoado Livramento, o convênio é com a Petrobras, para recuperar outro poço, com orçamento previsto em R$ 11.652,65”, complementa Roberto Wagner sobre a atuação da Cohidro em Pedra Mole.

É com contentamento que o presidente da Cohidro, Mardoqueu Bodano, avalia a atuação da Companhia quanto à recuperação dos poços no interior sergipano. “A gente nota, pelos pedidos feitos, que a preocupação dos prefeitos que nos procuram é de atender a comunidade, isso nos dá um incentivo maior, em realizar essas atividades nesses municípios”, conclui.

Nenhum comentário: