Social Icons

twitterfacebookgoogle pluslinkedinemail

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Cohidro leva o ‘Frutos da Terra’ para a sala de aula‏

Alunos do curso superior em Agroecologia, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe (IFS), Campus São Cristóvão, receberam uma palestra proferida pelo engenheiro agrônomo da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e irrigação de Sergipe (Cohidro), José Claudegio Messias, na última terça-feira, 9. O assunto exposto aos acadêmicos foi o trabalho de planejamento e execução, realizado pelo Governo do Estado através da Cohidro, no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) - Frutos da Terra, atendendo a agricultura familiar nos seus perímetros irrigados, que também atende produtores adeptos à agricultura orgânica.

Até o final de 2012, foram 251 agricultores beneficiados pelo PAA, que forneceram mais de 444 toneladas de alimentos, beneficiando 21.175 pessoas carentes que receberam as doações. No Programa, recursos do ‘Fome Zero’ são viabilizados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), para a aquisição dos alimentos produzidos pelos optantes do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), que no modelo de doação simultânea, são entregues à instituições beneficentes, públicas ou não governamentais. Durante os 5 anos de vigência do Frutos da Terra, a Cohidro gerou aos seus produtores a renda de R$ 780.421.


Na palestra, o agrônomo José Claudegio procurou exemplificar o sucesso do PAA aplicado aos irrigantes da Cohidro, explicando aos estudantes os objetivos, métodos e resultados do Programa. “Mostrei a eles do que se trata a Compra da Agricultura Familiar (CPR) – Doação Simultânea, o PAA e qual a sua a base legal. Expliquei qual a documentação exigida, a forma como a Cohidro atua junto aos seus agricultores e por fim, expus os bons resultados que obtivemos nesses 5 anos de atuação do Programa através da Cohidro”, esclareceu.

Orgânicos
Mas o que os graduandos do curso de Agroecologia do IFS quiseram realmente saber, através das perguntas e argumentações durante a palestra, era como acontecia a comercialização dos produtos orgânicos por meio do PAA. Em Sergipe, a Cohidro viabilizou a CPR orgânica do Perímetro Irrigado Piauí, em Lagarto. Projeto elaborado exclusivamente para receber alimentos livres de agrotóxicos e cultivados pelos irrigantes da Companhia, associados através da Organização de Controle Social (OCS) – Centro Sul.


A expectativa dos estudantes era de satisfazer a curiosidade de como eles vão lidar com a realidade - que faz parte do processo da agricultura orgânica - do escoamento da produção. A acadêmica Amanda Vaz Souza Oliveira se diz satisfeita com as informações dadas pelo palestrante “A palestra foi esclarecedora. Para mim que faço o 7º período e logo estarei me formando, é importante saber como é feito esse trabalho com o produtor. Muitos não sabem como fornecer o produto ao PAA e entendi como a Cohidro os auxilia na implementação do projeto”.


O mesmo achou o estudante de Agroecologia Thiago Péricles Bispo Pereira. “Gostei da apresentação, pois situou a gente de como falar com o produtor, de como orienta-lo, como ele deve agir e a documentação necessária para comercialização pelo PAA da Conab”, enumerou o aluno do professor Doutor Jorge Tavares da Fonseca, que foi quem fez o convite à Cohidro para realizar a palestra, depois de saber – pela mídia sergipana - do trabalho realizado pela Companhia, tanto com os orgânicos, quanto com o PAA.


Com seu doutorado aplicado à área de administração rural, o também engenheiro agrônomo Jorge Tavares, explica a importância deste contato com a realidade do comércio de produtos agrícolas, para os seus alunos. “Temos alunos que vão logo entrar no mercado de trabalho e é um gargalo esta questão da comercialização do produto orgânico. Trazendo a Cohidro para a sala de aula, é uma forma de exemplificar como isso é feito hoje no Estado, por meio da parceria entre Cohidro e Conab”.


Transpassar para as próximas gerações de profissionais, a experiência em modelos testados nos perímetros irrigados, é um fator de grande importância para o presidente da Cohidro, Mardoqueu Bodano. “É fundamental nos preocuparmos em não deixar morrer às práticas que geraram bons resultados em nossa Empresa e enriquece qualquer currículo profissional saber e entender como aplicar as políticas públicas, dos governos Federal e Estadual, ao homem do campo. Toda vez que for solicitada, a Cohidro terá o prazer de transmitir adiante toda experiência agrária adquirida em seus 30 anos de existência”.

O curso Tecnólogo de Agroecologia, oferecido pelo IFS-São Cristóvão, tem duração de 3,5 anos e prepara profissionais aptos à pesquisa e assistência técnica agrícola focando às práticas alternativas de produção que preservem o meio ambiente, envolvendo os cultivos orgânicos e sistemas agroflorestais. O processo seletivo, para o próximo semestre letivo do curso, foi aberto no dia 19 de junho e segue até dia 19 próximo, com inscrições sendo feitas através do site do IFS: www.ifs.edu.br. As provas acontecem em 18 de agosto.

Nenhum comentário: